terça-feira, 9 de julho de 2013

ALMIRO BORGES

JORNAL A TARDE, SALVADOR, SÁBADO, 27 DE NOVEMBRO DE 1976



A simplicidade de Almiro Borges pode ser captada em seus quadros onde surgem os tradicionais pontos de atração da velha Bahia.Mas, o importante na obra de Almiro Borges é que ele recria. É um trabalho de um homem capaz de retirar do nada belas paisagens onde as palafitas e os casarões aparecem vigorosos.
Um contraste onde as palafitas representam a miséria e o casarão é um retrato de uma época de fausto e desperdício. Gosto do trabalho de Almiro Borges como um todo, um conjunto que demonstra a sua preocupação em documentar o que certamente desaparecerá dentro em breve. As palafitas de Alagados estão dando lugar a casinhas de cimento armado, favelinhas mais sofisticadas, e, os casarões aos espigões. Uma mutação que certamente influenciara na obra de Almiro Borges.
Ele está expondo no Clube Bahiano de Tênis alguns trabalhos de sua última fase. Os barcos deitados sobre as águas calmas a azuladas do mar são presença constantes na maioria das telas expostas.

                    ZIVÉ GIUDICE APRESENTADO POR JUAREZ

O professor Juarez Paraíso está apresentando o seu aluno Zivé Giudice, quando escreveu "fruto de uma sociedade cada vez mais egoísta e voltada para os valores materiais, o homem torna-se cada vez mais solitário. Solitário por descriminação. O clima dos seus trabalhos deixa transparecer esta solidão."
Concordo em parte com as afirmações de Juarez, mas acredito que o trabalho de Zivé está mais cheio de agressão quando ele parte para a desintegração das figuras humanas. Talvez uma agressão que reflete uma autodefesa. São trabalhos expressivos. Em alguns notamos o principiante, principalmente na escolha das cores.
Os trabalhos onde existe a predominância da cor azul são ao meu ver os mais qualificados. Não que  tenha preferência pela tom azul ou amarelo, mas pelas composições e pelo que representam. Existe também no trabalho de Zivé uma unidade formal, e, isto é muito importante para um jovem talentoso. O resto é continuar pintando e criando sem a preocupação de agredir. A agressão gratuita pode resultar no empobrecimento de uma obra.Os exemplos estão aí.

O PÔR DO SOL

Uma cena comum e sempre admirada é o pôr do sol. É difícil uma pessoa sensível que não lembre um certo pôr do sol, e, a Bahia, então, apresenta cenas belíssimas. Também lá nos states existe pôr do sol e bonito. É o caso deste que foi documentado pegando o famoso Gateway Arch, em St. Louis. Este é o mais alto monumento americano com 192 metros e todas as tardes serve de moldura para ás águas do Mississipe. O monumento é outra beleza à parte e muito visitado em seu interior onde pequenas viaturas transportam os visitantes até seu topo.
St. Louis era conhecida como portal (Gateway) para o Oeste nos inesquecíveis tempos do pioneirismo.

                           O SONHO DE WALESKA

O nome lembra algo ligado com o meio artístico Waleska é uma arquiteta conhecida dos baianos, pois participou da Bienal Nacional da Bahia, da Bienal Internacional de São Paulo, do Salão Nacional de Brasília, Salão Paranaense de Belas Artes, entre outros salões. Também recebeu o primeiro prêmio de Desenho e Menção Honrosa de Pintura no Salão da Faculdade Nacional de Arquitetura. Agora ela está expondo no Centro de Pesquisa e Arte, em Ipanema no Rio de Janeiro. Existe uma unidade na obra desta artista que pinta fazendo poemas. Cria um mundo mágico, um mundo seu, dando idéias aos incautos que não maneja bem o desenho ou não tem segurança no pincel. Trata-se no entanto de um quase exercício proposital feito dentro de um colorido vindo do nada. As reproduções de seus desenhos são necessárias para aquilatarmos a qualidade da sua obra que é feita com uma consciência de quem conhece a técnica.
E como ela mesmo afirma em seus poemas meu sonho, só que as cores existem neste sonho rico de Waleska.

                        PAINEL

MORREU MAN RAY- Morreu Man Ray um dos fundadores do dadaísmo e do surrealismo, que culminaram nas formas artísticas de hoje, especialmente a arte pop e op. Nascido em Filadélfia em 1890, iniciou sua carreira como profissional da fotografia numa firam de publicidade. Em 1915 juntamente com o Marcel Duchahmp com o trabalho Nu descendo por uma escada fundaram o dadaísmo. Este trabalho provocara uma grande escândalo da Exposição de Nova Iorque de 1913. Ray foi pintor, fotógrafo e escultor, e, morreu aos 86 anos em seu estúdio parisiense.

ENVOLVIMENTO- Os artistas Aderbal Rodrigues e Eduardo Carvalho estão juntos inaugurando a Galeria Envolvimento no Hotel do Pelourinho. Aderbal busca o surrealismo com apresentação de figuras agressivas desproporcionais.

SÃO PAULO X COLONIAL- encontra-se em Paris para organizar a primeira mostra de Arte Colonial brasileira o secretário Max Feffer, da Cultura, Ciência e Tecnologia, de São Paulo.
Serão expostos trabalhos em esculturas, móveis, pratarias e jóias de janeiro até outubro do próximo ano. E a Bahia.

TAÍ GOSTEI- Nininho é um personagem anônimo e agressivo. Tai gostei da sugestão. Realmente é duro o catálogo da fundação.

SÔNIA ANDRADE- uma nova artista desponta no cenário nacional. Trata-se de Sônia Andrade que está expondo na chamada área experimental do MAM, Rio.