quarta-feira, 10 de julho de 2013

EDUARDO CARVALHO - O EDU

JORNAL A TARDE , SALVADOR, SÁBADO, 23 DE FEVEREIRO DE 1974

EDU

Edu era um colega da redação deste jornal. Um artista de mão cheia.
Formado pela Escola de Belas Artes, estava preparando alguns trabalhos para sua primeira exposição individual. Mas Edu partiu. Sim ele partiu levando consigo um grande sonho que não conseguiu realizar. O que importa é que todos sabemos como era grande o seu talento. Os desenhos solicitados pelas editoriais de A Tarde, as charges e caricaturas que fazia espontaneamente para glosar seus colegas, e principalmente mostrava aos mais chegados, falam melhor.
Estava digitando as fotos do meu arquivo de artistas, que passaram pela Bahia e, registrei na coluna Artes Visuais , quando no meio delas encontrei este desenho de Edu, feito em 1974.

MULHERES

Sem dúvida as mulheres figuram numa das mais importantes fases do Impressionista Renoir. Agora uma editora mostra o impressionismo de Renoir, com sua busca do realismo da natureza, das cores verdadeiras das pessoas e coisas.
Renoir em seu retiro de Las Colletes, à beira do Mediterrâneo, imitou os gregos antigos, para os quais a terra era o paraíso dos deuses. Dizia ele" é tão bonito, pintar mãos femininas, mas mãos que se dedicam ao trabalho doméstico".Na Foto La Casa de Colletes en Cagnes.

TAPETES

Está aberta ao público a exposição de tapetes de Iracy Gentil, que além de tapeçaria é poetisa.
Ela é esposa do tapeceiro italiano Franco Gentili.
Estão expostos 32 trabalhos, todos com a marca da influência tropicalista. Esta exposição ficará aberta até março no saguão do Grande Hotel da Barra.

ORIXÁS DE JOSELITO DUQUE NA LOTEBA

O pintor Joselito Duque, responsável pelos desenhos da série Orixás dos bilhetes  da Loteba continua pintando em seu atelier na Boca do Rio. Joselito começou trabalhando em desenhos publicitários, e hoje é um dos artistas mais solicitados. Seu traço é inconfundível e os Orixás desenhados por ele tem uma movimentação especial. Sua técnica pictórica é apurada e ele pesquisa diariamente tudo que diz respeito ao afro-brasileiro.

MAR PINTADO POR DORIVAL CAYMMI
Uma paixão eterna na vida de Caymmi é o mar. Canta e pinta a beleza dos rochedos inertes e das ondas inquietas. Transforma a calma e inquietude do mar em melodias suaves e paisagens paradisíacas. Caymmi é paz.
Caymmi é só poesia. Já pintou mais de cem quadros e alguns estão expostos numa galeria na Guanabara. Afirmou recentemente na realidade sou como meus personagens de músicas e dos meus quadros: um  misto do real e da fantasia. É com esta simplicidade nata que pinta o mar, para ele a síntese de tudo.



              JENNER PINTANDO ALAGADOS

A beleza desta obra com predominância de tom avermelhado

Quando falamos em Alagados imediatamente pensamos em Jenner Augusto, este artista sergipano-baiano que tão bem sabe transformar a miséria daquela comunidade em poesia, Jenner é um pintor amadurecido que passou pelo abstracionismo quando este estava no apogeu. E depois volta ao figurativismo com mais força fixando as paisagens baianas com suas cores tropicais.
O seu amigo Jorge Amado certa vez escreveu : "Para fazer um quadro assim tão belo./A receita, senhoras e senhores vos ensino./Alvas areias altas dunas casario antigo/ o pássaro sofrê os retorcidos santos,/ A humildade e orgulho a dura consciência...,/ Embora uma artista pronto Jenner até hoje é humilde em tudo que fala e faz."
Jenner com uma obra daquele período
É uma das mais importantes expressões dentro do cenário artístico nacional. Vem passando por várias fases sempre apurando o seu traço inconfundível.Jenner nasceu em 1924 na cidade de Aracaju, Sergipe. Mas é em 1937 que trabalhando começa sua carreira profissional como artista. Em seguida passou a pintar cenários no teatro. E em 1945 faz sua primeira exposição individual, quando vendeu apenas um quadro por Cr$60,00. Assim o novo artista vinha trilhando aos poucos os caminhos em busca de sucesso. Em 1949 transfere-se para Salvador vindo trabalhar no atelier de Mário Cravo. Em 1952 faz sua primeira exposição individual em Salvador na então Galeria Oxumaré. Em 1954 ganha o prêmio do V Salão Baiano, uma promoção da Universidade Federal da Bahia. Daí em diante as exposições e os prêmios se sucedem.
Este ano Jenner completa 50 anos de idade, dos quais grande parte dedicados à pintura. Seus quadros que inspiram a meditação representam a expressão do pitoresco urbano, como é o caso de Alagados. Mas Jenner não é só Alagados. Agora acaba de pintar um excelente quadro onde mostra um modelo de costas.
Amigos do pintor sob o comando de Jorge Amado estão programando uma retrospectiva de seus trabalhos para o próximo 10 de julho, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Serão expostos cerca de 300 trabalhos mostrando todas as fases do artista. Na obra com 100 ilustrações entre desenhos e fotos.

CALASANS NETO E SUAS CABRAS

Calá sendo recepcionado nos EUA
As famosas cabras de sua autoria
O mestre Calá Calasans Neto pretende ilustrar um novo álbum baseado, em parte, em sua recente viagem a convite do Governo americano para conhecer aquele país, aproveitou para coligir impressões sobre àquela sociedade. O texto do livro será escrito por Vinícius de Moraes, que comunga com ele a paz da rua das Amoreiras, em Itapuã. Um detalhe é que o álbum Das Cabras por sinal, o que mais gosto, já está incluído na coleção da Biblioteca do Congresso, de Washington.

ESPIRIDIÃO MATTOS

Quem transita pela Avenida Joana Angélica, logo após o Campo da Pólvora, é despertado para uma casa de estilo colonial onde estão expostos dezenas de quadros. É ali que reside o pintor Espiridião Mattos. Ele foi aluno de Presciliano Silva e seus trabalhos são acadêmicos. Constantemente está viajando para retratar velhos casarios ou paisagens. Agora seguirá para Porto Seguro onde vai desenhar para em seguida voltar a Salvador e passar para as telas.