domingo, 12 de agosto de 2012

VISUAIS - DECORAÇÃO DESAGRADA ARTISTAS - 20 DE FEVEREIRO DE - 2001


JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2001

                    DECORAÇÃO DESAGRADA ARTISTAS

A Associação dos Artistas Plásticos Modernos da Bahia, instituição de utilidade pública segundo Lei Municipal nº 4.091 de 22 de dezembro de 1992, representante de segmento dos mais ativos na área cultural desta terra, vem externar sua indignação com o descaso com a decoração do Carnaval de Salvador.
Nosso Carnaval sempre foi, por tradição, a maior festa popular que temos conhecimento.A família baiana dirigia-se para a Avenida Sete no intuito de ver os mascarados, os blocos, a decoração e os trios. O sucesso desta festa atravessou fronteiras e agigantou-se, necessitando de uma infra-estrutura também de grande porte.
Em nome da profissionalização do carnaval, criou-se a Casa do Carnaval, depois um conselho e, quem sabe, brevemente, um concílio sobre o comando de Dra. Eliana Dumet, a Emtursa deturpou o que seria profissionalização do Carnaval e rendeu-se à privatização do mesmo.
Hoje, o que vemos é um Carnaval de blocos (já com truste implantado), onde mil cordeiros ou trogloditas, em cada bloco, empurram, agridem e transgridem toda a filosofia do convívio com o folião pipoca que, com certeza, é a população da cidade misturada aos turistas e visitantes de nosso Carnaval, fazendo com que fique clara a defesa da “Galinha dos ovos de ouro “ de alguns donos de blocos contra toda a população fora das cordas.
O resto do Carnaval é visto com desdém por nossa Prefeitura, por meio da Emtursa e da Sra. Eliana Dumet.
A decoração é o emolduramento de uma grande festa, permitindo com isto a venda desta imagem para todos os cantos do mundo.
É preciso que a Prefeitura busque profissionais bem-intencionados para tratar das coisas públicas, respeitando sua população, a história e os costumes da mesma, bem como os profissionais de artes plásticas e demais segmentos , com concorrência pública, lisura e objetivos mais coerentes com a filosofia de uma Salvador democrática e berço da cultura deste País”.
Esta carta, assinada pela associação que congrega os artistas baianos, representa o sentimento de muita gente, embora a maioria dessas pessoas não tenha a coragem de expressar publicamente seu descontentamento. Já critiquei por vários anos a forma como a decoração é escolhida e os organizadores do Carnaval sempre fizeram ouvidos de mercadores. Espero que o Ministério Público apure o que vem ocorrendo.

              DESIGNER LANÇA CAIXINHAS DE ARTE

Caixinhas de Arte - esta é a novidade que o artista plástico e designer Alfredo Gama está lançando. Ele produziu uma série de pequenas caixas que guardam cartas com desenhos de figuras humanas e muitas cores, juntando a criação artística como prazer lúdico. Ao se combinarem entre si, as cartas podem resultar em jogos de quebra-cabeças e de memória, ou quadros emolduráveis. O projeto também inclui a reafirmação de uma mensagem humanística: “Cada caixa simboliza uma família” – explica Alfredo. “Tentamos lembrar a importância dos relacionamentos entre as pessoas, da união de raças, da interação cultural, na sociedade contemporânea. Precisamos resgatar estes valores”. A Art in Box pode ser encontrada em bancas de revistas e livrarias.
Reprodução da obra de Alfredo Gama que lembra os brinquedos criativos de armar.