domingo, 9 de dezembro de 2012

AS PREVISÕES VISUAIS DO CARTUNISTA PAULO SERRA - 24 DE DEZEMBRO DE 1984.


JORNAL A TARDE, SALVADOR,24 DE DEZEMBRO DE 1984.

AS PREVISÕES DO CARTUNISTA PAULO SERRA
A natalidade na região nordestina cresce provocando
desnível maior com relação das regiões Sul e Sudeste
O preço da gasolina vai
disparar provocando
uma onda de aumentos
A busca do lucro fácil
consumirá cada vez
mais os bens naturais

Fim de 20 anos do regime militar
Será um ano de muita
 superstição. A soma da
 dezena 85 é igual a 13.
Estamos no alvorecer de um novo ano. Com 1985 ressurgirão as esperanças contidas em 20 anos de autoritarismo, e também a gente está torcendo pelas eleições diretas. Afinal a minha geração quarentona ainda não votou para presidente da República. Como o Brasil é megalomaníaco, gosta das coisas grandes, como seu próprio território, quase que ostentava o título do País onde o regime militar durou mais. Felizmente nosso vizinho Paraguai não abre mão, e Stroessner já passou dos 30 anos no poder. Mas, vamos falar de coisa melhor, esquecer o passado,  colocar uma pá de cal nisto tudo e partir para novos tempos. Existe uma grande expectativa de mudanças em 1985. Acredito que haverá muita frustração porque nem todos atendidas a contento.
É dentro deste clima de realidade mágica e antagônica que o cartunista Paulo Serra me enviou as suas previsões cheias de humor e crítica. Ninguém fique aqui pensando que somos astrólogos, sábios ou cientistas. Queremos é que este ano seja de paz e que esta numerologia visual do Paulo Serra divirta o leitor desta coluna.
Aumentará a violência urbana por causa da
desigualdade social
Tancredo enfrentará  dificuldades
para cumprir promessa de legalizar
partidos clandestinos.


O peso da dívida externa pesará mais nas costa do povo
Aqui ele trata         dos principais temas que estão nas manchetes dos jornais e do telejornalismo. O que desejamos, além da paz, é contribuir para aumentar o espírito crítico da realidade que nos cerca. Nada além disto, e que 1985 seja melhor que 84 para todos nó

Será um ano de tomada de consciência de
preservação da natureza









                    TALENTO DE EDVALDO ASSIS

Há 23 anos que o pintor Edvaldo Assis trabalha pintando as ruas e ladeiras desta Bahia. Tem cinco filhos e vive exclusivamente de sua arte. Começou como vendedor de jornais no antigo Diário de Notícias e quando foi descoberto que tinha jeito para desenho lhe deram a oportunidade e terminou trabalhando no Departamento de Publicidade. Foi através do professor Josafá Marinho que conseguiu uma bolsa para a Escola de Belas Artes onde estudou, com o professor Rescála e lá aprimorou seus conhecimentos de técnica e estilo.
Vinte e três anos pintando a Bahia
O próprio Edvaldo Assis reconhece que sua passagem pela Escola de Belas Artes foi de extremo proveito porque lá aprendeu a “ mexer melhor com as tintas”. Afinal, foram quatro anos de convivência com os mestres da Escola de Belas Artes. Ao término deste período integrou-se à equipe de Hélio Guimarães no Diário de Notícias. Quando se afastou do jornal continuou pintando e muitas artistas que hoje têm algum sucesso de público aprenderam muita coisa com Edvaldo Assis.
Desconfiado e muito cuidadoso no que fala, ele adiantou que sempre tem certa facilidade para vender seus trabalhos. Poucas pessoas no entanto sabem que este santo-amarense estudou em São Bento das Lajes na antiga Escola Agrícola, que foi fundada pelo Imperador Dom Pedro II, e hoje seu belo prédio está em ruínas. Este monumento fica entre as cidades de São Francisco do Conde e Santo Amaro da Purificação.
Lembra Edvaldo Assis que pintou e desenhou muito quando estudou na Escola Agrícola, principalmente a sua fachada, os bois pastando e as paisagens rurais. Todos os trabalhos foram doados ou se perderam no tempo.
Edvaldo Assis é tão cismado que desconversava todas às vezes que pergunta a sua idade para relacionar com  os 23 anos de trabalho. Com 44 anos , aparenta um pouco menos, ele não se negou a falar de sua infância pobre no interior em Santo Amaro da Purificação, onde seu pai era um velho marceneiro.
Edvaldo Assis está com sua pintura mais solta, com traços leves e suaves onde os volumes se formam na mente do espectador. É uma pintura impressionista e ele usa muitas cores tênues, diluídas, quebrando desta forma a rigidez das linhas retas dos volumes arquitetônicos.

           SUCESSO DA EXPOSIÇÃO DE JOSÉ  BANDEIRA
Bandeira ( de bigode) explica sua obra
Foi um sucesso a exposição do dublê de dentista e pintor, José Bandeira, na Associação Cultural Estados Unidos, Acbeu, no Corredor da Vitória. Antes da abertura da exposição ele já tinha vendido seis trabalhos, e durante a mostra mais 24 foram compradas por colecionadores.
Agora Bandeira acaba de entregar a seu antigo companheiro de pensionato, no saudoso Centro Universitário Padre ,Torrend, que funcionava num velho prédio, na Vitória, Nilton Barbosa Tanajura, um quadro da fachada do pensionato.
Bandeira está satisfeito com o resultado de sua exposição e já está pintando para uma outra que fará na Galeria Comendador Alberto Bom Fligliori,na Rua Augusta, em São Paulo.