quarta-feira, 10 de julho de 2013

BAUHAUS NO MUSEU DE ARTE DA BAHIA

JORNAL A TARDE, SALVADOR,  SÁBADO 05 DE JUNHO DE 1974


 De tempos em tempos o presente mostra uma crescente afinidade com certas épocas do passado. Um motivo para isto poderia ser o fato de que imaginações semelhantes conseguiram validade tanto no passado como no presente. Estas duas faces iniciais inseridas no sistema de som e imagem da exposição Bauhaus que está exposta até o dia 02 de junho no Museu de Arte Moderna da Bahia, no Solar do  Unhão definem um importante movimento que teve origem na cidade de Weimar. Coube a Walter Gropius estabelecer em Weimar a Bauhaus estadual.
Como todo movimento de renovação, foi  perseguido pela polícia, 32 estudantes foram presos e lacradas suas incipientes dependências. Mas seus idealizadores continuaram até o fim da Primeira República Alemã. Durou apenas 14 anos, mas seus frutos são, ainda hoje, colhidos em vários países tanto do mundo ocidental como oriental.
O professor Detlef Noac, que ora se encontra em Salvador dando um curso de História da Arte para pós-graduados disse que  "a Bauhaus foi um movimento de grande importância. Seus fundadores tinham a preocupação, no decorrer de seu desenvolvimento, de atingir a todos os setores das artes. Ela vale como um acontecimento singular, épico, histórico e cultural. Não podemos fazer um paralelo entre a Bauhaus e o Movimento Modernista de 1922, no Brasil.Creio que a Bauhaus teve maior impacto e maior importância."
Percorri com o professor Detlef Noac os dois pavimentos onde estão expostos vários trabalhos inspirados na Bauhaus. A cada objeto o professor Noac fornecia-me as necessárias explicações e ficava a pensar no grande avanço dado pelo pessoal da Bauhaus. Pude verificar que poltronas de linhas moderníssimas foram projetadas em 1922. Isto é fantástico! Passamos a visitar os painéis onde está a parte dedicada à Arquitetura e notamos que muitos prédios projetados em 1925 nada devem a prédios construídos no corrente ano, no que diz respeito a linhas arrojadas. Os objetos e pinturas ali expostos não são os originais que foram expostos em Stuttgart e Londres. Mas ,certamente da Bauhaus onde notamos a sua exemplar estrutura pedagógica, desde a apresentação de múltiplas formulações no campo teórico, artístico e aplicado, de forma tal que leva o visitante a discussões e considerações que devem ser  aprofundadas.

ROBERTO MORVAN EXPÕE EM BOTAFOGO
 
 Roberto Morvan diante de alguns de seus trabalhos
Trinta trabalhos de Roberto Morvan serão expostos na Galeria Grupo B, em Botafogo, na Guanabara. Embora tenha começado a expor em 1964, em Porto Alegre, Morvan é um artista amadurecido e de uma técnica apurada.
A cor, textura e grafismo são as preocupações constantes do pintor na execução de seus trabalhos, dentro de uma técnica abstracionista.

Morvan é um artista que tem consciência de que realiza um bom trabalho, mas permanece humilde, uma característica de sua personalidade. Quando fala de seus trabalhos levanta dúvidas de sua importância. Vejamos : " muitas vezes deve o artista perguntar a si mesmo, se sua obra não terá valor a não ser para ele próprio. Mas para todos aqueles que vivem e gostam das artes".