sexta-feira, 17 de agosto de 2012

VISUAIS - FERJÓ TEM LIVRO AMERICANO - 29 DE AGOSTO DE - 2000

JORNAL A TARDE SALVADOR, 29 DE AGOSTO DE 2000.

            FERJÓ TEM LIVRO AMERICANO

O sonho de todo artista, depois de muitos anos de batalha, é ver a obra registrada em livro Agora, mais um artista baiano tem seu talento reconhecido fora do País, com a edição de um belo livro, com mais de 100 páginas e muitas ilustrações coloridas, lançado nos Estados Unidos. Trata-se do pintor Ferjó, que vive por lá há alguns anos, onde foi estudar numa universidade da Pensylvania e lá fixou residência. Como é um trabalhador nato, Ferjó foi se firmando e expondo em várias galerias americanas e, hoje, tem a obra reconhecida no meio artístico e no mercado daquele país. Não é fácil. Ainda falta muito, mas ele tem garra para prosseguir na busca incessante de melhorar, cada vez mais, a qualidade da produção e, ao mesmo tempo, tentar mostrar sua arte a um maior número de pessoas, Seja nos Estados Unidos ou por aqui. É verdade que a arte que ele produz tem uma aceitação bem mais tranqüila nos Estados Unidos, porque está um pouco ligada com a vida americana. Impregnada de surrealismo, a arte tem a grandeza de um artista consagrado pela qualidade da técnica e a escolha de formas e elementos gráficos. A mistura de vários elementos e a presença em suas telas de detalhes com quadros renascentistas, românticos e mesmo de arte moderna mostram a preocupação dele com os vários movimentos que marcaram a história da produção artística através dos séculos.
Reprodução da obra Journey to The Past, de Ferjó, que sintetiza a sua produção.

          FORMAS ORGÂNICAS  DE ARMANDO COELHO

O artista Armando Coelho, natural de Goiânia, está com seus trabalhos na Galeria Acbeu. Utilizando um material que vem causando sérios problemas na juventude, especialmente a carente, ele realizou uma pesquisa sobre a cola de sapateiro para fazer arte. O resultado são conjuntos de formas orgânicas, que revelam a preocupação do artista com a estética e com a indagação visual, abrindo espaço para a percepção sensorial do público. A mostra, que pode ser visitada de segunda a sexta, das 9 às 21 horas, e aos sábados, das 14 às 21 horas, permanece na Galeria Acbeu até o dia 20 de setembro vindouro. A técnica utilizada pelo artista consiste na secagem da cola em superfícies planas de vidro, resultando em “peles” destacadas e, em seguida, manuseadas. Ao todo, são sete peças, produzidas entre 1998 e 1999, que mostram como a agressividade de uma textura pode se acalmar no decorrer de uma composição e criar objetos capazes de gerar conforto estético. As cores obtidas ficam entre o amarelo-ouro e o amarelo-envelhecido, o que chama a atenção para a existência de uma história impregnada na vida do material.
Entre os objetos que serão apresentados, apenas um deles, intitulado “#######”, é inédito. Os demais, já foram expostos pelo artista em São Paulo e Goiás.

       CERÂMICAS DE YELVA RIBEIRO
Pinturas em cerâmicas, peças em metal (alumínio), telhas e quadros da artesã Yelva Maria Braga Ribeiro estão em exposição, até o dia 9 de setembro que vem, no Shopping Sumaré. A mostra pode ser visitada no horário de funcionamento do shopping, das 9 às 20 horas. A artesã começou suas atividades há dois anos. Depois de ter cursado duas universidade, teve a idéia de transformar utensílios domésticos, especialmente as panelas, “que só viviam enfurnadas na cozinha”, e levá-las a passear por outros cantos da casa. “Peguei uma a uma e, sem nem saber como, fui experimentando materiais que me levassem a trabalhar sobre elas”, ressalta a artesã. As peças foram transformadas em belos objetos de arte.
Jarra e canecas pintadas, da artesã Yelva Ribeiro, em mostra no shopping Sumaré.