quarta-feira, 1 de maio de 2013

O SALÃO UNIVERSITÁRIO NORDESTINO DE ARTES PLÁSTICAS - 28 DE MAIO DE 1977


JORNAL A TARDE, SALVADOR,  SÁBADO, 28 DE MAIO DE 1977

SALÃO UNIVERSITÁRIO NORDESTINO DE ARTES PLÁSTICAS


O professor. Ivo Vellame está coordenando O Salão Universitário Nordestino de Artes Plásticas e visitará diversas capitais nordestinas onde manterá contatos visando uma ampla participação de artistas universitários. Isto vem atender os objetivos do Salão que visa estimular o desenvolvimento das artes plásticas nordestinas e dar uma visão global de produção artística dos jovens universitários do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.O Salão será realizado em Salvador, de 22 de julho de agosto, e faz parte das solenidades comemorativas do centenário da fundação da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia. Quanto ás inscrições, poderão ser feitas a partir de 4 a 29 de Julho próximo na Escola de Belas Artes. Disponho de várias fichas de inscrição que poderão ser adquiridas na sede de A Tarde, no horário matutino. Um detalhe é que só poderão participar do Salão estudantes universitários, pertencentes ou não ás Escolas de Belas Artes e regularmente matriculados. Os artistas podem inscrever-se independente de técnica ou categoria, com um máximo de três trabalhos, entendendo-se por trabalho uma peça que o conjunto de peças, as quais se desenvolve uma proposta. Cada conjunto poderá compor-se de, no máximo, três peças.
Diz ainda o Regulamento que somente serão aceitos trabalhos cuja execução date de 1975 em diante. Os trabalhos deverão ser entregues na Escola de Belas Artes da UFBa., à Avenida Araújo Pinho, 19, no Canela, até o dia 15 de julho, ás 18:00 horas e e só serão retiradas ao término do Salão.
Quanto aos trabalhos de artistas residentes fora de Salvador deverão ser enviados com frete pago e serão devolvidos com frete a pagar.
Os organizadores do Salão não se responsabilizarão pelo desvio ou estragos das peças em trânsito, embora se responsabilizem pela integridade da obra em si. Enquanto esta tiver em meu poder.
Já as fichas de inscrição devidamente preenchidas a máquina ou a letra de forma, deverão acompanhar os trabalhos. O julgamento dos trabalhos será feito por um júri de 5 membros, escolhidos pela Comissão Coordenadora do Festival de Arte da Bahia 77, composta por: Hélio Augusto dos Santos Pereira Ribeiro, Assessor em Assuntos de Extensão da UFBa; Solange Lamego Vieira Borges, Coordenadora de Extensão; Erneste Widmer, Coordenador Geral do Festival de Arte e Ivo Vellame, Coordenador do Salão e Diretor da Escola de Belas Artes da UFBa.
Visando dar um cunho de maior seriedade e imparcialidade ao julgamento, os organizadores estão pensando em convidar três personalidades de outros Estados participantes ou não do Salão, e, dois membros do júri seriam baianos.
É importante salientar que todas as obras concorrentes ao Salão estão sujeitas a uma seleção prévia pela Comissão Coordenadora do Festival de Arte, evitando desta forma que trabalhos desqualificados figurem na mostra. Isto é bom que fique bem claro para não acontecer como no I Salão de Verão, organizado pela Fundação Cultural, de triste lembrança, porque muitos que foram escolhidos para prêmios de aquisição não receberam coisa alguma. Outros que apresentaram trabalhos ruins e foram retirados ficaram insatisfeitos, dando origem ao tal do Salão dos Recusados.
PRÊMIOS
São os seguintes os prêmios do Salão:
Prêmio Miguel Navarro Y Cañizares Fundador da Escola de Belas Artes da UFBa. No valor de CR$ 20 mil;
Prêmio João Francisco Lopes Rodrigues, no valor de CR$10 mil;
Prêmio Manoel Ignácio de Mendonça Filho, no valor de CR$ 10 mil;
Prêmio Escola de Belas Artes no valor de CR$ 5 mil, e será conferido a um Universitário baiano.
A cada expositor será concedido um Certificado de Participação e aos premiados além do título acima, o Certificado de Premiação.Os trabalhos premiados passarão a integrar o acervo artístico da Universidade Federal da Bahia.
CARTAZ
O cartaz do Festival de Arte/Bahia 77, do qual figura o Salão Nordestino de Artes Plásticas foi feito por Juarez Paraíso e Humberto Rocha, que venceram um concurso instituído pela UFBa. O Festival tem o patrocínio da UFBa e da Funarte.
Os ganhadores do concurso do cartaz receberam CR$ 12 mil e foi escolhido por um júri composto de Ernest Widmer, Pasqualino Megnavita e Herbert Viana Magalhães.
O cartaz criado por Juarez Paraíso e Humberto foi selecionado segundo o júri, por ter clareza da comunicação e o alto nível técnico, como também pelo impacto e significativa presença do fundador da Escola de Belas Artes Miguel Navarro Y Cañizares.
O cartaz apresenta num sombreado em dois níveis o retrato do professor Miguel Navarro Y Cañizares fundador da Escola que este ano completa 100 anos de organizada.
Depois de dar estas informações sobre o Salão que é uma importante iniciativa, principalmente por seu grande valor como incentivo aos jovens artistas universitários, quero deixar claro que possui todos os requisitos necessários que este tipo de  promoção exige. Ou seja: os prêmios serão distribuídos, as fichas e regulamento de inscrição são perfeitos, além da presença na Comissão Organizadora de pessoas dignas de crédito.
                                                         PAINEL
ARTE DA MINIATURA- Todos ficamos impressionados com a perfeição de certas miniaturas, são verdadeiras obras de arte. este de foto é o artesão Christopher  especialista em restaurar modelos ferroviários em miniatura. Aí ele dá os retoques finais a um modelo em sua oficina do Brighton, costa sul da Inglaterra.

