domingo, 26 de maio de 2013

POLÊMICA EM TORNO DE TIRADENTES


JORNAL A TARDE, SALVADOR, SÁBADO, 18 DE DEZEMBRO DE 1977 

A obra que tanta polêmica gerou 
É evidente que a polêmica que ora foi estabelecida no Rio Grande do Sul em torno de um trabalho executado pelo artista Vasco Prado, que apresentou uma escultura de Tiradentes com três bocas, tem uma colaboração de pieguice e falso puritanismo muito maior em relação a esta figura tão controvertida de nossa História. Estamos acostumados e fomos induzidos a aceitar um Tiradentes com uma imensa barba e rosto sereno. A simples apresentação plástica modificando esta imagem gera evidentes reações como o do Sr. Leandro Telles, que é o Presidente do Movimento de Defesa do Acervo Cultural, do Rio Grande do Sul, que assim vê a obra: "Um Tiradentes de três bocas será dificilmente explicável à nossa infância pelas professoras das escolas primárias."
 Esta hipótese do Sr. Leandro vem portanto confirmar que a figuração que foi incluída de Tiradentes em nossa mente é outra. O trabalho artístico tem outras conotações além da histórica, que devem ser levados em conta, as quais foram despercebidas pelo contestador gaúcho. Lembremos, por exemplo, que as três bocas podem representar a força comunicativa e de liderança do Tiradentes símbolo de um movimento". Como explica Vasco Prado, autor do monumento " a verdade é que não posso me ater a padrão antigo que caracteriza os monumentos aos heróis nacionais. Não posso fazer Tiradentes com manto, corda no pescoço e olhar perdido no horizonte. É preciso transmitir algo mais, dar um significado, uma mensagem ". E isto ele conseguiu a partir do momento que levantou uma polêmica em torno da imagem de um dos nossos mais nobres heróis.
Mas, também, o artista não está no Rio Grande do Sul, porque o Presidente da Assembléia Legislativa, deputado João Carlos Gastal compreendeu o seu objetivo quando afirma que desperta um forte sentimento de veneração e respeito pelo homem que deu a vida por um Brasil Livre esta escultura de Tiradentes. O monumento tem quatro metros e meio de altura, é todo feito em chapas recortadas de aço inoxidável, acentuando as nervuras da solda. Foi inaugurado em 30 de novembro último pela Assembléia legislativa atendendo ao que dispõe a lei..4.897 de 12 de dezembro de 1965, sancionada pelo Presidente Castelo Branco declarando Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, Patrono da Nação Brasileira. A lei recomenda ainda a inauguração de efígies do Inconfidente em estabelecimentos de ensino e órgãos públicos como uma homenagem. Daí a Assembléia gaúcha convidou o escultor Vasco Prado para esculpir a estátua, agora objeto de polêmica. Ela está assentada sobre uma base também de aço, onde se lê a inscrição: Se dez vidas eu tivesse, dez vidas eu daria,  colhida de um dos depoimentos de Tiradentes.

                          ARTE BRASILEIRA OS ANOS 60 E 70


Sem Legenda, obra de Carlos Vergara.
Tinta plástica sobre madeira
Dez por cento do total dos trabalhos integrantes de uma das maiores coleções de arte contemporânea deste país a de Gilberto Chateaubriand está exposta no Solar do Unhão.
São 170 trabalhos de 56 artistas, os quais foram realizados de 1960 a 1976, e que nos dá uma ideia da parte do desenvolvimento do setor no Brasil. A mostra embora importante não vem atraindo um número expressivo de visitantes até o momento devido ao fechamento de seus organizadores locais.
A coleção começou por acaso, há cerca de vinte e três anos numa visita que Gilberto Chateaubriand fez a Pancetti, que estava hospedado num pequeno hotel em Salvador. Deste encontro vieram as duas primeiras obras: Marinha de Itapuã e um retrato autografado. O presente de Pancetti serviu para despertar um ávido colecionador de obras de arte que a partir daquele momento inicia uma trajetória em busca de obras significativas da arte brasileira. Na exposição ora montada no Solar do Unhão estão trabalhos de João Câmara Filho, do abstrato Tomie Ohtake, Edival Ramos, Roberto Magalhães, Artur Alípio Barrio, Roberto Vieira, Luiz Alphonsus de Guimarães, Wesley Duke Lee. Francisco Brennand. Um detalhe curioso é que nesta mostra não apresenta nenhum artista baiano, nem mesmo ligado á Bahia, a exceção de Pancetti.

OS ARTISTAS


Pré-Estréia , trabalho de Rubens Gerchman.
Tinta plástica sobre madeira

WESLEY DUKE LEE - São Paulo, (1931) foi um dos pioneiros e representantes típicos da retomada da figuração na arte brasileira ao abrir-se a década de 1960.
Tem sido um elemento catalizador entre os jovens artistas, usando na pintura, desenho, montagens e ambientes os recursos da tecnologia avançada. Cada figura, cada paisagem e cada acontecimento do mundo concreto lhe servem de pretexto para um comentário visual-conceitual.
 RUBENS GERCHMAN - Rio de Janeiro (1942) trabalho marcado por uma figuração crítica denunciadora de início voltada para o folclore urbano nacional, sobretudo carioca. Basta olharmos o quadro Pré-estréia, tinta plástica sobre madeira onde as misses estão desfilando  para termos uma ideia do seu trabalho e objetivo, De 1967 em diante Gerchman partiu da figuração explícita para novas propostas desta vez conceituais em busca do neoconcretismo, criando uma série de obras a meio caminho entre o verbal e o visual.Recentemente assumiu Sua condição de latino-americano com indagações  ecológicas e sociológicas do continente.

