terça-feira, 21 de agosto de 2012

PICHAÇÃO É UMA PROVA DE FALTA DE CIVILIDADE - 18 DE OUTUBRO DE 1982.

JORNAL A TARDE, TERÇA-FEIRA, 18 DE OUTUBRO DE 1982.

          PICHAÇÃO É UMA PROVA DE FALTA DE CIVILIDADE


A sanha e abriga pelos votos vem alcançando níveis discutíveis e até condenáveis. Basta dar uma olhada nos muros da Cidade que a gente fica indignado com a falta de critérios e de respeito para com os monumentos, a exemplo do velho Convento da lapa. Uma vergonha!
Chegam na calada da madrugada os pichadores e colocam as frases desconexas e chatas dos políticos e em seguida, para completar a feiúra, a falta de estética, e, principalmente, de respeito, borram as frases políticas.
Uma verdadeira guerrinha particular entre pichadores, políticos e outros pichadores que dizem ser de uma misteriosa Savak . Misteriosa, violenta,seja lá que critério ou adjetivos arranjem para denominá-la, sei que apenas são igualmente violentos os pichadores, que não a integram. Não interessa o credo ou a ideologia. A verdade é que agridem o visual da Cidade , e demonstram falta de civilidade.
A pichação virou doença nacional. Não apenas os políticos pincham. Também, empresários, cantores e diletantes resolveram deixar nos muros públicos e particulares suas mensagens. E, por protestar contra esta doença, eis que um homem de 82 anos , que passou grande parte de sua vida organizando o Museu de Arte de São Paulo, o famoso MASP, que é o professor Pietro Maria Bardi, terminou na semana passada num Distrito policial. É que todos os dias Bardi mandava os empregados do museu limpar os muros impregnados de pichação. No dia seguinte os pichadores sujavam tudo. Revoltado o irrequieto e discutido professor Bardi arranjou uma tinta vermelha e teve o cuidado de adquirir o tipo lavável, e convocou um fiel funcionário para escrever duas vezes a palavra merda.
Inconformado com a palavra,embora hoje não seja o terrível palavrão de outrora,que todo mundo diz quando dá uma topada ou não gosta de qualquer atitude alheia, uma pessoa, telefonou para o distrito e o velho Bardi e o seu funcionário estão sendo processados.
Consciente e aborrecido, o professor Pietro Bardi desabafou: “A molecagem que fiz deu certo, estou muito contente. Se for condenado, paciência, vou descansar”. Mas choveram telefonemas,cartas, telegramas e muito aperto de mão em protesto ao velho mestre. E certamente se depender da opinião dos intelectuais brasileiros dedicados ao estudo da palavra, o inquérito contra ele não irá adianta. O dicionarista Aurélio Buarque de Holanda, O filósofo Antonio Houass,o presidente da Academia Brasileira de Letras, Austregésilo de Athayde,e o autor do primeiro grande dicionário etimológico da Língua Portuguesa, professor Antonio Geraldo da Cunha, não consideram a palavra obscena e defendem o direito do MASP.
Também,acho que não é uma palavra obscena. Também, concordo que não pode e não deve ser utilizada a qualquer momento, é preciso à hora exata, porque bem aplicada soa como um desabafo. E quem também descartou a possibilidade de ser um palavrão foi o escritor Mário Souto Maior, autor do discutido “Dicionário do palavrão”.
Sei que esta palavra é vigorosa e que o protesto feito por Bardi vingou. Muitos de nós que assistimos inconformado e às vezes impotente a sanha dos pichadores, bem que desejávamos dar um basta a esta sujeira!.
Na verdade a fixação é uma faca de dois gumes.
Como pode ajudar o político, certamente prejudica,porque é uma demonstração pública que seu interesse particular sobrepuja e a coisa pública. É hora de acabar com a pichação. Pichação é falta de civilização. Ficam ai os slogans e o apoio a Bardi.

