terça-feira, 21 de agosto de 2012

PADRE PINTO - 31 DE OUTUBRO DE 2000

SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 31 DE OUTUBRO DE 2000

                 PADRE PINTO E SUA ARTE RELIGIOSA


Para resgatar e registrar o ano Jubilar 2000 de Jesus Cristo e o cinqüentenário do Brasil, o artista plástico padre Pinto construiu, a partir de uma leitura ética e estética da atualidade, o mais novo trabalho, Via Crucis Brasil-200 e 500 Anos de resistência. A mostra é composta por 15 telas, que representam as estações da via-sacra - do julgamento à ressurreição , em paralelismo com a história brasileira.
Mais quatro telas, que não fazem parte da série, compõem a exposição, que será aberta no próximo dia 8, às 20 horas, no Museu Náutico da Bahia, onde permanece até o dia 26 de novembro, de terça a domingo, das 9 às 19 horas. Utilizando uma técnica que aprendeu com o mestre Adam Firnekaes, padre Pinto faz uma arte engajada enfocando os problemas vivenciados com seus fiéis. Ele já tinha dado sinais claros de que seguiria este caminho quando optou por criar as vestes sacras para realizar os ofícios religiosos na (sua) paróquia da Lapinha.
De lá para cá, tem trabalhado nas telas, quase sempre com motivos religiosos. “Sou um padre que pinta e um pintor que celebra, sou um cidadão deste, meu Brasil varonil, que não fica “deitado em berço esplêndido”, afirma. Imagens da História do Brasil colonial e recente são lembradas plasticamente, seja através das cores e situações representadas, seja pelos traços com que o autor pinta Jesus.
Acima reprodução da obra de Padre Pinto, O Cristo, que é negro e os índios compõem o cenário.

                             MAIS UM TRÓFEU DE ISA 

Em 1978, quando fez suas primeiras incursões em joalheria e participou de um salão de arte, chamei a atenção para as obras de Isa. A artista percorreu, desde então, os vários caminhos da joalheria e vem-se dedicando, também, à criação de peças, dentre as quais, as chaves da cidade para a Conferência Ibero-Americana, os orixás de prata e peças variadas para o pólo e empresas de outros Estados. A Tarde recebeu o troféu Desempenho, cuja criação é dela, que buscou uma forma simplificada para traduzir o objetivo proposto à criação de um troféu para o Prêmio Desempenho, trabalhou com o círculo, forma perfeita e carregada de simbolismo - cada parte, dividida ao meio, forma uma letra D, inicial de desempenho. Revela Isa que fez uma construção geométrica sobrepondo estas duas partes pela base, usando o espaço circundante com um fluxo orientado na direção de um fio. Específico: a criação virtual de um V simbolizando a vitória alcançada pelo vencedor. As duas letras D ficaram visíveis pelos dois lados da escultura e foram contornadas por duas tiras de metal prateado simbolizando o crescimento da empresa vencedora.

                    OBRA DE ANTONELLO L’ABBATE

O italiano Antonello L’Abbate está apresentando  partir de amanhã obras em gravuras, aquarelas, pastéis, desenhos, cerâmicas e jóias. Ele está experimentando esta gama de técnicas para expressar a sua arte refinada.
L’Abbate conhece bem várias técnicas e tem facilidade de criar. Apaixonado pela paisagem baiana, tem transportado ícones do nosso cenário para suas obras, inclusive integrando algumas delas numa mesma obra.
L’Abbate é um desses batalhadores que freqüentam as redações de jornal, para defender a importância de nossa gravura, apresentar novos artistas, ou outra causa que julga importante. O seu objetivo é levar a arte para um maior número de pessoas possíveis.
Sua mostra será inaugurada amanhã, a partir das 19 horas, na Galeria  Ferrão, na Rua Gregório de Mattos, Pelourinho.