sexta-feira, 10 de agosto de 2012

VISUAIS - OBRAS DE CALASANS - 3 DE SETEMBRO - DE 2002 - FEITA


JORNAL A TARDE SALVADOR, 03 DE SETEMBRO DE 2002




                         OBRAS DE CALASANS

Até 30 de outubro, você pode visitar a exposição de Calasans Neto, um dos maiores nomes das artes plásticas, que expõe suas mais recentes pinturas e gravuras na Mosaico Galeria de Artes, no Super-Clubs Breezes, Costa de Sauípe, Bahia . Considerado um dos bons gravuristas do País, Calá tem a obra presente em vários livros e já realizou dezenas de exposições. Para o escritor Fernando Sabino, “através desta firme disposição no cumprimento da sua vocação de artista, deste exercício a um tempo despretensioso e obstinado de seu talento criador, chegou hoje a ser talvez o maior gravador do Brasil”. Já Jorge Amado, em Bahia de Todos os Santos, escreveu:
“Calasans Neto não dorme sobre os louros. O sucesso, os elogios da crítica, o reconhecimento nacional e internacional de sua obra de gravador e de pintor não o fazem acomodado, a viver da glória conquistada. Inquieta flama criadora, está sempre a iluminar novos caminhos para a arte deste baiano cuja competência tem a mesma medida do talento incomum”.
Reprodução acima da monotipia Direções, de Calasans Neto.
Muitos outros nomes da crítica e da literatura já se pronunciaram sobre a arte de Calasans Neto, entre eles, Carlos Heitor Cony: “Os pássaros continuam passáros, mas agora os seus pássaros são surpreendidos em vôo, e a metamorfose é a mesma, apenas alterada no grau: seus pássaros têm agora o rosto humano, um rosto indefinido, quase máscara. Sim, um senhor pintor. E suas cores, que sempre marcaram sua obra, seja na pintura ou na gravura, agora encontram o seu texto final: são as cores de Calasans. No mais, uma alegria feita de símbolos nem sempre alegres, até mesmo sinistros, mas que deixam escapar a luminosidade de um artista comprometido com o lado bom da vida. Não há denúncias nem ressentimento na obra de Calasans Neto. Há a cor, o desenho vigoroso e personalíssimo, a liberdade de suas figuras suspensas e intactas no ar, flutuando num espaço inventado, em fundo e forma”.

                                  ABSTRATA

“O artista Carlos França já brindou os baianos, durante anos, com charges e ilustrações em A Tarde, nas décadas de 80 e 90, durante exatos 23 anos. Sempre vinha pintando e, timidamente, mostrando suas telas. Agora, França parte para outra exposição com um trabalho mais maduro, mais solto, fugindo da figuração para construir suas formas abstratas, de onde sobressaem os movimentos. Podemos afirmar que seus trabalhos acompanham a contemporaneidade nos traços gestuais e nas composições construídas através de colagens, dando-lhes um relevo de qualidade”. Estas palavras estão no catálogo da mostra, que fica aberta até o próximo dia 31, no foyer do Cine-Teatro do Sesc, na Casa do Comércio. Formado em desenho e artes plásticas pela Ufba em 1978, França é hoje o designer gráfico do Senac / Bahia. Faz questão de salientar que sua obra tem fortes ligações com o questionamento da condição humana e seus valores. Ele busca um sentido de movimento e equilíbrio numa leitura contemporânea do cotidiano, Vale à pena conferir.

                                    ECLÉTICA

Aberta ontem à noite a exposição de pinturas da artista plástica Evoá Ferreira, no Espaço Calasans Neto   (Uec / Pituba ), anexo ao Teatro Jorge Amado, Avenida Manoel Dias da Silva (Pituba). A mostra fica aberta à visitação até o dia 30 deste mês, de segunda a sexta, das 9 às 21 horas.
Suas aquarelas seu estilo pessoal levaram-na a publicações de âmbito nacional, continuando pela técnica acrílica sobre tela, imprimindo seu colorismo em espaços plásticos de tamanhos variados. Mas, o que colocou seu trabalho em vanguarda foi a retratação de florais e cores fortes e ao mesmo tempo com singeleza marcante das exposições: Explosão Tropical, Cromatismo, Cores e Nuances, Epífetas, lança agora eclética. Evoá concluiu o curso de artes plásticas pela Ufba, em 1997.