domingo, 12 de agosto de 2012

VISUAIS - A ARTE DE SINVAL - 3 DE JULHO DE - 2001


JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 03 DE JULHO DE 2001

                      A ARTE DE SINVAL CORREIA SOARES 

 Na próxima sexta-feira, será aberta a exposição de Sinval Correia Soares, no conjunto cultural da CEF na Rua Carlos Gomes. São 60 obras da série Ritusformais da Bahia, entre pinturas em óleo sobre tela e desenhos, nas quais o artista faz uma retrospectiva da trajetória profissional, expondo uma pequena parte da produção, desde 1957 até os dias de hoje. Aos 73 anos de idade e 44 de vida artística, Sinval vem trilhando um caminho que o credencia como um dos mais respeitados artistas baianos. Natural de Morro do Chapéu, deixou a cidade natal em 1953 rumo a São Paulo, onde ganhou o respeito da crítica especializada como artista plural, escultor, muralista e pintor, sendo, inclusive, citado no Dicionário de Artes Plásticas, de Roberto Pontual, e no Annaire de I’ Art Internationnel, de 1980. Sobre ele, o artista plástico César Romero escreve, na apresentação da exposição: “Sinval é um pintor completo, conhece o seu ofício e faz com sabedoria e inventiva sua saga plástico-Visual”.


               BAIANO NO PARLAMENTO EUROPEU

O pintor baiano Raimundo Santos Bida viaja, amanhã, para abrir uma exposição no Parlamento Europeu, a convite do deputado Joaquim Vairinhos, uma pessoa muito ligada aos movimentos artísticos. A exposição, em Bruxelas, será aberta no próximo dia 9, quando serão expostas 25 telas. Raimundo é natural de Nazaré das farinhas, onde começou a trabalhar, através do incentivo de Gil Abelha, no Centro Histórico. Em 1988, fez a primeira mostra e em 1991 recebeu um prêmio na I Bienal do recôncavo. Já fez exposições nos estados unidos. Sua temática são as paisagens tropicais e regionais, enfocando a gente nordestina, com a sua força trabalhadora.
Reprodução da obra Plantação de Mandioca, mostrando a presença da mulher na lavoura.

                                                SEMENTE DE LARISSA SEIXAS 


A técnica em acrílica e óleo de ferro sobre tela que marca o trabalho da artista baiana Larrisa Seixas poderá ser conferida, a partir desta semana, na Oikos Casa de Cultura, na Pituba, em exposição que traz como temática a semente. A exposição será aberta na próxima sexta-feira, às 20 horas, e vai até o dia 27, sempre das 9 às 18 horas. Para traduzir simbolicamente a vida, o crescimento e o autoconhecimento, a artista abusa, em sementes, de tons terrosos, com marrons e sienas, conseguidos através da exploração do óxido de ferro sobre tela ou lona. Também emprega a limalha de ferro para obter o efeito desejado. “O uso dessas cores e, particularmente, as texturas conseguidas com o óxido sobre os suportes trazem a lembrança do sol,, da terra, nossa origem”, explica a artista, que também atua como designer têxtil, tendo participado de várias coletivas.
Reprodução da obra Animus e Anima, de Larissa Seixas.