sábado, 30 de março de 2013

JENNER AUGUSTO APÓS 19 ANOS - 22 DE SETEMBRO DE 1979


JORNAL A TARDE, SALVADOR, 22 DE SETEMBRO DE 1979

                     JENNER AUGUSTO APÓS 19 ANOS


A exposição que Jenner Augusto inaugurou no último dia 14 na Kattya Galeria de Arte é considerada o maior acontecimento no campo das artes plásticas, na Bahia, neste ano de 1979. Nela, o artista mostra uma série de 22 quadros óleo sobre tela, abordando vários aspectos da orla marítima do Salvador, até então inexplorada pelo pintor que há mais de 30 anos está radicado na Bahia.
Jenner, que durante 19 anos esteve ausente das galerias baianas, apresenta duas razões para esta nona mostra de quadros em Salvador: uma forma de prestar satisfação ao povo da Bahia daquilo que está fazendo e uma maneira de estimular as galerias, que além de proporcionarem um novo tipo de comércio, dão ao público o direito de conhecer e verificar o trabalho de um determinado profissional.

A VISÃO DA ORLA
Após o fechamento da Galeria de Arte Oxumaré, o artista baiano passou a desenvolver sua profissão no atelier de trabalho, o que veio colocar uma certa distância entre ele próprio e o público, afirma Jenner. Na sua opinião, é importante incentivar a manutenção dessas galerias, especialmente daqueles que vêm desenvolvendo uma atividade séria e que se proponha a mostrar não somente o trabalho de profissionais consagrados mas também, desta nova geração de artistas que está surgindo no cenário artístico da Bahia.
Nesta exposição que deverá ser visitada até próximo dia 22, Jenner procura mostrar uma nova visão da paisagem, onde as cores vivas e berrantes foram substituídas pela preocupação com a luz do ambiente, a atmosfera e a cor local. Desta maneira, a tranqüilidade do seu trabalho é refletida através de sua visão para com as praias de Itapuã, Piatã, Placafor, jardim de Alá e até mesmo da Lagoa do Abaeté.
Não houve mudanças significativas naquilo que proponho fazer costuma argumentar Jenner Augusto. A paisagem é mostrada através de uma nova roupagem enquanto que a técnica obedece o mesmo processo e sistema, sempre com o cuidado de selecionar os materiais, usando tintas estrangeiras e telas importantes para melhor segurança do trabalho. Na sua opinião todo artista, para melhor desenvolvimento de sua profissão, deve sempre trabalhar e procurar desenvolver o que vem fazendo, como meio para atingir uma realidade mais próxima de sua própria visão.

     A 15ª BIENAL INTERNACIONAL DE  SÃO PAULO

O cartaz representativo da 15ª Bienal Internacional de São Paulo reúne todos os outros anteriores, representativos das 14 mostras que terão seus premiados novamente em destaque, expondo seus trabalhos mais atuais.
Além dos premiados em mostras anteriores, tantos brasileiros como estrangeiros, a 15ª Bienal mostrará as obras de artistas contemporâneos, indicados para participar desta exposição em seus países de origem. No Brasil, a indicação coube à Associação Brasileira de Critérios de

Arte que, através de seus membros, escolheu o nome de 15 artistas contemporâneos.
A 15ª Bienal Internacional de São Paulo que será realizada no período de 03 de outubro próximo a 9 de dezembro no pavilhão engenheiro Armando de Arruda Pereira, Parque Ibirapuera, poderá contar com a presença de representações de 45 países, a exemplo da Alemanha Federal; Chile, Argélia, China, Guatemala, Honduras, Coréia, Curaçao, Egito, EL Salvador, Indonésia, União Soviética, Venezuela, Uruguai, Ilhas Virgens Britânicas, Romênia, Tailândia, República Dominicana e vários outros que já confirmaram suas presenças.
PRESENÇA LATINA
A embaixada do El Salvador em Brasília, confirmou dias atrás a presença de dois artistas salvadorenhos na XV Bienal Internacional de São Paulo: Alfredo Milian J. e Victor Barriere Martinez, que na opinião do critico Camilo Ninero realiza uma obra banhada de sociedade e que tem caráter, ou seja, não é a pintura de um aficionado ou de um diletante, mas de um verdadeiro artista. Já Alfredo Milian J. que classifica sua obra como parte do movimento expressionista contemporâneo, estará participando da 15ª Bienal com 5 trabalhos gráficos.
Na delegação chilena destaca-se a presença de Marta Colvin, escultora premiada na VIII Bienal realizada em 1965 que estará participando com 5 outros artistas contemporâneos do Chile: Benjamin Lira, Gonzalo Cienfuegos, Benito Rojo, Robinson Mora e Gonzalo Diaz.
Em sua exposição, Marta Colvin estará apresentando cinco esculturas, quatro em pedra e uma em madeira policromada.
O Museo de Bellas Artes de Caracas confirmou a presença da Venezuela na 15ª Bienal Internacional de São Paulo, com a participação de um artista premiado e um contemporâneo. Entre a relação enviada pelo Museo de Bellas Artes daquele país latino, encontra-se nome de Carlos Cruz-Diez que em 1967 foi premiado na IX Bienal de São Paulo. O outro é o pintor Manuel Quintana Castilo que estará representando seu país no setor dos artistas contemporâneos.
Obra do artista americano Leonard Baskin
Quintana Castilo que já recebeu vários prêmios em exposição na Venezuela, nesta 15ª Bienal Internacional de São Paulo estará expondo 18 quadros.
Entre as presenças brasileiras nesta próxima Bienal, destaca-se a figura de Oscar Niemeyer que estará participando com uma série de painéis com desenhos e fotografias de vários projetos, além de móveis, maquetes, filmes e slides com depoimentos pessoais. Os materiais da exposição de Niemeyer deverão repetir o mesmo sucesso do artista na capital francesa quando participou do Centro de Cultura Georges Pompidour o Beaubo

