domingo, 12 de agosto de 2012

VISUAIS - IVALD GRANATO NA BAHIA - 23 DE JANEIRO DE 2001


 JORNAL A TARDE ,SALVADOR, 23 DE JANEIRO DE 2001.

               IVALD GRANATO NO VENTO LESTE


O carioca Ivald Granato, 51 anos, está expondo, no espaço cultural do restaurante Vento Leste, no Centro de Convenções da Bahia, 54 trabalhos que reúnem técnicas diversas em pintura, desenhos e gravuras, tendo como temática central a etnografia e a iconografia brasileiras e africanas. O artista já esteve em outras oportunidades expondo em Salvador.
Reprodução de obras de Granato onde sobressai o gestual.
Examinando suas obras, vemos uma influência marcante das máscaras africanas, as quais foram também fonte de inspiração de uma fase picassiana. O trabalho primitivo dos africanos tem uma variedade imensa, inclusive estive em alguns museus em Nova Iorque e outro no Canadá e pude sentir de perto o quanto são fortes e belas estas obras de artistas anônimos que trabalham sem a mínima condição, utilizando instrumentos os mais rudimentares.
O crítico Frederico de Morais falando da obra de Granato diz que “tudo está se fazendo ali, diante de nós. Suas figuras carecem de contornos e de definições rígidas, e até a matéria se movimenta com toques e pinceladas rápidas, assim como a cor vai abrindo espaço dentro da própria cor”.
Diria mais que as figuras de Granato parecem querer interagir com as pessoas que se posicionam diante delas. Olhares fixos, expressões fortes, cores cruas. Um conjunto de caras que mexe com nossas emoções que demonstram o quanto a arte dos africanos influencia a pintura contemporânea em vários cantos do mundo.
Com passagens e premiações pelas mais renomadas galerias e bienais ao redor do mundo, a exemplo do Museu de Arte Moderna de São Paulo, I Trienal de Osaka, melhor ilustrador do Ano pela Editora Abril, entre outros, Ivald é considerado como um dos expoentes da gestualidade e da invenção dos ícones.
Duas obras que demonstram também forte influência das máscaras do imaginário africano.
.

                   PAPEL DOS CENTROS CULTURAIS

O Liceu de Artes e Ofícios, esta instituição centenária que vem realizando um trabalho sério e competente, inicia suas atividades este ano com um seminário sobre o Papel dos Centros Culturais na Dinâmica das Cidades. Diz Nelson Issa Lino, superintendente da entidade, numa correspondência enviada a produtores culturais, jornalistas, professores, inclusive a este colunista, que “O objetivo é oferecer aos baianos a oportunidade de conhecer as ações culturais que institutos e fundações, públicos e privados, promovem em diversas cidades brasileiras, as diferentes linhas de atuação e os efeitos no contexto urbano”.
O evento terá lugar no Paço do Saldanha, no próximo dia 25, a partir das 15 horas, abrindo com a palestra de Pedro Archanjo sobre o Centro Cultural Dannemann, seguida das apresentações de Antônio de Pádua Araújo, do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura; De Walter Vasconcelos Junior, do Centro Cultural Banco do Brasil, do Rio de Janeiro, e fechando com Ricardo Ribeboim, do Instituto Cultural Itaú, de São Paulo. Portanto um bom programa para todos aqueles que se interessam pela promoção cultural em nosso estado.