segunda-feira, 13 de agosto de 2012

VISUAIS - INSTALAÇÕES NO MAM-BA - 2 DE OUTUBRO DE - 2001

JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 02 DE OUTUBRO DE 2001

                                     INSTALAÇÕES NO MAM-BA
Quatro artistas plásticos vão expor no Museu de Arte Moderna da Bahia, a partir desta sexta-feira. São eles: Bia Santos, Eriel Araújo, Tonico Portela e Virgínia de Medeiros, quando mostrarão suas criações. O trabalho, vencedor do Prêmio Copene de Cultura e Arte, através do Fazcultura é resultado da conclusão do mestrado dos quatros profissionais em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Ufba. Instalações Bahia 2001, na realidade, são quatro mostras diferentes, com criações distintas de cada um dos artistas. Bia Santos apresenta Ambiência, resgatando uma atividade artesanal, o bordado, para representar símbolos do nosso cotidiano em camisetas ou tecido de grande dimensão. Eriel Araújo exibe Mutação Silenciosa, provocando a revelação de novas imagens, a partir de uma grande mesa de luz com velas acesas e parafinas que se derretam. Tonico Portela apresenta impressões, utilizando material em ferro, areia e cânfora (que, ao ser queimada, deixa rastro), para simbolizar o jogo entre o ausente e o presente. Virgínia Medeiros vai mais além e exibe Mulher Pré-Moldada, convidando o público a pisar em grandes placas de concreto com imagens de mulheres da sociedade, consideradas por ela como pré-moldadas ou formatadas pelo sistema.
Reprodução da obra Quem Passar por Cima Verá..., de Virgínia de Medeiros.
                                ARTE RURAL DE NECO SILVEIRA
 O gaúcho Neco Silveira chegou, na tentativa de se estabelecer em Salvador. Abre a exposição Cores & Labores, nesta quinta, no Teatro da Barra, no espaço cultural Carmen Assis, na Rua Marquês de Caravelas, 50. Ele, juntamente com a esposa, está encantado com a Bahia e aqui pretende continuar praticando o que gosta de fazer: pintar. O artista chega com a disposição do migrante que quer vencer e com a alma aberta para aprender as coisas desta terra, mais ou menos hospitaleira. Trouxe algumas telas, outras, ele desenvolveu aqui, mostrando as colheitas, as flores e o labor rural.
Como tenho uma paixão recolhida pelo campo, esta mostra enche-me os olhos. São telas feitas com espátula e têm movimento e boa composição.
Colheita de uva numa fazenda no Rio Grande do Sul, tela de Neco Silveira.
                CAMILA  OLIVEIRA E DANILO BARATA
 Na próxima sexta-feira, Camila Oliveira e Danilo Barata abrem exposição na Galeria Acbeu, apresentando, respectivamente, uma instalação e desenhos e uma videoinstalação. Camila utiliza vários meios e materiais para expressar as angústias pessoais, trabalhando com diferentes tipos de linguagens. Família em Cacos Reunida é o titulo da instalação que a artista mostrará nesta exposição e, através da representação de uma família reunida em torno de uma mesa servida para o chá, aborda questões morais da instituição familiar. Camila define sua instalação como um “convite para um mergulho em uma xícara de chá”, que é muito doce- é necessário mesmo que se ponha tanto açúcar na nossa verdade?” Danilo Barata, formado pela Escola de Belas Artes da Ufba, analisa na videoinstalação o tratamento do corpo na atualidade em relação ao universo da moda e da publicidade. “pensar o corpo busca de referências e nos ajustes ditados pelo mundo fashion é reflexão da minha atual produção artística”. As conseqüências dessas ações resultam em crises de inconformismo e identidade.