quinta-feira, 14 de março de 2013

DESENHO DO CALÇADÃO DA SÉ JÁ MOVIMENTA OS ARTISTAS - 07 DE JUNHO DE 1982


JORNAL A TARDE, SALVADOR, 07 DE JUNHO DE 1982

DESENHO DO CALÇADÃO DA SÉ JÁ MOVIMENTA OS ARTISTAS
Vista da nova Praça da Sé, em Salvador,Bahia
No ato da inscrição, os concorrentes deverão anexar em envelope separado a ficha de identificação com os respectivos documentos exigidos: identidade civil, atestado de residência (recibo de luz, telefone ou água)- CPF ou CGC.
Somente participarão do concurso artistas plásticos brasileiros residentes na Bahia, exceto aqueles que tenham vínculos empregatícios com as entidades envolvidas na comissão de seleção. A responsabilidade pelo anteprojeto poderá ser assumida individualmente ou em equipe. Sendo em equipe, esta será representada por uma pessoa.

SELEÇÃO

A seleção será realizada por comissão composta por representantes da Secretaria Extraordinária de Informações e Divulgação, Oceplan, Companhia de Renovação Urbana de Salvador, Associação de Artistas Plásticos e na Fundação do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, designada pelo prefeito.
 Caberá a comissão selecionar um anteprojeto entre os inscritos, que será considerado o vencedor, recebendo um prêmio no valor de 100 mil cruzeiros. A comissão indicará também outros dois anteprojetos para menções honrosas. O resultado da seleção será conhecido e divulgado dias após a data de encerramento das inscrições.
Os concorrentes assinarão um termo de compromisso para executar os desenhos complementares e detalhes necessários, assim como acompanhar a execução do projeto, no caso de sua premiação.
Os trabalhos não classificados deverão ser retirados pelos interessados dentro do prazo de 15 dias, a partir da divulgação do resultado do concurso.
A ainda quase um mês do encerramento das inscrições ao concurso público para criação de desenho, em  pedra portuguesa, para o calçadão da Praça de Sé, vários artistas plásticos já receberam a planta para desenvolver seus projetos, na sede do Órgão Central de Planejamento da Prefeitura.
O concurso, instituído por decreto do prefeito Renan Baleeiro, visa estimular a criatividade no meio artístico cultural baiano, mediante sua participação no tratamento plástico-visual da cidade. Procurando estimular a máxima espontaneidade de criação, o concurso não definiu previamente a temático dos desenhos.
As inscrições ficam abertas até o dia 21 de junho  na sede do Oceplan, Avenida Sete de Setembro, 1.448, no Campo Grande. O prêmio para o autor do desenho escolhido será de 100 mil cruzeiros. Do anteprojeto deverá constar uma planta geral, na escala1.500, com elementos diversos necessários á sua compreensão e um memorial simples e objetivo, explicando a concepção do trabalho.

ANONIMATO

A  forma de apresentação fica a critério de cada concorrente, podendo ser utilizado qualquer tipo de papel, cores, texturas, escala, etc. cada prancha apresentada deverá conter um letreiro no canto inferior direito, com a seguinte legenda. Prefeitura Municipal de Salvador e, logo abaixo, Concurso Público- desenho do Calçadão da Praça da Sé.
Os anteprojetos não deverão conter quaisquer elementos, como marcas, nomes, etc. que identifiquem sua autoria. Na entrega dos trabalhos estes receberão um número de identificação para assegurar o anonimato do autor ou autores.

     O PRODIARTE AJUDA ENSINO DA ARTE

Com o objetivo de contribuir para a melhoria do ensino das artes plásticas nas escolas de primeiro grau o Projeto Prodiarte, do qual participam o departamento de Desenho da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia  e a Associação dos Artistas Plásticos, vários artistas promoveram na última sexta-feira uma manifestação quando foi confeccionado um mural na Escola Estadual Polivalente do Cabula.
Esta importante contribuição didática que reuniu professores e alunos poderá gerar futuras manifestações artísticas e despertar o interesse pela arte junto aos jovens. Participaram da manifestação vários artistas entre os quais Juarez paraíso, Márcia Magno, Renato Viana, Graça Ramos, Guache, marques, Renato Viana, Bel Borba, Florival e Paulo Rufino. Eles contam ainda com a colaboração de Umberto Rocha, kati, Solange, Valter, da coordenadora do Prodiarte daquela escola, professora Mary e da coordenadora do Prodiarte, Denise Pitágoras.

