domingo, 12 de agosto de 2012

VISUAIS - CONFIGURAÇÕES DE FERNANDO FREITAS PINTO - 9 DE JANEIRO DE - 2001



JORNAL A TARDE, SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 9 DE JANEIRO DE 2001.

       CONFIGURAÇÕES DE FERNANDO FREITAS PINTO

No próximo dia 12, às 20 horas, o pintor Fernando Freitas Pinto estará abrindo exposição, com cerca de 40 obras, no Conjunto Cultural da CEF, que funciona na rua Carlos Gomes. Intitulada Configurações - Forma e Conteúdo, a mostra reúne obras de algumas fases do pintor, ou seja, um apanhado do que ele produziu na última década, explorando quatro temáticas recorrentes ao longo deste período: potes, ressaltando a forma e a cor; potes em transparência com geometrismo; telas da série Berimbau Sim, Berimbau Não, e as telas recentes retratando tramas que também nos remetem à cultura popular da Bahia. Lembra o pintor e professor da Escola de Belas Artes Fernando Pinto que “o trançado está presente na cultura dos mais diferentes povos, inclusive no Brasil, onde podemos encontrar nas feiras livres de todo o país. É um dos símbolos dacapacidade manual do homem e tem na sua forma de construção um desenvolvimento rítmico, harmonioso e de estrutura equilibrada”. Fernando é conhecido da crítica e do público baiano, pois já fez 114 exposições individuais e coletivas, além de participações em salões e bienais aqui e fora do País.
Reprodução da foto do pintor Fernando Freitas Pinto com uma de suas obras.

                                            JORGE AMARO NO PELOURINHO

O artista Jorge Amaro está expondo no Centro de Memória e Cultura dos Correios, no Largo do Pelourinho.Tenho particularmente interesse pelas pessoas que voltam seu olhar para as coisas simples. O cotidiano, particularmente, que muitos teimam em não prestar atenção, embora necessariamente estejam inseridos nele, tem um rico arcabouço que deve ser explorado pelos artistas. Do simples, pode sair uma coisa genial.
Basta ter talento, sensibilidade e voltar o olhar. Jorge Amaro, como um artista solitário, vai captando com o seu pincel cenas do cotidiano. Os homens revirando latões de lixo, o bêbado deitado nas escadarias de um prédio e portal imponentes. Este olhar crítico e profundo sobre o cotidiano é retratado em ambientes com cores escuras, enquanto os personagens têm cores mais vibrantes. Para os que não sabem Jorge Amaro, é uma espécie de promotor cultural.Juntamente com Edson Calmon e Jonar Brasileiro ele toca a Escola Caminho das Artes e outros projetos inseridos na área editorial.
Reprodução da obra de Jorge Amaro onde retrata uma cena comum das cidades brasileiras.

                                                         GRAVURA BRASILEIRA

Quero aqui registrar o profissionalismo das pessoas encarregadas do projeto desenvolvido sob o patrocínio o Instituto  Itaú Cultural, que fez um inventário de um dos gêneros da arte brasileira:
Gravura - Arte Brasileira do Século XX. Neste belo trabalho foi feito um levantamento dos maiores gravadores nacionais, começando pelos pioneiros Goeldi, Lasar Segall e Lívio Abramo e enfocando ainda as obras de Hansen Bahia e Emanoel Araújo. Eles utilizaram algumas citações de um texto que escrevi sobre Hansen e, para isso, me pediram autorização. No final, tiveram a delicadeza de enviar, pelo correio, um exemplar do livro. É assim que se dede proceder. Fica aí a lição.