domingo, 17 de março de 2013

BEATRIZ E SIMONE - 28 DE ABRIL DE 1979


JORNAL A TARDE , SALVADOR ,28 DE ABRIL DE 1979

    EXPOSIÇÃO DE BEATRIZ ROSSI E SIMONE-MARIE

Obra da argentina  Beatriz enfoca o ser humano
A Galaria Cañizares apresenta os trabalhos apresenta os trabalhos das artistas paulistas Beatriz Rota Rossi e Simone-Marie até o próximo dia 09 de maio. Beatriz é titular das cadeiras de Estética, História das Artes e Evolução Visual das Artes Plásticas da Faculdade de Artes Plásticas de Santos. Natural de Buenos Aires, na Argentina, Beatriz radicou-se no Brasil onde já realizou várias exposições coletivas e individuais, além de viagens de estudos elaborando farta documentação principalmente sobre a cultura popular.
Constam ainda de seu curriculum ilustração de obras de Plínio Marcos , Oscar Von Pfhul e atividade no campo de teatro.
Até 1977 desenvolveu técnicas gráficas, utilizando os cinzas para a figura humana e cores chapadas e vibrantes para os fundos. Suas cores delimitavam os campos estipulados para que a figura humana tratada em cinza de forma realista se destacasse do seu fundo como que não pertencesse a ele.
Assim conseguiu uma relação de figura e fundo que refletia em seu entender uma realidade humana especialmente uma realidade latino-americana. Seu trabalho está assim identificado com a massa, com os índios, camponeses, pescadores, vendedores ambulantes. É portanto uma visão de cinzento que envolve a vida desta gente sempre massacrada por interesses os mais variados. Beatriz mostra então que a multiplicação dos objetos de consumo super coloridos contrastam com o desbotamento sempre crescente do homem onde enxerga a paisagem triste e cinzenta das chamadas zonas febris. Por tanto, sua linguagem plástica é atual, é completamente integrada com o nosso viver e ali ele como que documenta e protesta contra isto que acontece em prejuízo para muitos.
Isto aconteceu até 1977 e segundo ela uma transformação ocorreu no ano passado para cá tanto no nível técnico como no da linguagem plástica. Mas o tema é o mesmo: o ser humano. Ela diz que está aproveitando o costume do litoral paulista e do Rio  e também algumas manifestações populares como o Carnaval, Natal etc e em cima disto desenvolve toda uma temática num ambiente humorístico. Ai está o nosso povo sonhando risos e rindo sonhos. Os valores trocados e por outro lado a velha pergunta: o que é uma máscara? Quem somos?
O uso do pastel trouxe uma nova disciplina no uso do espaço e na distribuição dos campos, assim como na composição plástica.
A artista holandesa Simone-Marie faz bico-de-pena
Já a Simone-Marie é holandesa e reside em São Paulo. Também está preocupada com o homem e aí desenvolve seu trabalho.
Ela está preocupada com a inversão do processo natural e afirma que vivemos uma vida onde a mente está separada do corpo. E que a evolução técnica conseguida pelo homem não vem sendo acompanhada por muitos, que ficam pra trás.Quatro estão operando como formigas irracionais. E este quadro que ela mostra apresenta as figuras de mulheres e de formigas laboriosas, que fazem as  coisas automaticamente. Um trabalho de bico-de-pena razoável, que agrada.

   NOVO REGULAMENTO DO SALÃO JÚLIO KOELER

Com o objetivo de dar maior importância ao Salão Petropolitano de Artes Plásticas Major Júlio Koeler, (SPAP) o Secretário de Educação e Cultura ,professor José Ribeiro de Assis designou uma Comissão para estruturar seu novo Regulamento. Esta Comissão foi composta da Diretoria do Departamento de Cultura, professora Hebe Machado Brasil, pela Presidente da Câmara das Artes, Conselheira Vera Pretz e pelo artista plástico Petrus Beekhuizen.
O novo Regulamento foi aprovado pelo Prefeito dr. Jamil Miguel Sabrá e publicado no Diário Oficial no dia 18 de março. Trata-se realmente de oferecer uma importância maior ao Salão que vem sendo realizado anualmente em novembro, regulamentado desde 1968, mas que não acompanhou o desenvolvimento acelerado de outros salões, carecendo pois, de sua atualização.
O 19º Salão Petropolitano de Artes Plásticas Major Júlio  Koeler vai ser lançado em agosto de 1979, obedecendo já ao seu novo Regulamento.

