quinta-feira, 18 de julho de 2013

UM LUGAR PARA O MUSEU DO NEGRO

JORNAL A TARDE, SALVADOR,  SÁBADO, 25 DE MARÇO DE 1978


O prédio no Terreiro de Jesus pode abrigar o museu
Enquanto burocratas discutem o que deve ou não funcionar no velho prédio da antiga Faculdade de Medicina, no Terreiro, a cultura regional está sendo prejudicada com o adiantamento da inauguração do Museu do Negro. Esta entidade seria uma fonte rica de pesquisa e um centro capaz de movimentar a cultura baiana. Mas o saudosismo de alguns reflete um poder a toda prova.
A instalação de um Museu do Negro num prédio onde saíram acadêmicos e ilustres profissionais talvez para alguns burocratas, represente uma profanação. É aquele caso dos que são capazes de adorar uma pedra ou mesmo um símbolo sem significação em detrimento de uma mente saudável ou voltada para a cultura. Essas pessoas vivem apagadas ao saudosismo, que não reflete qualquer progresso e sim prejuízo para a História, devido aos caprichos que deveriam ser extinguidos. O Museu do Negro é muito importante e como tal deve ser visto. É de se perguntar, se aquele velho e mal dividido prédio é digno para receber um acervo tão importante e não levantar dúvidas ou mesmo dificultar a sua instalação ali.
Uma tal comissão que criaram para resolver o impasse ainda não se pronunciou. Já está em tempo de dizer alguma coisa.

INTERESSES
A destinação que será dada às instalações da antiga Faculdade de Medicina da Bahia, no Terreiro de Jesus ainda não está definida, havendo o interesse de várias entidades em se utilizarem das dependências. Segundo a Fundação do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado, o prédio seria ocupado pelo Museu do Negro e outros centros culturais do Estado e da UFba. A Associação Baiana de Medicina, através do seu presidente Antônio Carlos Peçanha Martins, considera que o prédio é um patrimônio histórico do ensino médio do Brasil, e reivindica uma parte das instalações.Estas instalações, segundo ele, "seriam utilizadas para a realização de conclaves científicos, conferências e palestras."
Conforme Carlos Peçanha,"estas atividades não impediriam o funcionamento de outras entidades, e acrescenta: A nossa preocupação é com o valor histórico e com a preservação de uma memória de cerca de 170 anos de ensino médico, completados este ano. A campanha por esta preservação já atinge, segundo ele, a todo o Brasil, e foi encampada pela Associação Médica do Brasil e toa as suas federadas."

Escultura africana que está no Ceao
CONTROVÉRSIA
Os trabalhos de recuperação do prédio da antiga Faculdade que já foi também Colégio dos Jesuítas começaram há quatro anos e depois de um período interrompido, tomaram novo impulso e já estão em fase de conclusão os serviços de pintura da primeira etapa (corpo principal). Segundo a previsão, deverão ser gastos cerca de CR$11 milhões e 825 mil nos trabalhos de recuperação. Inicialmente houve uma controvérsia quanto à utilização das dependências, até que há quatro meses decidiu-se pela utilização como Museu do Negro e outras entidades culturais como o Cerba - Centro de Restauração da Bahia. Há cerca de dois meses o professor José Silveira, numa  entrevista lançou a ideia de se utilizar as instalações colocando ali representação como a Academia de Medicina, Conselho Regional de Medicina, Associação dos Escritores Médicos e a Associação Médica da Bahia.

ATRATIVOS
Outra peça africana que irá para o museu

O presidente da Associação de Medicina faz questão de frisar que esta ocupação seria muito mais do ponto de vista espiritual que mesmo físico. As instalações seriam realmente utilizadas quando da realização de conclaves, congressos e coisas deste tipo. Segundo ele, "a importância do prédio, sua história e tradição agiriam como atrativos a mais para os participantes. Coisas que o Centro de Convenções, por exemplo não poderia oferecer, apesar do maior conforto que já existe."
Além do mais, neste prédio já estudaram, talvez as figuras mais importantes da medicina no Brasil, bastando citar dois nomes: professor Nova Monteiro, da Universidade do Rio de Janeiro e Clementino Fraga, um nome conhecido internacionalmente. E considera que por existirem tantas raízes no Brasil inteiro, não se pode considerar este prédio como uma coisa da classe médica ou do estado da Bahia, mas sim de todo o País.