                          IVONETE ESTÁ DE VOLTA

Depois de participar da coletiva Nordeste em Cores,no Hotel Meridien a artista Ivonete Dias retorna com uma nova exposição a partir do próximo dia 29 na Galeria Acbeu, na Vitória. Residindo no interior do estado onde lecionava Iniciação Artística, ela retorna para ficar e começa a “brigar” por um espaço que acha que tem direito. Seus novos trabalhos apresentam como novidade a separação dos espaços por figuras geométricas que definem a situação e a localização dos elementos que integram a composição. A temática é sempre o seu nordeste, e sua gente e o seu folclore.
Ivonete é uma primitiva de muito vigor. Tem uma determinação muito forte que muitas vezes não encontramos na maioria dos primitivos. Ela tem uma necessidade urgente de realizar e demonstra isto que a gente começa a indagar sobre sua obra.

             CURSO DE FOTOGRAFIA  DE MICHAEL WANNER

Se você gosta de praticar a arte da fotografia , não deixe de assistir ao Curso de Aperfeiçoamento  que será ministrado a partir  hoje, às 14 horas, até a próxima sexta-feira na Biblioteca Central, nos Barris.O curso será ministrado por Michael Lee Wanner que é arqueólogo, programador visual e especialmente um bom fotógrafo. Existem 20 vagas e ele pretende repassar para seus alunos tudo que aprendeu durante os muitos anos que manipula os complicados truques da fotografia.
Wanner, para os que não estão ligados ao nome da pessoa , é aquela figura incrível, alta e com um rabo-de-cavalo cheio de fios grisalhos. Ri de tudo, pois é uma pessoa feliz que aqui chegou e ficou. Vive com sua objetiva bisbilhotando tudo com sua sensibilidade que mete inveja a muita gente. Embora tenha nascido nos Estados Unidos, Wanner só tem de americano a nacionalidade e o nome. Parece até que nasceu na Baixa dos Sapateiros ou mesmo em Itapuã, porque é um baiano impregnado dessa alegria e desenvoltura que é tão comum na nossa gente. Pois, é este americano grandalhão e alegre que vai repassar o seu know how para os que estão a fim de fotografar as nossas belezas e mazelas.

               LEONEL MATTOS EXPÕE DIA 21

Ele chegou à redação esbaforido dizendo que ia fazer uma exposição. Perguntei pelos quadros que ia expor e respondeu que estavam no carro. Vá buscá-los, disse-lhe para que possa ter uma ideia aproximada do que você anda produzindo. Desceu as escadas mais que depressa e em poucos minutos retornava com três telas debaixo do braço. Foi assim o meu primeiro contato com a arte de Leonel Mattos que a partir do dia 21 estará expondo seus trabalhos na Genaro Galeria de Arte, na Pituba.
Leonel é um jovem artista que apresenta uma obra de concepção ingênua e cores fortes. Um trabalho que prima pela espontaneidade onde se destaca essencialmente a figura humana e o fazer. As deformações que surgem ainda carecem de um tratamento mais apurado. Seus trabalhos que ele mesmo descreve, "são frutos de uma existência de sensibilidade dos acontecimentos da vida, extraídos de uma visão envolvida, mas capaz de apreciar de fora o que é bom e o que é ruim, o que é feio e o que é belo".
Portanto, este singelo depoimento inserido no catálogo mostra a sua forma de ser e de encarar a própria realidade com certa pureza do ingênuo. Sei que Leonel tem uma força e uma vontade muito grande de pintar. E,ele sabe captar aqueles momentos, que acontecem nesta terra cheia de sol e mar.

                   GALERIA BONFIGLIOLI EM SALVADOR

O Banco Auxiliar S.A e a Galeria de Arte Alberto Bonfiglioli , estendendo seu trabalho cultural, inauguraram a Galeria Bonfiglioli -Salvador,  no último dia 14 de outubro, às 18h30min. Este novo espaço cultural baiano localiza-se na Agência do Banco Auxiliar de Salvador,na Avenida Estados Unidos, 528, Cidade Baixa.
A exposição inaugural consta de uma coletiva e reúne um elenco significativo de representantes da arte baiana atual: Albano Neves de Souza ( angolano,)Calasans Neto,Carlos Bastos, Floriano Teixeira,J.Arthur, Justino Marinho, Lygia Milton, Mirabeau Sampaio e Tati Moreno.
A Galeria de Arte Alberto Bonfiglioli caracteriza sua presença nas artes plásticas através de uma atuação puramente cultural e traz para Salvador essa mesma filosofia, nesta que é a primeira extensão de seu trabalho fora de São Paulo. A mostra ficará montada até o próximo dia 14 de novembro.