sexta-feira, 12 de julho de 2013

MARINHAS DE JOSÉ BAHIA

JORNAL A TARDE, SALVADOR,  SÁBADO, 04 DE MAIO DE 1974

José Bahia expõem suas marinhas que refletem um amor profundo pela natureza que tem o mar como a principal fonte de sua inspiração. O pintor consegue com poucas pinceladas transferir para a tela todo o azul e verde das ondas inquietas que se lançam, sobre a areia branca das praias. Sua exposição está aberta ao público na Galeria Panorama a partir do próximo dia 7 de maio.

LEILÃO

Depois de alguns anos, Salvador terá um leilão de arte à altura de seu universo plástico. Será no próximo dia 28 de maio no Clube Bahiano de Tênis, O II Grande Leilão de Obras de Arte da Bahia. Nada menos que duzentos quadros dos mais conhecidos artistas brasileiros serão leiloados e toda sua renda será destinada a conclusão das obras de Volpi, Di Cavalcanti, Djanira, Pancetti, Aldemir Martins, Caribé e Renot estarão à disposição dos amantes das artes.

CARTEMAS DE ALOÍSIO MGALAHÃES

O crítico Clarival Prado Valadares e o estudioso da Língua Portuguesa Antônio Houaiss acabam de definir o que seja Cartema. É uma nova palavra que integrará a linguagem plástica a partir de um trabalho feito pelo artista Aloísio Magalhães que tem como princípio o cartão-postal que, disposto segundo critérios de ritmo e harmonia, forma um conjunto abstrato e essencialmente visual. A linguagem final não é aquela de cada cartão ali disposto e sim uma nova imagem numa só bloco. Por mais desigual que seja o cartão-postal ele forma uma parte do todo que é o Cartema.



EDVAN É MAIS UM PRIMITIVO

A Bahia está cheia de primitivismos e primitivo. Mas certamente alguns são autênticos primitivos. E sem dúvida que Edvan é um autêntico primitivo que busca na sua vivência diária do pincel fazer algo de pessoal. Assim alguns de seus trabalhos com acentos primitivistas, quer pelo otimismo com que transpõe para a forma plástica temas de folclores baiano, quer pela tendência a abstratizar, simbolizando ou alegorizando suas vivências religiosas e seus conhecimento misteriosóficos. E preciso que Edvan atente para a necessidade de criar coisas novas, fugir do folclore, do casario, da temática de candomblé que tanto fascina todos aqueles que desejam ou pintam em nossa Bahia. A sociedade e o universo cultural que nos cercam são muito extenso e daí o artista com sensibilidade pode criar e recriar a vontade sem necessidade de calcar-se no folclore tão comum e tão desgastado. Conhecidos trabalhos de Edvan (Foto) só que pouco me tocam porque na realidade não me apresentam nada de novo. É preciso pesquisar e principalmente conhecer o que vem sendo feito no mundo artístico para que crie alguma coisa válida.


SALÃO DE ARTE - A Aliança Francesa de Salvador está organizando para setembro próximo o Primeiro Salão de Artes Plásticas promovido pela diretoria da entidade e contará com a participação da condessa Geórgio de Benouville diretora da Aliança Francesa na Polônia, que atualmente encontra-se em Salvador. O primeiro prêmio a ser conferido será uma viagem de ida e de volta a Paris.