terça-feira, 25 de dezembro de 2012

ESCULTURA E EXPOSIÇÃO LEMBRAM CENTENÁRIO DE JORGE AMADO

ESCULTURA E EXPOSIÇÃO LEMBRAM CENTENÁRIO DE JORGE AMADO


Duas homenagens  pelo centenário do escritor Jorge Amado, ocorrido no último dia 19 de dezembro, foram concretizadas pelos artistas Tatti  Moreno , com uma escultura que está numa praça do bairro do Rio Vermelho e, a exposição de Maria Adair e Eliana Kertész , no Palacete das Artes, na Graça. Homenagens mais do que merecidas, porque Jorge faz parte da Bahia , aqui criou, viveu e levou o nome da nossa terra e da nossa gente para os quatro cantos do mundo.
Tatti foi um dos artistas chegados ao escritor e ele concebeu uma escultura em tamanho natural feita de bronze e pátina esverdeada, sentado em um banco no Largo de Santana, ao lado de seu grande amor Zélia, e de Fadul , o seu cachorro de estimação da raça pug. Ele foi o último animal criado pelo casal, e morreu em abril deste ano.
Os corpos foram esculpidos por parte e depois soldados. Já o banco onde Jorge e Zélia Amado estão sentados permite que os baianos e turistas sentem para tirar fotos ou admirar a escultura.
Na escultura Jorge aparece com uma  camisa  com flores, como ele sempre gostava de se vestir. Tatti juntamente com Paloma, filha do escritor, escolheram a foto para servir de modelo. Só que ele estava de chapéu e o artista resolveu tirar o chapéu para eternizar a cabeleira farta de Jorge. Tatti conseguiu fazer em baixo relevo as flores da sua camisa colorida.
O artista ficou lisonjeado por ter sido escolhido para fazer a escultura . Revelou que tem " um carinho  guardado pelo casal, não só pelo amor e generosidade deles,mas também por serem pessoas fantásticas,que levaram o nome do Brasil para o mundo".
A escultura custou R$400 mil e foi patrocinada pela Bahiatursa,Caixa Econômica e Bahiagás e a ideia foi de Ricardo Barreto, que era na época  presidente da Associação dos Moradores do Rio Vermelho - Amarv.
Três dias depois um vândalo riscou a escultura . São atos condenáveis, mas que acontecem por falta de respeito e educação.Este pobre diabo que fez isto é digno de pena.

Já a exposição das artistas Maria Adair e Eliana Kertész chamada de As Mulheres de Jorge e O Universo Amado reúne 230 trabalhos e é segundo elas uma ideia que vIinha amadurecendo há um ano e meio. Conheço bem Maria Adair e sei do seu talento e, também ,da sua disposição em realizar. É arrebatada. Vai e faz.
Eliana revela que ao ler Dona Flor e Seus Dois Maridos, de Jorge, ela deparou-se com uma frase que lhe chamou a atenção. Vadinho , numa de suas falas, diz "Deus é gordo!". Daí veio a calhar com os personagens que ela cria em suas esculturas, sempre gordas. Ela usou bronze,fibra,resina,alumínio e pó de mármore para criar as mulheres  fartas e felizes idealizadas pelo escritor em seus romances.
Enquanto Maria Adair escolheu o tema O Universo Amado e fez 150 peças  entre pinturas, esculturas e instalações todas inspiradas nos personagens que povoam os livros do escritor.
Adair gosta de pintar tudo que está ao seu redor. Ela nunca se prendeu a pintar só telas. Portanto, vários objetos que lembram os personagens de Jorge estão lá para serem apreciados. Vale a pena visitar.