domingo, 14 de julho de 2013

ITAMAR ESPINHEIRA EXPÕE NO BAHIANO DE TENIS

JORNAL A TARDE , SALVADOR, SÁBADO, 31 DE AGOSTO DE 1974


Itamar Espinheira satisfeito com
a sua produção atual
 Há 15 anos que Itamar Espinheira vem dedicando-se à pintura com muito amor e principalmente com seriedade.Itamar é sem dúvida um dos mais conceituados artistas plásticos da Bahia.É um  homem calado e que não faz concessões. Sua pintura nasce de uma espontaneidade do seu caráter. A espátula é seu instrumento de trabalho preferido. Foi dentro desta visão que ele reuniu trinta trabalhos que estão expostos desde a semana passada no Clube Baiano de Tênis. Sua pintura não se enquadra em nenhum estilo porque ela é muito pessoal. Ele consegue uma bela composição cromática com a utilização de espátulas que variam de tamanho á medida que trabalha espaços maiores ou menores.
Muitos de seus quadros espalhados por todo o País servem para o estudo e documentação de alguns monumentos históricos que o desleixo vem relegando ao abandono e que a cada dia vão sendo destruídos. Os Alagados que também serve de inspiração para outro grande pintor o Jenner Augusto, é um tema onde ele realiza trabalhos excelentes. Seus trabalhos sobre Alagados são carregados de cores escuras, as águas paradas e apodrecidas onde vivem milhares de pessoas ganham nova dimensão na pintura de Itamar que consegue captar e retratar todo aquele sofrimento. Um fato curioso é que embora pinte Alagados a figura humana dificilmente aparece em suas telas.
Natural de Amargosa o pintor Itamar Espinheira vive exclusivamente de sua arte. Veio para Salvador ainda jovem entrando para a Escola de Belas Artes.Aqui impressionou-se pelos Alagados porque em sua opinião o fato de gostar muito de pintar os Alagados, tem relação com o sentimento de libertação que a área desperta no artista, dando melhor oportunidade a que ele crie e não se prenda apenas ao que vê.
Itamar fez exposições individuais na Biblioteca Pública (1965), na Galeria Le Dome (1965), na Galeria Panorama (1968), no Clube Português da Bahia em (1969) além de ter participado de quase uma dezena de coletivas.

ARTE BAIANA 74

A Galeria O Cavalete  promoverá no próximo dia 13 de setembro uma exposição coletiva reunindo trabalhos de Carlos Bastos, Carl Brussel, Caribé, Fernando Coelho, Lígia Milton, Luiz Jasmim, Jenner Augusto, J. Cunha, J. Hora, Mirabeau Sampaio, Leonardo Alencar, Reécala e Sante Scaldaferri.

FOTOGRAFIAS

Desde o último dia 26 que Rosa Barreto está expondo 23 fotografias, fotomontagens e 100 slides coloridos no Teatro da Gamboa. São fotos de estruturas de areia,esteiras nordestinas em módulos que usados conjugadamente criam uma ambientação especial.

COLETIVA
 
Em benefício de sua obra social, o Lions Clube Minas Gerais vai patrocinar uma exposição coletiva de trabalhos de Kennedy, Ângelo, Cholo, Dennis e Lourdes Lima (foto). Serão mostrados 50 trabalhos e parte da venda será destinada a Casa Nossa Senhora de Fátima, uma instituição de amparo à velhice.


BIENAL

Foram indicados 65 artistas para figurar no setor Histórico Didático da Mostra da Gravura Brasileira que vai englobar os principais momentos da criação da gravura no País. Entre eles figuram os baianos Emanoel Araújo, Hansen Bahia (alemão de nascimento e baiano de coração por outro lado.)
Várias mostras estaduais já foram e estão sendo montadas. De acordo com a programação da Fundação Bienal de São Paulo a Mostra Estadual da Bahia será inaugurada no dia 31 de agosto no Solar do Unhão.