domingo, 24 de março de 2013

MARIA ADAIR - 18 DE AGOSTO DE 1979


JORNAL A TARDE , SALVADOR, 18 DE AGOSTO DE 1979

   MARIA ADAIR EXPÕE EM VITÓRIA DA CONQUISTA


A artista Maria Adair está expondo em Vitória da Conquista na Galeria O Atelier Iniciação Artística alguns de seus últimos trabalhos.
Ela continua desenvolvendo a temática baseada na vida vegetal e animal com contornos e cores ora esmaecidos, ora fortes mostrando todo o palpitar das células. Adair é uma apaixonada pelos volumes imaginários que compõem os corpos vegetais e animais. Vibra como as palpitações dos corpos e assim vai construindo sua obra.
Tem acima de tudo uma vontade ferrenha em produzir cada vez melhor, e agora deixou uma de suas ocupações, como professora de arte, para se dedicar a sua obra pictórica.
.
  OITO ARTISTAS MOSTRAM SUA ARTE EM JOÃO PESSOA

Oito artistas baianos participaram de uma exposição que terminou no último dia 12 do corrente, na Visual Galeria de Arte, do Hotel Tambaú, em João Pessoa, na Paraíba.
O grupo, composto de Clara O. Sousa, Else Matos, Ernani Gusmão, Graça Lúcia, Ione Passos, Terezinha Lima e Waldelice Pinkus, pertence a um movimento de arte ligado à Escola de Belas Artes da Universidade da Bahia.
Os trabalhos apresentados tiveram boa aceitação de todos aqueles que visitaram o Salão.
Para a integrante do grupo Waldelice Pinkus “ a verdade do artista está no conteúdo de sua arte que ela procura expressar quando mostra em seus trabalhos, o drama social entre o homem e o meio. "

              A CAMINHADA DE EDUARDO CARVALHO 

A Galeria de Arte O Cavalete está comunicando a exposição do artista Eduardo Carvalho no dia 31 de agosto. Artista baiano, desde o ano de 1967, Eduardo Carvalho iniciou uma caminhada por todo o território nacional, tendo realizado no Rio de Janeiro 12 exposições, além de duas nos Estados Unidos, sendo uma em New York e outra na Pensilvânia. São Paulo, Bahia e Sergipe já conhece o seu trabalho.
Quem apresenta Eduardo Carvalho nesta individual é Jorge Amado, que quando fala da inquieta realidade de Eduardo analisa as hieráticas figuras dos encantados e aconselha que não esqueçamos deste nome pois muito ouviremos falar de Eduardo e sua arte.
Dia 31 de agosto às 21 horas, com coquetel e a Galeria O Cavalete estará mostrando a valiosa obra de Eduardo Carvalho.

CÉSAR ROMERO TEM EXPOSIÇÃO EM BRASÍLIA

Na Parnaso Galeria de Arte ,Comercial Norte, 302, B-1.E – sub-solo 17, Brasília, DF; individual do artista plástico baiano César Romero, composta de 20 telas de sua mais recente fase. César Romero iniciou-se em pintura em 1967, já tendo realizado mais de 60 exposições entre coletivas e individuais.
Seu trabalho atual aborda as situações cotidianas em que vive o homem moderno: a angústia contemporânea, os conflitos internos, a solidão, numa linguagem simbólica e intimista. As cores tem um papel preponderante, observa, cuidadosamente, o efeito que a luz confere aos vários campos de espaço e de cor, dando movimento e certo jogo de elasticidade ao jogo pictórico.
O nome da mostra: Atmos Mais Feras, e o artista escreve em seu catálogo : e uma vez me perguntaram o que seriam estas paisagens. Não vacilei: são paisagens de mim. Um retrato de mim, um espelho. As vezes, fico longamente a olhá-las e sou eu quem me olha dentro delas. A mesma simetria e assimetria do que vivo.”
-“Vejo minha pintura de hoje como meu achado, o isolamento quase absoluto, a rigidez de minha construção, a intensa busca, de uma atmosfera respirável, de um existencial próprio.
Vejo nos símbolos às vezes repetidos, intensamente coloridos, decifráveis ou não, a busca íntima de uma alegria durável e contido no extremo vazio, o maior abandono e o tempo contábil, indivisível.
Tanto constatei! Busco descobrir a atmosferas , o espaço entre dois desejos. Retratar atmosferas em que se situa, esta angústia contemporânea. Os símbolos decifrem vocês ou não.”

                           CURSO DE GRAVURA EM METAIS

         
A Escola de Belas Artes da Ufba da vai patrocinar um curso de Gravura em Metais, ministrado pelo professor Michael Walker , estando as matrículas abertas na secretaria da Escola. O professor Michael Walker é paulista, mas foi criado desde a infância na Inglaterra e na Suíça. Regressou ao Brasil, há três anos e ainda fala o Português com forte sotaque inglês. Aprendeu a técnica de Gravura em metais na Suíça, onde fez várias exposições.
PROGRAMA
O professor Michael Walker diz que seu curso é aberto para qualquer pessoa que se interesse, não sendo necessário ser aluno da Escola. Será iniciado, quando tiver 155 pessoas inscritas, número máximo que permite de inscrição . A duração será de dois meses com aulas às segundas. Terças e quartas-feiras ,a partir das 16 horas.
Os que concluírem receberão certificado, porque é um Curso de Extensão Universitária.
No primeiro mês ensinará a História e Desenvolvimento da Gravura em Metais, suas técnicas mais atuais, a preparação dos metais quase sempre cobre ou zinco, aplicação dos conceitos,m preparação dos papéis e água tinta, etc.
No segundo mês cada aluno terá que preparar dois trabalhos.Tudo que foi ensinado vai ter que executar sob sua orientação direta. Será um curso teórico e prático, sobretudo prático.

    NOTÍCIAS DA BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO

Brasileiros Indicados III Resumo dos Históricos sobre a Vida e Obra dos 15 Artistas Brasileiros, indicados pela ABCA, que participarão da V Bienal Internacional de São Paulo:
AMÍLCAR DE CASTRO -  integrante do neo concretismo, o escultor Amilcar de Castro faz da obra uma das característica do seu trabalho. Nascido em Minas Gerias , foi neste estado que adquiriu a influência do ferro, material muito utilizado em suas esculturas. Mais tarde, voltou a desenhar e a pintar e, segundo disse, a partir do desenho livre procura criar espaços novos, com a intenção de unir o desenho, a pintura e a escultura em um só objeto. Expôs em várias mostras nacional, como a II e a VI Bienais de São Paulo. Também expôs em New York, cidade em que morou vários anos e tem uma obra no acervo do Metropolitan Museum.
JOÂO CÂMARA FILHO – Nascido na Paraíba, mas residindo há muitos anos em Recife, o pintor, desenhista e gravador João Câmara iniciou sua carreira nas artes plásticas aos 15 anos. Seu tema principal é a figura humana , para ele um elemento social claro, através da qual pode-se identificar políticos conhecidos. A partir de 1961, quando começou a expor João Câmara esteve presente em mostras nacionais e estrangeiras. A X Bienal de São Paulo, o Salão nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro e a V Bienal Gráfica de Arte, em Florença, entre outras. Câmara, em suas mostras, recebeu vários prêmios, dentre os quais se destaca o Grande Prêmio do IV Salão de Arte de Brasília.