CARLOS VERGARA -Santa Maria, RS, (1941) seu trabalho começou a ser  reconhecido em 1960 e uma de suas características é o emprego dos mais variados número de técnicas e materiais. A realidade alienante dos nossos dias é sua preocupação e constantemente está presente em seus trabalhos. A máquina que tritura o homem modesto a solidão, o anonimato a transformação do homem em simples e frio número, e, o ídolo, são utilizados em seus desenhos pinturas, gravuras e fotografias. Tem-se servido do plano e do espaço de matérias nobres como o acrílico e pobres como o papel e o papelão, d registro autobiográfico e da criatividade em equipe, da obra para contemplar e da obra para usar. Neste quadro que apresento, Sem Legenda, onde ele utilizou tinta plástica sobre madeira dá para termos uma rápida ideia do conteúdo de sua obra.

Gostaria ainda de falar sobre Glauco Rodrigues, Francisco Brennand, João Câmara Filho, Sérgio Camargo, Abelardo Zaluar, Ângelo de Aquino e tantos outros que integram esta mostra que sem dúvida foi uma das importantes apresentadas em Salvador neste ano que se finda.

            O PODER DE COMUNICAÇÃO DO CARTAZ

O cartaz tem um grande poder de comunicação e quase sempre é utilizado para anunciar shows, congressos, seminários e também como propaganda oficial. Agora um cartaz acaba de ser premiado na Itália. A Catedral e a Criança idealizado pelo artista gráfico de Frankfurt, Wolfgang Rohde. O cartaz recebeu o Prêmio Gráfico e uma medalha de ouro do Senato italiano. A Central Alemã de Turismo tinha enviado para a Catânia uma série de cartazes turísticos da Europa, África e Ásia. O cartaz da foto retrata uma parte da Catedral da Colônia com a cabeça de uma criança. Os motivos dos outros três cartazes premiados são: uma reprodução do interior da célebre igreja Wieskirchen (Baviera do Norte, século XVIII) com uma partitura de Johann Sebastian Bach; o castelo Mospelbrunn ( Século XV) perto de Frankfurt com um grupo de veados e, uma fachada de uma casa de campo típica do Norte da Alemanha com uma cabeça de cavalo. Os quatro cartazes pretendem fazer propaganda da República Federal por todo o mundo.


                            PAINEL

COMO O DIABO GOSTA – a mostra de arte representativo do Movimento Artístico Baiano continua aberta ao público durante o mês de dezembro. Ainda durante este mês a referida galeria está fazendo uma promoção digna de ser incentivada e prestigiada por todos nós. Visando proporcionar à classe média a compra de uma obra de arte a galeria adquiriu gravuras de artistas baianos e lançou uma campanha Que Seu Presente Seja Uma Obra de Arte.

PANORAMA EM FESTA _ A  Galeria Panorama vem realizando durante o mês de dezembro a apresentação de seus alunos. De 10 a 15 vários deles apresentarão seus trabalhos no V Salão Novos da Panorama.
Agora uma coletiva está acontecendo reunindo trabalhos dos artistas Afonso Garrido. Alcides Naval, Anna Georgina, Antônio Rebouças, Cristiano Coelho, Dulce Scaheppi, Eugênio Roberto, Fred Schaeppi,Jessé Acioly, João Carrera, Leila Saraiva, Luciana Pereira, Márcia Fernandes e Mirabeau Sampaio.

DIDÁTICA – Outra exposição didática está acontecendo na Galeria Canizares , da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, sob a orientação do professor Ivo Vellame, que vem realmente dando grande incentivo às artes em Salvador.

ARTESANATO – acabo de receber um convite do  Estúdio Lambe-Lambe , que fica localizado na Avenida Princesa Isabel para a abertura da exposição de Artesanato Peruano. Uma ressalva, é que a palavra artesanato escreve-se com s e não com z, como está impresso no convite.

BAHIA E HAITI – A Galeria Sereia está apresentando uma mostra de trabalhos de artistas baianos haitianos.Representando a Bahia: e Babalu, Beto, Calixto Sales, Cardoso e Silva , Faroleo, Francisco Augusto ( escultura), Gutembergue Pires, João Alves, Renato Matos, Pedroso e Wilie. Representando o Haiti: Alexandre Gregoire, Castelneau  Bendit, Georges Auguste , Gerelus , Louines Mentol, Louis Joseph , Marccene Laurent, Maurice Vital . Maurice Blaise , Montas Antoine, Pradel Lucien,Robuste Frank e Wilson Bigaud. O catálogo muito bem impresso deveria servir de inspiração para os nosso fatídicos órgãos cultuais . Foto



NOVA GALERIA – A Associação dos Servidores Civis do Brasil acaba de inaugurar a Galeria Presciliano Silva, na Rua Direita da Piedade, 17, com uma exposição de trabalhos de Dias, Emídio Magalhães, Eckener, Gildásio, Itamar Espinheira, Juarez Paraíso, Jaime Sodré, Manoel Bonfim, Oscar Caetano, Raimundo Valadão, Rescalas, dentre outros. A galeria é aberta e alguns alunos da Escola de Belas Artes participam desta coletiva. O dinheiro da exposição será revertido em benefício das Obras Assistenciais de Irmã Dulce