quinta-feira, 16 de agosto de 2012

VISUAIS - CAPELOTTI VOLTA A EXPOR - 25 DE JULHO DE - 2002

JORNAL A TARDE TERÇA-FEIRA, 25 DE JULHO DE 2002

                 CAPELOTTI VOLTA A EXPOR

Após algum tempo sem expor em Salvador, o artista plástico Capelotti volta a apresentar as obras, hoje, na sede da Sociedade Caballeros de Santiago, Rio Vermelho. A exposição faz parte das comemorações da festa do Apóstolo Santiago, da comunidade espanhola na Bahia.  Compõem a mostra 20 quadros a óleo, nos quais o artista utilizou temas como a floresta tropical e o fundo do mar, além dos pássaros.
Trata-se, na realidade, de uma arte essencialmente figurativa, tanto que, também estarão presentes temas utilizados anteriormente, como marinhas, figuras, natureza morta e procissões.
Alberto Capelotti iniciou os estudos de arte em 1966, aos 23 anos, na escola Pan-Americana de Arte. Explorando o figurativismo dentro de um estilo mais solto, é considerado um artista versátil.
Capelotti dedicou-se, inicialmente, ao desenho publicitário e ao bico-de-pena. Posteriormente, em 1970, juntou-se ao novo grupo de artistas baianos, trabalhando em óleo e acrílica sobre tela, técnicas que desenvolve até hoje, explorando, ainda, o figurativismo, dentro de uma ótica moderna.
Reprodução de uma obra recente de Capelotti que volta às galerias.

               FOTOGAFIAS DE PIERRE VERGER

No próximo dia 26, o Conjunto Cultural da Caixa Econômica ( Rua Carlos Gomes, 57, Centro) abrirá as portas para uma mostra de fotografias do etnólogo Pierre Fatumbi Verger, que ficará em exibição até 1º de setembro. Reunirá 30 fotografias em 50 X 60, feitas nos cinco continentes, durante os anos 40. É um dos eventos do VI Congresso da Abralic – Associação Brasileira de Literatura Comparada.
As fotos mostram eventos importantes, personalidades célebres, belas paisagens, cidades, vilarejos, homens e mulheres no trabalho, pescadores, agricultores, cenas de rua e festas religiosas. São cenas, do cotidiano, que, documentam de cultura variadas.

               MISTA SOBRE PAPEL, NA ACBEU

Flor seca, caneta, folhas de ouro, de prata até fio de cabelo são alguns dos materiais utilizados pela artista plástica paulista Elizabete Perez, para abordar temas como morte, perda e solidão, na exposição Mista Sobre Papel, composta de 12 desenhos, que foi aberta desde a última sexta-feira, na Galeria Acbeu. Há mais de sete anos, ela trabalha dentro desse universo, com a preocupação de mesclar os temas com questões sociais. Como exemplo, ela apresenta a solidão de um menino de rua.