     QUATRO ARTISTAS ESTÃO NA ALIANÇA FRANCESA

A artista Maria Celeste com uma das obras

Aquarelas e Desenhos é a mostra coletiva do grupo de quatro artistas plásticos e professores da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, que pela primeira vez expõem juntos. O convite traz palavras de Leonardo da Vinci que diz:
"A Natureza é plena de causas infinitas que nunca ocorreram na experiência ". Assim o público está convidado a comparecer à Aliança Francesa, no dia 9 de junho, quarta-feira, ás 20 horas, para conhecer as obras de Didier Hubert, Graça Ramos, Maria Celeste Almeida e Michael Walker.
 O respeito com a técnica, criatividade e o design é constante nos trabalhos desses artistas, dando assim uma unidade entre eles. Não são trabalhos experimentais e sim experiências vivenciadas e traduzidas pictórica e gratificante. Não há preocupação do grupo em mostrar nenhuma técnica nova, mas ilustrar o homem através dos elementos da natureza e do seu meio ambiente.
A artista Graça Ramos
Ainda é importante frisar, que ás pretensões do grupo não terminam apenas no fazer uma exposição a mais, mas de mostrar através de seus trabalhos um veículo de energias e emoções como uma ponte entre a natureza e a máquina, o concreto e o abstrato, a luz e a sombra, o real e o casual, e também deixar claro que o retorno é muito mais importante do que a primeira presença... Robinson Jeffers.
E completam com este comentário de Geórgia O’Keefe: É surpreendente para mim ver quantas pessoas separam o objetivo do abstrato. A pintura objetiva não é uma boa pintura a menos que seja boa no senso abstrato. A colina e a árvore não fazem um bom quadro somente porque é a colina ou a árvore. São suas linhas e cores juntas que dizem algo. Para mim a abstração é muitas vezes a forma mais definida para algo inatingível do meu próprio ser...
Falando sobre seu trabalho Graça Ramos revela que anteriormente o tema variava entre os manequins, bonecos, fantoches, que delineavam o perfil do homem numa sincronia do real e da fantasia das cores frias e quentes definindo a forma design na cor. Nesta fase de agora, que não é nova, pois já ultrapassou seu instante, o homem é configurado pelos elementos criados e destruídos por ele. Neste trabalho Graça ramos realiza uma ilustração da emoção interrompida pelo impacto, o real abstraído, o silêncio.
Ela utiliza o grafite, o lápis de cor ou até mesmo a aquarela como recursos técnicos sentindo o mundo se transformando em seus dedos modelados através de linhas e formas energéticas e ás vezes fantasmagóricas. Graça diz que é a força das percepções, é o mundo mágico/real, é a ilusão ótica que explodem de repente do plano. As formas que emanam da percepção são em primeira instância definidas pela luz e sombra.
Michael Walker é artista plástico e professor da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia com especialização em Desenho e Gravura.
Sua formação artística é européia com complementação nos Estados Unidos.Já fez várias exposições individuais e coletivas na Europa, Estados Unidos e Brasil. Seu trabalho ilustra cenas e aspectos da vida e pessoas de uma forma realista e compreensível, onde a expressão do rosto de cada figura conta sua própria história. Existe uma integração entre o homem e os elementos de seu ambiente.
Maria Celeste Almeida artista plástica e professora da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, teve a maior parte de sua formação artística nos Estados Unidos, onde fez mestrado em Arte/Studio com concentração em cerâmica, estamparia e design. Já fez inúmeras exposições individuais e coletivas nos Estados Unidos e algumas aqui no Brasil. Seu trabalho segue uma linha onde a forma e a cor se integram resultando um design bastante harmonioso e desenhos com o tema denominado Flora. Sua fonte de pesquisa e sempre baseada na natureza, de onde extrai suas formas puras e orgânicas. A própria forma faz com que várias associações  sejam feitas a depender da interpretação individual.

MURILO MOSTRA SEU PROJETO NO FOYER DO TCA

Desenvolvendo seu trabalho calcado no homem e seu relacionamento com habitação o artista Murilo estará expondo um conjunto de obras composto de guaches, óleos e cabaças pintadas no foyer do Teatro Castro Alves a partir do próximo dia 8 até 26 do corrente. São ao todo 38 elementos, os quais fazem parte do projeto executado de acordo com o que propusera quando foi escolhido há dois anos atrás pela Fundação Cultural dentro de seu programa de ajudar a produção artística. Com a execução do seu trabalho. Murilo cumpre o que ficou determinado pela comissão julgadora da qual fui integrante, ficando apenas faltando o artista Zive Giudice, que recentemente me comunicou através de telefone, que está também empenhado em realizar o seu projeto.
Mas, o projeto Um homem sem casa é um espantalho. Murilo mostra o problema do êxodo rural, visto sobre o ponto de vista do artista que procura valorizar a sua própria vivência e o cotidiano do homem do campo e sua cultura. Essa mostra esteve por alguns dias no Solar do Unhão e agora chega ao Teatro Castro Alves.

                  MARIA ADAIR NOS ESTADOS UNIDOS

Maria Adair acaba de realizar uma exposição e prepara-se para uma segunda na cidade de Pittsburg, onde está estudando numa universidade local. A propósito recebo correspondências de Adair revelando que sua atividade artística está intensa. As suas próximas exposições fora de Pittsburg serão em Washington e em Iowa, onde fará uma apresentação de arte integrada contando de um painel de sua autoria, além de números de música e dança no Museu de Arte de Iowa City. Participando deste trabalho está a professora de Dança da Universidade Federal da Bahia, Eliana Silva que também está estudando nos Estados Unidos.