quinta-feira, 16 de agosto de 2012

VISUAIS - RESTAURADA COLEÇÃO INGLESA - 23 DE MAIO DE - 2000

JORNAL A TARDE TERÇA-FEIRA, 23 DE MAIO DE 2000.

                                  RESTAURADA A COLEÇÃO INGLESA


                                                  A restauradora, professora e artista plástica Ana Maria Villar promete contar, tintim por tintim, todo o processo de recuperação do belo acervo de obras inglesas pertencente ao Museu Regional de Arte de Feira de Santana e atualmente em exposição no MAM-Ba. Nesta sexta-feira, às 16 horas, Ana Maria fará uma palestra, na qual volta a usar slides, fotos e um preciso relato de como devolveu ao universo plástico da Bahia algumas das obras mais significativas do acervo contemporâneo.
O conjunto ora exposto no MAM-Ba e sobre o qual Ana Maria está falando-reúne trabalhos de artistas ingleses (como Brett Whiteley, Antony Donaldson e Barry Burman) realizados nas décadas de 50 e 60 e adquiridos pelo mega empresário de comunicação Assis Chateaubriand.O conjunto foi doado ao museu feirense em 1967, pelo criador, do império dos Diários Associados. Ela passou três anos trabalhando na recuperação dos quadros, que estavam com o estado de conservação muito comprometido. Recuperou 28 das 30 telas do acervo inglês.
Reprodução da obra do inglês Joe Tilson, integrante da coleção do Museu Regional de Feira.

                               A ARTE DO COTIDIANO

Desperta interesse as imagens que retratam pessoas comuns. Elas sempre têm algum  conteúdo poético que é captado pelo artista ao transportar em cores um rosto ou um gesto. E a artista Maria Dulce – que está expondo, na Galeria Acbeu, da Avenida Magalhães Neto – tem o privilégio de captar este sentimento de pessoas comuns.
São telas ricas em colorido que revelam as figuras do nosso cotidiano. Ela evita titular as obras, por entender que o apreciador vai identificar as figuras e dar o nome que entender. Sabemos que cada pessoa faz uma interpretação de acordo com o seu nível de conhecimento, percepção e capacidade de articular os sentidos. Assim, Dulce chama o espectador a participar de sua obra.
Obra em acrílica sobre tela de Maria Dulce, que ilustra o catálogo.

                    BEL BORBA FAZ INDIVIDUAL

O artista Bel Borba é uma dessas figuras baianas que a maioria gosta. E agora, depois de cinco anos, faz uma individual na Galeria Acbeu (Corredor da Vitória). Nesta, exposição, Bel elege os artistas baianos como tema. Artistas da música, do teatro e também das artes plásticas, vistos sob uma ótica muito particular. No total, são 16 telas, de tamanho variados, que exploram nuances diferenciados de cor, com predominância de sombras e outros efeitos para as muitas figuras humanas saídas da imaginação. A mostra é comemorativa dos 25 anos da Galeria Acbeu.
Aliás, o convite a Bel Borba teve uma justificativa: ele passou pela agenda da galeria nos anos 70, quando era ainda um artista iniciante. Hoje, conhecido por seus trabalhos em escultura, grafismo interferências urbanas, Bel tem um trabalho cujo reconhecimento vem crescendo.