sábado, 18 de agosto de 2012

VISUAIS - 0S 500 ANOS NA VISÃO DE BETH MAIA - 12 DE SETEMBRO DE - 2000.


JORNAL A TARDE SALVADOR, 12 DE SETEMBRO DE 2000

                  OS 500 ANOS NA VISÃO DE BETH MAIA

A exposição de pinturas da arquiteta Beth Maia tem uma importância documental extraordinária, porque ela apresenta as modificações ocorridas nos pontos tradicionais da cidade, fazendo um contraponto com a obra do mestre Diógenes Rebouças. Este confronto do passado com o presente serve de parâmetro para alertar as autoridades e a comunidade de modo geral que é preciso ter cuidado com a paisagem urbana e arquitetônica de nossa Salvador. O trabalho artístico dela está intimamente ligado com a formação de arquiteta que se preocupa com a paisagem urbana, com as transformações que ocorrem mostrando que as intervenções - muitas vezes benéficas e outras catastróficas -, embora ela não tenha explicitamente a intenção de denúncia. É um convite que nos faz olhar a nossa Cidade com mais paciência, ver seus detalhes, ver os novos elementos arquitetônicos que foram introduzidos e os que, infelizmente, desapareceram com o pretexto de modernizar. Basta a gente dar uma olhada na Praça Riachuelo e a imponência do prédio da Associação Comercial que hoje está cercado por edifícios de formato e gosto arquitetônico duvidosos.

                  LEILÃO NA NR GALERIA DE ARTE


 O 8º Leilão da NR Galeria de Arte será realizado no próximo dia 20, no Bahia Othon Palace Hotel, a partir das 20 horas. Será uma oportunidade para os apreciadores da arte adquirirem obras de artistas consagrados, antiguidades e tapetes. Lá estarão sendo leiloadas telas de Calasans Neto, Jenner Augusto, Réscala, Floriano Teixeira e muitos outros.
Este leilão, que é feito anualmente, é sempre esperado, porque surgem obras de qualidade para serem disputadas pelos amantes da boa arte.

                     

                            O CAVALEIRO AZUL
 A exposição multimídia sobre os artistas do Grupo Cavaleiro Azul e da coleção da Galeria Lenbachhaus de Munique, proporciona uma oportunidade ao visitante de ter um contato direto, através de touchscreen e cd room, com a obra e o mundo de Franz Marc, Vasssili, Kandinsky , Paulo Klee, Alexej Javlensky , dentre outros. A exposição não se propõe a substituir a apresentação dos originais, ela atua como incentivadora para uma melhor apreciação da arte do expressionismo alemão, que deu um impulso decisivo ao desenvolvimento do Modernismo. É um projeto do Institute Goethe em co-produção com a Lenbachhaus , Siemens – Nixdorf  e editora Prestel . É bom lembrar , que em 1901, foi fundada em Munique, com a participação de Wassily Kandinsky , a Phalanx, (Falange), ao mesmo tempo Escola de Arte e Associação de Exposições,que tinham o objetivo de dar uma visão das tendências vanguardistas mais recentes, em nível internacional. O programa pedagógico da Escola de Arte Phalanx diferenciava-se, nitidamente, do programa da Academia. Além de se admitiram mulheres como alunas, trabalhava-se no campo, nos meses de verão. Kandinsky pintava, com seus alunos ao pé dos Alpes, na Baviera. No fim do verão de 1908, Kandinsky e Gabriele Münter  tarbalharam em Murnau, juntamente com Alexej Jawlensky e Marianne Von Werefkin. Surgiu, então, a idéia de realizarem uma exposição coletiva com as obras ai criadas, numa intensa interação artística e de formarem um grupo com outros artistas de Munique e engajados amantes das artes. Assim, foi fundada, em 22 de janeiro de 1999 a New Künstlervereiningung München.