domingo, 12 de agosto de 2012

VISUAIS - CILDO MEIRELES NO MAM-BA- 5 DE MARÇO DE - 2002


JORNAL A ATARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 05 DE MARÇO DE 2002

                A GEOGRAFIA DE UM ARTISTA


A cartografia poética de Cildo Meireles chega ao Museu de Arte Moderna da Bahia, graças ao patrocínio da Petrobrás. A mostra de arte vem sendo saudada como uma das mais importantes dos últimos tempos realizados no País.
Com a exposição Geografia do Brasil, o artista plástico Cildo Meireles, um dos nomes mais respeitados da cena contemporânea nacional, tem expressiva parte de sua produção reunida num mosaico que revela toda a sua inventividade, irreverência e talento para mapear as idiossincrasias de sua terra natal.
 As obras expostas datam de várias décadas, dos anos 60 ao final dos 90, montando um surpreendente painel.
Dados, caixas, cédulas, vassouras, ferramentas, correntes, barras de ferro -  a arte não possui fronteiras nessa criação. Trabalhos dão novo significado a redes de pesca ou mergulham em ícones urbanos como anúncios classificados de jornais.
Reprodução da capa do catálogo da mostra de Cildo Meireles.

                                        DUAS EXPOSIÇÕES

A partir da próxima quinta-feira, O Conjunto Cultural da Caixa Econômica Federal  abrirá duas novas exposições, que ficarão abertas até 05 de abril. Trata-se das individuais do artista carioca, radicado em Brasília, Zéllo Visconti, e da paulista Carol Seller. As mostras poderão ser conferidas pelo público, a partir do dia 8, na Rua Carlos Gomes, 57, Centro, de segunda a sexta-feira das 19 às 17 horas.
Intitulada Esse tal de Zello Visconti - 30 anos de..., a mostra do artista reúne 23 telas em técnica mista, em que ele utiliza desenhos e colagens de tecidos, papéis reciclados e artesanais, guardanapos de papel e objetos variados sobre juta. Os temas sempre passeiam pelos ícones preferidos de Zéllo, que vão desde a cantora de rádio, Marlene, a Marilyn Monroe e Carmem Miranda, passando por índios, futebol, flores, moda e o barroco.
Já Carol Seller apresenta a instalação Via Crucis, formada por 14 caixinhas iluminadas e suspensas por fios, que representam as estações que fazem parte da Via Crucis de Jesus. No centro, uma grande figura masculina de braços abertos e com leve sorriso representa o Cristo universal e, abaixo dele, a artista dispõe pães dos quais o público poderá servir-se.

                                        CARTAZES DE FILMES BRASILEIROS

A Sala de Arte Cine XIV está exibindo, na Praça Cultural do Pelourinho, cartazes de filmes brasileiros, dentro da programação do início de suas atividades. Estão expostas 60 peças selecionadas do acervo do colecionador Hamilton Correia, compreendendo filmes de diversos períodos do cinema nacional, incluindo os do ciclo do cinema baiano, que movimentou a vida cultural do nosso estado na década de 60. Poderão ser apreciados cartazes das películas de Humberto Mauro, das produções da Cinédia, das chanchadas da Atlântida, das obras do “cinema novo”, da Vera Cruz, das comédias de Mazzaroppi, dentre outros.