quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

BAIANOS NO GABINETE DO DESENHO

Acabo de saber que desenhos do neoconcretista  Almandrade  e do cineasta Glauber Rocha estão entre os que compõem o seleto  acervo do Gabinete do Desenho, um museu inaugurado recentemente na capital paulista, para eternizar o desenho brasileiro.
Desenho de Tarsila do Amaral
 Uma iniciativa das mais auspiciosas e talvez um dos mais importantes assuntos deste ano que finda.O museu ocupa uma grande mansão do século passado e fica localizado na Avenida Consolação.Foi criado pela Prefeitura de São Paulo. A mansão foi completamente adaptada e climatizada para isto, inclusive os móveis foram criados para expor os desenhos de maneira que as pessoas possam abrir as gavetas e visualizá-los. A restauração levou quatro anos e consumiu uma soma considerável de recursos.
Os desenhos de Antonio Luiz Andrade, ou Almandrade como é mais conhecido o arquiteto e artista plástico baiano fazem parte da mostra que ocupa atualmente o térreo do prédio. O título da exposição é extenso Da Secção de Arte ao Prêmio Aquisição: A Gênese do Gabinete do Desenho,  e entre os trabalhos expostos estão os de Johan Mortiz Rugendas, Tarsila do Amaral, Marcelo Grassmann, Lasar Segall, Carlos Scliar, Emiliano Dia Cavalcanti, Maria Bonino, dentre muitos outros.
Já os desenhos o talentoso Gluaber Rocha , que certamente deu uma grande contribuição para mudar o conceito do cinema mundial com seu Cinema Novo, o local tem o título de Desenho,Esquema,Esboço,Bosquejo,Projeto Debuxo, ou Desenho Como Forma de Pensamento, e fica localizado no andar superior e mostram seus desenhos que serviram a seus projetos cinematográficos.

Tem ainda muitos desenhos de vários artistas entre eles do cantor Arnaldo Antunes,dos irmãos Humberto e Fernando Campana, da pintora Edith Derdyk, do pintor Daniel Senise, da arquiteta e coreógrafa Vera Hamburger.

O CASARÃO

Foram gastos quatro anos na restauração da histórica mansão Chácara  Lane que fica na rua da Consolação número 1.024, na Consolação,  no centro da capital paulista.Foi reinaugurada  como Gabinete do Desenho, órgão da Secretaria Municipal da Cultura voltado à exibição do acervo da Coleção de Arte da Cidade.
O custo das obras foi de R$1,2 milhão e desde 2009 que os artistas e intelectuais aguardavam com expectativa a sua reabertura. Em abril de 2010, o prédio sofreu um incêndio, que começou na cozinha e destruiu azulejos. O fogo teria sido causado por um curto-circuito. Retomado mais tarde, o restauro foi ainda interrompido outras duas vezes.
Entre 1953 a 1990, o casarão abrigou o Arquivo Histórico Municipal. De 1995 a 2008, a Chácara Lane foi sede do acervo circulante da Biblioteca Mário de Andrade.