domingo, 19 de agosto de 2012

VISUAIS - PREMIADOS EM PIRACICABA - 14 DE NOVEMBRO DE - 2000


JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 14 DE NOVEMBRO DE 2000

                 PREMIADOS EM PIRACICABA

Dois artistas baianos participaram do 32º Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba, que será encerrado no próximo dia 26. São eles, Victor Venas, com o vídeo Narcose de Narciso, que arrebatou o Prêmio Aquisitivo Prefeitura de Piracicaba, e Adalberto Alves, com Homosapiens (III), gravura / monotipia com o Prêmio Câmara Municipal.
Os demais premiados foram Maximiliano Gutiez, com Avenida dos Bandeirantes (pintura), Prêmio Aquisitivo Prefeitura de Piracicaba, e os quatro outros foram agraciados com os prêmios Referencial Especial do Júri, sendo que cada jurado escolheu uma obra para premiar. Sônia Borges, com a fotografia Glicê, um múltiplo; Alexandra Pescuma, também com uma fotografia intitulada Auto-retrato; Rosana C. Real Pagura, com a pintura Momentos; Melissa e João Muller, com Catedral, técnica mista sobre papel. Sempre defendi a existência dos salões, porque eles ajudam os artistas iniciantes a entrarem no circuito das artes e também os críticos a conhecerem o que está surgindo de novo no mercado. As galerias também dão a sua contribuição, porém, quase sempre estão calcadas nos artistas que têm um publico estabelecido, porque o objetivo principal é a comercialização.
Reprodução da monotipia de Abalberto Alves, que foi premiada no Salão de Piracicaba.

            MÔNICA SARTORI E AS OBRAS RECENTES

Até o próximo dia 25 a Galeria Anna Maria Niemeyer, no Rio de Janeiro, está apresentando a exposição Obras Recente, de Mônica Sartori. São pinturas, desenhos e panos, com apresentação de Fernando Cocchiarale, diretor da Funarte e futuro curador do MAM-RJ. Parece que Mônica está debruçada sobre a janela de uma casa de campo observando o balançar de tufos de capim ou de arbustos que se elevam em busca de luz. Esta mineira, que tem formação acadêmica, já recebeu algumas premiações, como o Prêmio Aquisição, no XX Salão Nacional de Artes, e o  Prêmio Concorrência, da Fiat. Estes grafismos que nos remetem à idéia do despretensioso têm na realidade um conteúdo formal significativo. O caminho da linha sobre a superfície, quer seja o papel ou a tela, vai deixando o registro de imagens expressivas do gesto livre de Mônica. Assim, ela vai construindo o seu espaço pictórico. As linhas tendem a subir, talvez, devido ao terreno acidentado de sua Minas Gerais, que tem o horizonte sinuoso marcado pela suavidade de montanhas e morros.

               IGREJAS SECULARES ESTÃO NA OPUS

A Galeria Opus e a Fundação Gregório de Mattos, em comemoração ao Dia da Cultura, estão promovendo a exposição 500 Anos do Brasil e as Seculares Igrejas de Salvador, com obras de Almeida, no Museu da Cidade, situado na Rua Gregório de Mattos, no Pelourinho. Este artista vive retratando nas telas as sacristias, os quartos dos conventos, os corredores, os salões majestosos que, normalmente, ficam protegidos pelas grossas paredes dessas construções seculares. Almeida integra a galeria dos pintores acadêmicos que prestam inestimável serviço à nossa cultura registrando a grandiosidade desses monumentos. O cuidado com a perspectiva, com a luz que invade o ambiente através de uma janela, o colorido dos portais, os tetos ricos em pinturas sacras e o barroco dos entalhes, tudo isto é registrado com maestria.