quinta-feira, 16 de agosto de 2012

VISUAIS - TERCILIANO EM COLETÂNEA - 27 DE JUNHO DE - 2000

JORNAL A TARDE TERÇA-FEIRA, 27 DE JUNHO DE 2000

                     TERCILIANO JR  EM COLETÂNEA



O artista baiano Terciliano Jr recebeu, em 1993, a visita, no ateliê, de Henry John Drewal, na Avenida Pinto de Aguiar. Juntamente com outro professor da Universidade da Califórnia (Ucla), fez uma reportagem sobre a sua realidade dentro do mundo negro afro-baiano. Eles fizeram fotos de obras do artista, sendo que uma delas foi escolhida para a capa do livro Black Brazil – Culture, Identity, and Social Mobilization. É um trabalho de pesquisa sobre a cultura negra, sua influência política, social e cultural. Na foto, a capa do livro, com a obra Paó ao Deus Afro a Miles Davis, de Terciliano.



                              PINTURAS DE RODRIGO ANDRADE

O paulista Rodrigo Andrade iniciou-se nas artes cursando gravura em metal com Sérgio Fingermamm (1977/ 80), freqüentou o Estúdio de Artes Gráficas de Glasgow (1977/79), cursou Filosofia na USP (1980) e mudou-se para a França (1981/ 82), para estudar no ateliê de pintura da Escola de Belas Artes de Paris.
Ao retornar ao Brasil (1982), fundou, juntamente com Carlito Carvalhosa, Fábio Miguez, Nuno Ramos e Paulo Monteiro, o ateliê Casa 7, em São Paulo. Artista surgido na Geração 80, participou desde 1980, de diversas mostras, dentre elas, a Bienal de São Paulo (1985); bienais de Cali, Havana e Buenos Aires (1986); BR 80 – Pintura Brasil Década de 80 (1991); Galeria Itaú – SP Viva Brasil Via (1991); Lijlevachs Konstal Suécia; Panorama da Arte Brasileira (1996), MAM-SP e o Arte Cidade (1997) e Ruínas do Moinho Santista-SP. Desde 1990. Os trabalhos dele vêm sendo apresentados por galeristas em feiras internacionais de arte, dentre elas, Feira de Colônia (1990), Arco-Madrid (1998) e Fiac Paris (1999).
Expõe individualmente a partir de 1986, e já mostrou suas obras em 13 exposições nas galerias mais importantes do eixo Rio-São Paulo. Está expondo na galeria Anna Maria Niemayer, no Rio de Janeiro.

                         INSCRIÇÕES DO VII SALÃO DA BAHIA

Está aberta a temporada de caça aos novos talentos das artes plásticas. O Museu de Arte Moderna da Bahia já está recebendo inscrições para o VII Salão da Bahia, que nessa próxima edição, será realizado de 15 de setembro deste ano a 4 de fevereiro de 2001. As fichas de inscrição e o regulamento poderão ser obtidos diretamente na Secretaria do Salão – no próprio MAM-BA – ou nos museus, escolas de arte, secretarias de cultura e principais galerias do País. Os interessados devem ficar atentos à data de encerramento das inscrições: 25 de agosto. A exemplo dos últimos anos, o VII Salão da Bahia premiará seis artistas, com R$ 15 mil. Para participar, é necessário preencher todos os campos da ficha de inscrição e anexar fotografias, fotocópias, projetos, VT ou maquete de três trabalhos inéditos produzidos a partir de1999. Os artistas que se inscreverem nas categorias vídeo, performance ou instalação poderão fazê-lo com até dois trabalhos, mas apenas um deles será selecionado. Apenas os trabalhos escolhidos para participar do salão deverão ser enviados para o MAM-BA. Para isso, os artistas terão uma ajuda de custo no valor de R$ 1 mil.