                          75 ANOS DO COLÉGIO MARISTAS

Uma série de cinco exposições completa o Ciclo de Exposições Comemorativo dos 75 anos de Maristas na Bahia.O ciclo , uma promoção do grêmio estudantil daquele estabelecimento de ensino,será desenvolvido até o dia 7 de novembro próximo através da reunião de trabalhos realizados por diversos estudantes do colégio. Até o dia 5 do próximo mês, terá lugar uma mostra de alunos da 5ª,6ª,7ª e 8ª  séries  1º do grau. As atividades terão continuidade no período de 8 a 13  de outubro com exposição dos alunos da 1ª,2ª,3ª e 4ª séries e do dia 16 ao dia 22, serão mostrados os trabalhos de Luiz César Mesquita Baqueiro que utilizará as técnicas com crayon,lápis de cera sobre papel e outras. O ciclo de Exposições Comemorativo 75 anos de Maristas na Bahia será encerrado no dia 7 de novembro com um concurso de fotografia, aberto a todos os alunos.

IV SALÃO  NACIONAL UNIVERSITÁRIO DE ARTES PLÁSTICAS

O Instituto Nacional de Artes Plásticas – Inap da Funarte e a Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC promovem em Florianópolis, no período de 1 a 31 de outubro IV Salão Nacional Universitário de Artes Plásticas abrangendo as seguintes categorias: cerâmica, desenho,escultura, gravura,fotografia, serigrafia, objeto,pintura,propostas ambientais ou ecológicas,propostas conceituais, super-8 e tapeçaria. As inscrições para o Salão encerram-se a 20 de setembro, quando os trabalhos deverão estar montados ou emoldurados.
Só poderão participar aqueles que  comprovarem, através de declaração atual, ser alunos regulares de instituições de ensino superior. Os participantes inscreverão, em cada categoria mencionada, um máximo de três trabalhos, acompanhados de fichas de inscrição por categoria, deverão ser entregues no Departamento de Assuntos Culturais da UFSC ( Campus Universitário de Trindade – 88.000 – Florianópolis, SC .
No caso de obras que exijam grande espaço para ser expostas, ou cuja montagem deva ser procedida no próprio local da mostra, será suficiente, no ato da inscrição a apresentação de informações descritivas em forma de projetos, fotos ou outras, que possibilitem a apreciação da comissão incumbida da seleção dos trabalhos.
A Comissão Julgadora será constituída por críticos de arte e artistas – dois deles escolhidos pela Funarte e dois pela UFSC – que funcionarão sob a presidência do Diretor do INAP, João Vicente Salgueiro, ou por representante autorizado.
O prêmio ao Melhor Trabalho  do Salão será no valor de CR$35 mil, doados pela UFSC. A Funarte premiará com CR$15 mil. Melhor Trabalho por Categoria. A divulgação dos trabalhos premiados e a entrega dos prêmios serão feitas, respectivamente, quando da abertura e encerramento do Salão. Os prêmios não poderão ser cumulativos, isto é, cada participante não poderá ser premiado duas vezes.
 O Salão Nacional Universitário de Artes Plásticas realizou-se pela primeira vez em 1976, no Rio de Janeiro. No ano seguinte, foi feito em João Pessoa e em 1978 em Vitória.

         EXPOSIÇÃO FIGURAÇÃO SINTÉTICA NO TCA

Sob o patrocínio do Instituto Cultural Brasil Alemanha e com a colaboração da Escola de Belas Artes da UFBa. e Teatro Casto Alves está sendo realizada em Salvador a Exposição Figuração Sintética. A mostra que poderá ser visitada até o dia 7 de outubro próximo no foyer do TCA é planejada pelo Instituto Cultural das Relações Exteriores de Stuttgarrt, devendo circular pelas principais capitais do Brasil. Segundo o critico Olívio Tavares de Araújo não cabe destacar um só artista muito mais impressionantes talvez seja a qualidade técnica que permite á litografia uma impecável textura de desenho ou pintura a aerógrafo além da tradicional precisão geométrica.