segunda-feira, 13 de agosto de 2012

VISUAIS - A VIDA POPULAR DE J. CUNHA - 30 DE OUTUBRO DE - 2001


JORNAL A TARDE SALVADOR, 30 DE OUTUBRO DE 2001

                       A VIDA POPULAR , AS CORES DA TERRA

A partir do dia 7 de novembro, o Centro de Memória e Cultura dos Correios ( Praça Anchieta, 20 - Cruzeiro de São Francisco), Pelourinho, estará aberta a exposição A Vida Popular, As Cores da Terra, de J. Cunha. São trabalhos realizados nos últimos dois anos, num total de 101 peças, divididas entre 40 telas, objetos de madeira recortados e gamelas. As obras retratam a alma brasileira, dando destaque às culturas indígenas e africanas. “A minha obra tem referência direta na cultura popular e nordestina, com citações históricas à influência indígena e africana e, consequentemente, à fusão destes aspectos com a modernidade dos dias atuais”, afirma  J. Cunha. “Concentro-me nestes aspectos porque acho que são as bases da formação do Brasil dos 500 anos”, ressalta. As obras são apresentadas em técnicas mistas, com uma linguagem própria: “Contemplo uma identidade própria, e esta exposição é a afirmativa de meu trabalho, que é algo muito singular”.

O artista mistura colagens de tecidos africanos e brasileiros com pigmentos naturais, tinta acrílica e resina, sobre madeira  e tela, além de objetos expressivos. As 101 peças  estão espalhadas pelos andares do prédio, criando uma grande ambientação.
O artista J.Cunha . com dois objetos que integram sua exposição  no Centro Cultural dos Correios.

                                 EM CORES E TONS DE ÂNGELA COSTA

 As cores surgem ora fortes e constantes ou suaves como as águas tranqüilas de um lago. O jogo de tons e a mistura inspirada de uma ampla gama cromática são a marca principal do trabalho da pintora baiana Ângela Costa, 49 anos. O público pode conferir o trabalho dela no 3º piso do Shopping Piedade, que abre espaço para incentivar novos talentos das artes da Bahia. Será a primeira exposição da artista depois de 20 anos. Em 1981, ela participou de uma exposição coletiva na Galeria Cãnizares, da Faculdade de Belas Artes da Ufba,  resultado de um curso livre de artes plásticas, em que mereceu o primeiro lugar. O tema da mostra era o uso das cores. A pintora dedicou essas duas décadas de maturação ao  aperfeiçoamento e à exploração de todas as possibilidades cromáticas.“Agora, estou numa fase em que o azul é uma presença muito forte”, destaca.

                                             LEILÃO DA NR

 Cento e sessenta e cinco lotes, entre telas, esculturas, tapetes persas e objetos de antiguidade, serão leiloados amanhã, no 10º Leilão de Arte da NR Galeria de Arte, no Bahia Othon Palace Hotel,a partir das 21 horas. Os interessados já podem antecipadamente examinar in loco as obras de arte, levando , inclusive, peritos para constatarem a autenticidade das obras que serão leiloadas.
Consta ainda, no regulamento do leilão, que as obras arrematadas deverão ser retiradas imediatamente após o término do evento. Também, todos os lotes estão sujeitos a um preço, mínimo indicado pelo proprietário, que poderá licitar pessoalmente ou através de a representante. Serão leiloadas obras de Carlos Bastos, Floriano Teixeira, Réscala, J. Hora, Sclair, Zé Maria, Carlos Brancher, Mirabeau Sampaio, Sante Scaldaferri, Jenner Augusto, Aldemir Martins, dentre muitos outros.