sexta-feira, 10 de agosto de 2012

VISUAIS - SANTE SCALDAFERRI - 18 DE SETEMBRO DE 2001

JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 18 DE SETEMBRO DE 2001



              SANTE SCALDAFERRI
Acabo de receber o catálogo da nova exposição do velho romeiro Sante Scaldaferri. São exatamente cinco anos sem ele realizar uma exposição individual em Salvador. Agora, reaparece com toda a força, expondo 31 trabalhos datados de 1999 a 2001, em que podemos dizer que Sante vem evoluindo com sua arte. Os personagens apresentam movimentos e sobressai também a riqueza dos detalhes dos elementos que circulam as figuras.
Sante afirma que esta fase começou em meados de 1966 e continua até hoje, quando ressurgem os objetos da arte popular ( bonecas de pano), dos quais ele se apropriara em fases anteriores, mas os ex-votos também continuam presentes e são referência da arte que ele produz. Calçado numa temática regional, o artista consegue realizar a obra com uma linguagem universal, integrada ao que existe de novo na arte contemporânea. Quero chamar a atenção para o cuidado que o artista tem quando realiza exposições. O catálogo, embora não seja de muitas páginas, é primoroso, feito com profissionalismo. A Copene adquiriu, para doar ao acervo do Museu de Arte Moderna da Bahia, um Painel de Sante Scaldaferri, que fez parte doa representação brasileira, na 21ª Bienal Internacional de São Paulo. A exposição será próximo dia 25, na Galeria Prova do Artista, a partir das 21 horas.

                                                         SEM TÍTULO

Esta é a primeira exposição individual de Stella Carozzo, aberta ontem, no Espaço Calasans Neto (Uec-Pituba), reunindo uma série de desenhos e que poderá ser vista até o dia 2 de outubro. A italiana foi uma das vencedoras do III Edital Para Ocupação do Espaço Calasans Neto, que premiou cinco artistas com exposições individuais e mais R$ 3 mil em dinheiro. O edital tem o patrocínio da Companhia Hidro-Elétrica do São Francisco (Chesf) e do Fazcultura.
Segundo a artista, o trabalho que está levando para o público é resultado de uma pesquisa que vem sendo desenvolvida desde o início do ano. Ao todo, são 10 obras, oito delas retratando rostos humanos. Para chegar a este resultado, a artista mergulhou numa pesquisa plástica e teórica sobre os processos de evolução e de expressão da consciência do homem. Italiana, residente  na Bahia, Stella usa as mais diferentes técnicas, como grafite, aquarela, pastel a óleo e pastel-seco, através da representação de rostos desenhados com várias camadas de papeis superpostas. Com formação em artes plásticas pela universidade federal da Bahia, Stella já participou de várias exposições coletivas.

                                              BERNADETH CAMPPELLO

A artista Bernadeth Camppello vai apresentar óleos e desenhos a pastel-seco no shopping Malibu, em Vilas do Atlântico, a partir do dia 17. É uma releitura simplificada da forma natural e tem um conteúdo cromático rico e expressivo. Diplomada em artes plásticas pela Ufba, já exerceu a monitoria nas disciplinas de desenho, na Escola de Belas Artes, e, hoje, é professora adjunta. Já participou de mais de 30 coletivas, em salvador e no exterior, além de ter realizado 40 individuais. Podemos dizer que as obras de Campello têm uma forte presença da natureza. Suas linhas curvas lembram longínqua influência do barroco e as sinuosas estão insinuando movimentos suaves, aliados a um cromatismo muito delicado.