quinta-feira, 16 de agosto de 2012

VISUAIS - O PROFESSOR LEONARDO ALENCAR - 16 DE MAIO DE - 2000

JORNAL A TARDE 16 DE MAIO DE 2000.

                              O PROFESSOR LEONARDO ALENCAR
O artista plástico e professor de arte, Leonardo Alencar estará, a partir do próximo mês de junho, realizando o curso Pintura e Criação, no Conjunto Cultural da Caixa, na Rua Carlos Gomes, 57, com o objetivo de passar informações básicas das técnicas de pintura e desenho para iniciantes, incluindo um módulo para alunos em nível avançado. As vagas serão doadas às instituições convidadas que desenvolvem atividades de caráter social, filantrópico e educacional. O objetivo do projeto é estimular a investigação dos processos técnicos da criação artística e propiciar o aprendizado, lazer e apreciação estética. As aulas terão uma grade curricular ampla e diversificada: referências de História da Arte, histórias das técnicas, desenho para estrutura pictórica e atividades em ateliê livre. Serão ministradas duas vezes por semana, à tarde, durante seis meses.
O talentoso Leonardo Alencar garante que vai ensinar o pulgo do gato aos iniciantes.

                                                BEL BORBA FAZ INDIVIDUAL

Depois de cinco anos sem expor individualmente, o artista plástico Bel Borba prepara-se para uma mostra de pinturas, com abertura do dia 19 próximo, na Galeria Acbeu (Corredor da Vitória). Nessa exposição, Bel elege “os artistas baianos” como tema.
Artistas da música, do teatro e também das artes plásticas, vistos sob uma ótica muito particular.
No total, são 16 telas, de tamanhos variados, que exploram nuances variáveis de cor, com predominância de sombras e outros efeitos para as muitas figuras humanas saídas da imaginação do artista. A mostra é comemorativa dos 25 anos da Galeria Acbeu.
Aliás, o convite a Bel Borba teve uma justificativa: ele passou pela agenda da galeria nos anos 70, quando era ainda um artista iniciante. Hoje, muito conhecido por seus trabalhos em escultura, grafismo e interferências urbanas, Bel tem um trabalho cujo reconhecimento vem crescendo.

                                                    O   POLÊMICO VICTOR ARRUDA
Victor Arruda é um artista contemporâneo dos mais polêmicos, com uma produção artística instigante, sofisticada, “com suas figuras obscenas, toscas, incultas, enfaticamente malfeitas, em uma completa perversão dos valores estéticos convencionais”, conforme comenta Reynaldo Roels, em catálogo de 1986, provocando as mais diferentes e contraditórias reações a cada exposição que apresenta. A primeira exposição dele, em 1981, na Galeria Anna Maria Niemeyer, abriu-lhe as portas para outras inúmeras mostras, em todo Brasil, e seus trabalhos integram mais importantes coleções e museus.
Sua obra também foi apresentada em individuais na Itália (1986-Ron), Studio d’Arte Giuliana de Cresonzo; em Portugal (1996 e 1998 Orto), Galeria Canvas & Companhia (1999-Braga) e Museu Nogueira da Silva-Um. Participou, também, da Feira de Arte Contemporânea, na Espanha (1996 e 1997). Convidado por Oscar Niemeyer, executou, em 1989, painel para o foyer do teatro do Memorial da América Latina (20m²) e, em 1992, painel para o Parlamento Latino-Americano (9m²), ambos em São Paulo. Victor Arruda volta a mostrar seus trabalhos no Rio de Janeiro, após cinco anos.
Reprodução da obra Night & Day, de 1998, instiga o observador da obra de Victor Arruda.