DOS PRÊMIOS
Serão conferidos os seguintes prêmios: 
1º Prêmio: Distinção Honoris ArteSalão Petropolitano de Artes Plásticas Major Julio Koeler. Aquisitivo Único: Colar e Medalha Ouro e cinco salários mínimos vigentes no País. 
2º Prêmio – Grande Prêmio Prefeitura Municipal de Petrópolis - Aquisitivo Único - Troféu e Prêmio de quatro salários mínimos.
3º Prêmio – Prêmio de Viagem ao Estrangeiro, representado por uma passagem – turista – e estada durante 30 dias. Aquisitivo único. 
4º Prêmio – Viagem ao país – Aquisitivo único – Uma passagem de Avião ida e volta a qualquer estado do Brasil com estada paga por um mês. 
5º PrêmioMedalha de Ouro Cidade de Petrópolis Clube 29 de Junho.
6º PrêmioMedalha de Prata Secretaria de Educação e Cultura da Prefeitura Municipal de Petrópolis. 
7º PrêmioMedalha de Bronze – Departamento de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura, da Prefeitura Municipal de Petrópolis.
Serão concedidas quatro Menções Honrosas para cada secção Pintura, Escultura, Gravura e Desenho.
As informações sobre o 19º Salão Petropolitano de Artes Plásticas poderão ser solicitadas ao Departamento de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura da Prefeitura de Petrópolis, Praça Visconde de Mauá, número 305, Petrópolis , 25600 , Rio de Janeiro.

    CARTAZES E POSTAIS VÃO DIVULGAR OS MUSEUS 

Universidades, entidades culturais, museus, agências de viagens, locais turísticos, lojas e pontos de embarques e outros logradouros públicos de todo o Brasil já estão recebendo da Funarte e da Embratur cartazes a cores de Museus Brasileiros com fotos de suas fachadas ou reprodução das principais peças dos seus acervos.
É o primeiro resultado do Projeto Museu, convênio assinado entre a Funarte e a Embratur visando a divulgação no Brasil e  no exterior dos museus brasileiros como ponto de atração turístico e cultural. Para esta primeira etapa do projeto foram selecionados os Museu de Arte Sacra da Bahia,  Museu de Arte de São Paulo –Masp, Museu Nacional de Belas Artes, do Rio de Janeiro e o  Museu Imperial de Petrópolis.

PEÇAS PROMOCIONAIS

Ao mesmo tempo já estão sendo distribuídos cartões postais, seis de cada museu, que reproduzem as principais peças do acervo de cada um. Do MAM-BA , por exemplo foram reproduzida sobras de Pancetti, Portinari, Taunay , de Almeida Júnior, entre outros. Do Museu de Arte Sacra da Bahia, foram reproduzidas peças de arte sacra dos séculos XVII e XVIII; do Museu Imperial, peças raras, como o Trono do Imperador e as reproduções do MASP giram em torno de obras de artistas plásticos consagrados, como Anita Malfatti, Renoir, Bosch e Raffaelo Sanzio.
Este mês ficarão prontas as outra peças promocionais que compõem o projeto como o Guia dos Museus, um livreto com textos e fotos a cores, com o histórico de cada museu, descrição e fotos detalhadas das principais peças do acervo e o roteiro de visitação, folheto contendo a descrição geral de cada museu, inclusive planta baixa para orientação do visitante, além de informações úteis, como acesso, horário de visitação e entrada.
Os cartões postais serão vendidos nos museus e em bancas dos jornais ao preço de CR$2,00; os roteiros serão distribuídos gratuitamente pelas agências de viagens, escolas e museus, e os Guias serão vendidos nos próprios museus.