domingo, 14 de julho de 2013

IMPRESSIONISMO TEM MOSTRA NA BAHIA

JORNAL A TARDE, SALVADOR,  BAHIA, 27 DE JULHO DE 1974



Ensaio de Ballet no Palco,  Degas  (1834-1917)
Em comemoração ao centenário do Impressionismo a Associação Francesa de Ação Artística deverá apresentar em Salvador de 14 a 23 de agosto uma exposição áudio-visual sobre o Impressionismo. A apresentação do espetáculo é feita pelo Sr. Raymond Cogniat.
Centralizada em seis temas a natureza, a presença humana, o lugar da mulher, o testemunho social, o pitoresco, as aberturas para o futuro, são estas as evocações das principais obras dos grandes mestres do impressionismo que os baianos terão oportunidades de ver.
Depois da mostra Bauhaus que ocorreu recentemente no Museu do Unhão esta mostra sobre o Impressionismo se constituirá em mais um importante acontecimento no setor das artes nos últimos tempos.

CENTENÁRIO

De 15 de abril a 15 de maio de 1874, um grupo de jovens pintores independentes, constituídos em Sociedade Anônima entre os quais se encontravam Monet, Renoir, Pissaro, Sisley, Cézanne, Degas, Guillaumin e Berthe Morisot expôs fora do Salon Officiel no estúdio do fotógrafo Nadan, no Boulevard dos Capucines. Esta mostra provocou escândalo naquela época e o jornalista Lerey, no jornal Le Charivari, qualificou os expositores de Impressionistas, tentando ironizá-los. Esta denominação baseou-se na tela de Monet intitulada Impression Soleil Levant ( Impressão Sol Nascente.) Mas o tiro saiu pela culatra porque os expositores aceitaram o termo e passaram a ser conhecidos como Impressionistas.
Mas o Impressionismo espontâneo dos artistas foi substituído pelo Impressionismo doutrinário dos críticos que tentaram sistematizar o ideal vivo dos pintores.
Os Impressionistas exaltaram a luz do piano estético em ligação com o progresso da ótica e a primazia crescente da visão. Agora vamos aguardar mais esta exposição que chega em boa hora, quando as Artes Plásticas na Bahia ganham impulso.

             ARTE E IMPOSTO

Há poucos dias li um jornal local uma entrevista de um artista plástico de nacionalidade estrangeira onde tecia algumas considerações sobre a cobrança de impostos nas Artes Plásticas, onde apontava que os impostos prejudicavam o desenvolvimento artístico. Agora existe um projeto de autoria do Senador José Sarney, que se aprovado e sancionado, permitirá as pessoas físicas e jurídicas deduzirem do Imposto de Renda as importâncias aplicadas em fins culturais. O projeto vai agora a Comissão de Constituição e Justiça do Senado e de acordo  com o mesmo, considera-se de caráter cultural, desde que comprovadamente aplicadas às importâncias investidas na compras de obras de arte, na edição de livros de arte e patrocínio de edições artísticas. Estas aplicações não poderão ter fins lucrativos. Estabelece ainda o projeto do Senador José Sarney que os jornais e revistas que editarem suplementos de Literatura e Arte poderão deduzir do Imposto de Renda a pagar, o total do custo da respectiva edição, excluída a publicidade neles inserida.

      DESENHOS DE EDSON CALMON

Foi inaugurada no dia 23 passado uma mostra de desenhos de autoria de Edson Calmon, no Icba, na Vitória, São desenhos abstratos. Sem dúvida Edson Calmon é um dos poucos que desenvolveu a arte abstrata na Bahia. Seus desenhos muitas vezes não são bem aceitos por alguns colecionadores que vivem até hoje presos ao academicismo. O professor e artista plástico Juarez Paraíso é quem faz a apresentação de Edson Calmon onde define "o seu trabalho de caráter abstrato geométrico. O equilíbrio dos espaços a relação tencionada entre os cheios e vazios, entre planos e linhas demonstram na opinião de Juarez Paraíso a maturidade do artista e principalmente o seu domínio dos contrastes."

          ÁREA NA BIENAL PAULISTA

Os organizadores da Bienal de São Paulo estão informando que de acordo com o novo Regulamento todas as formas de expressão das Artes Plásticas serão consideradas e que cada artista, poderá utilizar uma área de 25 metros quadrados ou 15 metros lineares. Com esta mudança os organizadores estão procurando estimular a linguagem plástica mais ampla.

NACIONAL DE ARTE MODERNA


O designer Aloísio Magalhães é o terceiro membro da subcomissão Organizadora do XXIII Salão Nacional de Arte Moderna, juntamente com o crítico Edson de Andrade e o escultor Haroldo Barroso. As inscrições estarão abertas até o próximo dia 6 de agosto, no Palácio da Cultura, na Guanabara. A inauguração do salão ocorrerá na segunda semana de agosto.