                     NOVAS IMAGENS DE CRISTO

O cinema vem perdendo terreno para a televisão por questão de comodidade e mesmo porque a TV invade nossas casas. Mas a qualidade dos programas e as imagens chocantes mostradas no vídeo garantem um público certo aos cinemas. Uma prova é que ainda encontramos filas de pessoas que desejam assistir bons filmes. Agora os baianos em plena Semana Santa tiveram oportunidade de assistir um filme polêmico e acima de tudo carregado de uma dose de humano.
Imagem de Cristo Homem, de um diretor filho do país onde saiu a maioria dos papas, a Itália. Imagens belas que talvez provoquem em alguns, as revisões necessárias e reconsiderações sobre determinados aspectos.
Mais uma versão cinematográfica da vida de Cristo está sendo apresentada em Salvador. Trata-se do filme Jesus de Nazaré, de Franco Zeffirelli, onde os personagens são mostrados como seres humanos comuns, e Jesus Cristo menino é um garoto que, como todos, gosta de brincar e de correr. A visão humanista que o autor imprimiu aos personagens vem despertando polêmicas nos países em que o filme já foi exibido, o que há uma natural curiosidade acerca do mesmo.
Embora considere ainda prematura uma opinião sobre Jesus de Nazaré o abade do Mosteiro de São Bento, Dom Timóteo Amoroso, acha importante "a presença de Cristo da cultura, hoje, já que esta cultura, segundo ele, parecia destinada a liquidar o sagrado e entronizar o profano."

PRESENÇA DE CRISTO

Para Dom Timóteo, "a cultura aberta ao secularismo, e voltada para o sagrado, é muito significativa. Embora confesse ter pouco conhecimento sobre o filme de Zefirelli", diz ter lido uma entrevista com o cineasta, onde este afirmava a divindade de Jesus, o que acha bastante válido.
Com relação às versões cinematográficas da vida de Cristo, o abade esclarece que "às vezes a visão de Cristo, nestas produções não corresponde ao Cristo da fé, sendo uma interpretação do artista ou do diretor". Pelo tema abordado nesta produção, ele confessa seu anseio "em assistir ao filme e prefere não aprofundar em considerações sem antes conhecer o enredo."
Sobre filmes baseados em fatos religiosos, diz já ter visto O Evangelho Segundo São Mateus, de Passolini, e declara: "Embora me pareça uma apresentação legítima, não deu muita ênfase ao lado divino de Jesus, mas o seu lado humano foi muito bem mostrado."

                 ADIARAM CONCURSOS DE FOTOS


Vemos  foto pegando a Cidade Alta e Baixa
O Departamento de Cultura da Prefeitura da Cidade do Salvador, resolveu prorrogar até o dia 29 de março o prazo para inscrições do I Concurso de Reportagem Cidade do Salvador tendo em vista os inúmeros pedidos de concorrentes que já estão com seus trabalhos prontos dependendo apenas da publicação nos diversos jornais de Salvador.
Os candidatos ao Concurso de Fotografia Cidade do Salvador que tiveram o prazo prorrogado até o último dia 23 de março, já estão expondo suas fotografias, dando início a semana comemorativa do quadragésimo vigésimo nono aniversário da cidade.
O resultado dos dois concursos será conhecido no próximo dia 30 de março e a entrega dos prêmios será feita às 19 horas do dia 31 no salão nobre da Prefeitura Municipal do Salvador, quando ao lançamento do livro Historiadores Baianos.


