segunda-feira, 13 de agosto de 2012

VISUAIS - FORMAS E CORES DE OBERLAENDER - 4 DE DEZEMBRO DE - 2001.

JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 04 DE DEZEMBRO DE 2001

                      FORMAS E CORES DE OBERLAENDER

Com uma linguagem poética, intuitiva e expressionista, dando vazão aos sentimentos, o artista plástico Fernando Oberlaender expõe seu mais recente trabalho Pintura e Tradução Poética, a partir de hoje, na Galeria Prova do Artista, no Rio Vermelho, às 21 horas. Utilizando a técnica de acrílico sobre tela, o artista revela as emoções e a maneira de enxergar o mundo, muito pessoal e intimista. Juntamente com a exposição, haverá o lançamento do livro, homônimo, que registra a obra e a carreira dele. A grande novidade contida nessas 90 páginas são os poemas escritos sobre as telas de Oberlaender. Os versos que traduzem o livro são de autoria de Mabel Velloso, Mirella Márcia, Capinan, Sebastião Marques, Jorge Portugal, Claudius Portugal, Damário Da Cruz, Geraldo Maia e Állex Leilla.
 Reprodução da tela de Fernandd Oberlaender ,da exposição Pintura e Tradução Poética.

                      INSTALAÇÃO  DE IEDA OLIVEIRA

 Alimento básico de muitas regiões do país, a farinha é a principal matéria-prima para a instalação Farinha do Mesmo Saco, que a artista plástica baiana Ieda Oliveira vai apresentar na última exposição do ano da Galeria Acbeu, a partir do próximo dia 6. Nascida em Santo Antônio de Jesus, mas radicada em Salvador, Ieda produz uma obra marcada pela necessidade que a artista tem em refletir em seus trabalhos sua trajetória pessoal. Embasados no conceito da apropriação de objetos do cotidiano, na utilização de ditados populares e jogos de palavras, estes resultam num trabalho autobiográfico, mas de forte apelo coletivo.

                         MÓVEIS EM  LYPTUS

O arquiteto e designer Sérgio Rodrigues está relançando sua linha de móveis em Iyptus, madeira nobre produzida exclusivamente com árvores cultivadas de forma sustentável. Na mostra Reviravolta, que está no shopping Bahia Design Center, estão expostos os 17 móveis mais representativos da trajetória profissional de 50 anos do artista.
No evento, são encontradas peças consideradas clássicas, como as poltronas Mole, Kilin, Oscar, ou a cadeira Lúcio (as duas últimas, em Homenagem aos mestres Niemeyer e Lúcio Costa), dentre outras criações do designer, Sérgio Rodrigues admite ser uma das pessoas que contribuíram para a extinção do Jacarandá. Agora, segundo ele, está se redimindo com a natureza, relançando os móveis em Iyptus.
Poltrona, de autoria de Sérgio Bernardes, na mostra Reviravolta.