domingo, 12 de agosto de 2012

VISUAIS - NHAÚMA DE FAUZI MARON - 15 DE MAIO DE - 2001


 JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 15 DE MAIO DE 2001.

                   NHAÚMA, BARRO EM TUPI

Caminhando na contramão do sintético, Fauzi Maron realiza a exposição Nhaúma, que significa barro, em Tupi.Ele utiliza, nos 11 painéis e na escultura bicho no mangue, massapé, barro e resina, que são texturizados através de processo com elementos químicos, mas sem perder o aspecto natural. A exposição, fruto da nova fase do artista, mostra uma diversidade de lagartos e sapos em suas formas mais primitivas. Os painéis têm entre 1 e 2 metros.
O baiano Fauzi Maron fez a primeira mostra – Ergástulo Casulo – há oito anos, na Casa dos Artistas (Ilhéus), já tendo realizado outras, a exemplo das que denominou Santíssimas Mulheres e Os Bacantes de Sodoma. Em 97, fez um tributo a Jacques Costeau, na Aliança Francesa, com a Profundeza Abstrata. A exposição Nhaúma fica em cartaz na Sala de Arte- Bahiano, No Clube Bahiano de Tênis,  na av. Princesa Leopoldina, 398, na Graça.

                          CINCO ARTISTAS NA ACBEU 

Cinco artistas participam de uma exposição na Galeria Acbeu, todos residentes em salvador: Beth Sousa, Caetano Dias, Iuri Sarmento, Paulo Pereira e Stella Carrozzo. Utilizando técnicas diversas, o que existe em comum entre eles é o fato de buscarem sempre novas formas de expressão, lançando-se em pesquisas de materiais e novas linguagens baseados numa estética contemporânea. Esta é a segunda vez que este mesmo grupo apresenta seus trabalhos na galeria Acbeu.
No final do ano passado, os artistas mostraram obras diferenciadas do que normalmente fazem e receberam elogios de curadores de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Nesta exposição, serão apresentados objetos, instalações, imagens manipuladas digitalmente, além de pinturas e desenhos.
Stella Carrozzo vai apresentar três desenhos em técnica mista sobre papel e tecido. A série desenvolvida pela artista busca fazer um paralelo entre a passagem do tempo e a concentração da personalidade do homem. Uma instalação com objetos de plástico queimado é o trabalho que a artista plástica Beth Souza vai apresentar na coletiva. Intitulada Sincronia, a instalação faz parte da série que vem desenvolvendo desde a última exposição do grupo, no ano passado.

                   TROCANDO MIÚDOS COM MAURÍCIO ALFAYA

O artista Maurício Alfaya vai expor, a partir de amanhã, na Casa 8 Atelier Café. Espaço que vem se tornando referência na divulgação da arte em nossa cidade. Ele apresentará o resultado de um trabalho de pesquisa e busca de uma linguagem contemporânea calçada num regionalismo que foge aos padrões folclóricos, estampados como ícones de nossa cultura popular. Motivado por questões sociais, o artista tem na figura humana seu maior enfoque. Como resultado, surge uma pintura que tem no desenho e na valorização física do desenho seu maior trunfo. Híbridas e homogêneas, as formas configuradas trazem a expectativa por uma revelação, por uma emersão, por algo que se mostra lentamente sob a atmosfera criada pelos tons cinza, preto e branco predominantes, bem como por alguns detalhes em cores que aparecem sutilmente em algumas telas.
Seguindo a mesma linha conceitual, o artista expõe desenhos e objetos numa escala menor que a pintura, mas igualmente veemente na exploração do tema, bem como na valorização da pesquisa de novas linguagens.