              OBRA DE ANTONIO ROCCO

Essencialmente temática , ou seja tendo o tema no cerne de sua problemática, a tela de Antonio Rocco Os Emigrantes, realizada na Itália em 1910, antes da vinda do pintor ao Brasil, nos remete a uma época de profunda crise na recém unificada Itália.
A tela Os Imigrantes, de Antonio Rocco
Pinceladas amplas e gestuais, a denunciar uma liberdade de fartura, distanciam Rocco de uma tendência puramente acadêmica; a opção por tons surdos e soturnos que enfatizam o realismo social claramente visível nesta obra, sem qualquer artifício que pudesse diminuir a sua comunicação do drama humano, a tela Os Imigrantes constitui uma referência  visual familiar tanto na Itália quanto em São Paulo de início do século, com a chegada em massa de imigrantes desejosos de um futuro menos sombrio, mas cujo rompimento com suas raízes sempre significou um momento de opção dramática e aventurosa.
Antonio Rocco chegaria a São Paulo em 1913 aqui se fixando como imigrante , trazendo como bagagem o diploma que obtivera em seu país, na Academia de Belas Artes, de Nápoles, com a obra Os Mineiros, - coleção Raimundo Magliano, São Paulo - da mesma face que Os Imigrantes e de semelhante fatura.
A composição não apresenta quaisquer audácias, sendo que a estruturação ortogonal domina a pintura; aos ritmos verticais dos corpos, contrapõem-se os volumes arredondados dos fardos e trouxas, tendo a obra o seu núcleo, do ponto de vista visual, no grupo humano que se confunde , ao nível cromático, com um céu esmaecido e cinzento.Trabalhada com refinamento, a cor é solucionada pela diferença de valores através de passagens tonais sutis. (Pesquisa)

                             PAINEL
MARIA HELENA - Está expondo na Prefeitura de Itaberaba, no interior do Estado, a pintora Maria Helena da Silva ( M. Helena). É uma artista que vem enfrentando certas dificuldades, tanto em seu próprio lar como fora, para realizar o que deseja. Tem uma vontade forte de vencer e a pintura representa para ela uma manifestação de liberdade. Fez um trabalho calcado na natureza e na realidade social. "Pintar é um encontro comigo mesma. É a expressão da verdade, de minha personalidade", afirma Helena. Filha de Itaberaba, mas residindo atualmente em Salvador, onde frequenta muitos cursos, ela procura cada vez maisconhecer o ser humano que representa o centro e objetivo do seu trabalho.

PRÊMIOS - Recebi correspondência da Associação dos Artistas Plásticos do Distrito Federal sobre o cronograma do V Salão de Inconfidência que será realizado de 19 a 28 de abril próximos. Os interessados podem enviar seus trabalhos até o dia 5 de abril,para a sede da entidade. Serão conferidos muitos prêmios, sendo um Prêmio de Isenção de Júri ( Hors Concours) , Prêmio  de Aquisição ,no valor de Cr$ 22 mil e Medalhas de Ouro, Prata e Bronze, além de Menções Honrosas. Haverão ainda prêmios especiais: troféus da Associação de Artistas Plásticos , Categoria Ouro, Prêmio de Viagem pela Vasp até Manaus, além do Troféu da Associação dos Artistas Plásticos do Distrito Federal e, finalmente, o Prêmio Revelação, ao melhor estreante de Bronze.

MUDOU - A mudança da primeira escolinha de arte fundada no Brasil e responsável pelo Movimento Arte/Educação está causando preocupação entre a intelectualidade. O acadêmico Odylio Costa Filho fez apelo pelo jornal O Globo que diz: "Precisamos da ajuda de todos. Um donativo, grande ou pequeno. A entrada para o quadro de sócios. O apoio de um telefonema, de uma carta, de um artigo de jornal, de uma palavra na televisão. A Escolinha de Arte do Brasil não pode morrer.Ela está deficitária desde que foi obrigada a mudar de local.