COLETIVA NA GENTILI- A Galeria Gentili, no Rio Vermelho, está inaugurando seu calendário cultural com uma coletiva de 14 plásticos baianos: Antônio Lázaro Alecy, Almiro Borges, Carlos Muniz, Jenaldo, João Azevedo, Franco e Iracy Gentili, Ivonete, Raimundo Nonato, Renato Pereira, San Roman, Sibassoliy e Edmilson Ribeiro, o homem dos entalhe onde surgem as figuras misteriosas dos beatos. Edmilson é um dos poucos que entende da arte de entalhar na Bahia, embora muitos se arvorem a cultivar esta arte. Esses são verdadeiros cupins porque só fazem cortar qualquer sinal de criação.
DOIS BALDES- Dois balde de porcelana, da coleção de brinquedos de Maria Antônia, da França, forma leiloados por cerca de dois milhões 474 mil e 900 cruzeiros, o que representa o recorde na venda de objetos fabricados com este material. Foto

RENCONTRE 77- Uma exposição coletiva de trabalhos de Lígia Milton, Noyte Sampaio, R. Palles, Renato Medeiros e Roberto Rebello está aberta ao público até o dia 31 do corrente no Hotel do Farol.

OUTRO SALÃO- O II Salão Nacional de Artes Visuais acontecerá na Casa da Bahia, no Rio de Janeiro no próximo dia 29 de junho, podendo participar todos artistas brasileiros ou estrangeiros residentes  no País há pelo menos dois anos. Estão sendo aceitas criações de todas as categorias (pintura, escultura, tapeçaria, etc.) o cada artista poderá enviar no máximo três trabalhos. Um júri selecionará os melhores e serão conferidos prêmios de aquisição. Caberá aos artistas as despesas com transporte e embalagem de suas obras. O endereço é Avenida Almirante Barroso, nº22, sala 602 tel .322.8897.

BURLE MARX- Seguirá para a Genebra o paisagista Burle Marx para executar o projeto do jardim da nova sede das Nações Unidas. A informação foi prestada pelo artista que retornou recentemente de Caracas, Venezuela, onde está desenvolvendo um trabalho no Parque Central daquela cidade. Ele afirmou que o Presidente André Perez está preocupado com a conservação das áreas ecológicas de seu país e que é obrigado a aceitar a triste previsão de que a Amazônia não terá mais de 35 anos de vida.

MOACYR MATOS- Está preparando uma exposição para o Museu Regional de Feira de Santana cuja inauguração está prevista para o dia 3 de junho próximo. Serão apresentados 50 trabalhos em aquarelas e óleos. São trabalhos impressionistas. Ele utiliza o desenho e a pintura como forma maior de expressão, tendo em vista que atua no campo da comunicação.
Acha que a forma não importa muito. O que interessa é o resultado que consegue com o jogo de cores. Foto

VISÃO DA TERRA- Nesta segunda edição Arte Agora estão reunidas didaticamente artistas interligados pela mesma preocupação em torno de uma arte explicitamente brasileira. Participam 12 artistas de diferentes gerações e tendências, técnicas e regiões do País, são eles: Antônio Henrique Amaral, Antônio Maia, Emanuel Araújo, Francisco Brennand, Franz Krajcerb, Gilvan Samico, Glauco Rodrigues, Humberto Spínola, Icne Saldanha, Mário Sampaio, Millor Fernandes e Rubem Valentim. Portanto a Bahia está representada por Emanuel, Rubem Valentim e Krajcberg este último desenvolve um trabalho em Nova Viçosa. A mostra está no MAM- Rio e ficará aberta até o próximo dia 3 de julho. 

O BRASIL DE ETHEL- Trinta trabalhos da artista Ethel Paxson serão mostrados ao público a partir do próximo dia 3 de junho na minigaleria da Associação Cultural Brasil-Estados Unidos-ACbeu.
Esta artista viveu durante alguns anos no Brasil pintando especialmente paisagens do Rio de Janeiro  e seus arrdores.
A exposição intitulada O Brasil visto por Ethel Paxon é produto das imagens captadas por ela entre 1916 a 21. na época não encontrou  uma colônia de pintores mostre é de grande importância, tendo em vista que constitui sua afirmação como desenhista e da pintura impressionista na América  do Sul.
Ela começou seus estudos de artes em 1900 sob a orientação de Lilla Yale. Em Filadélfia em 1909 estudou na academia de Belas Artes, da Pensilvânia, sob a orientação de Cecília Beaux, Thomas Anschutz, Hugh Beckenridge, Henry Rankin Poore  e Willian Merrit Chase que influenciou seu talento apresentando-lhe alguns materiais. A artista norte-americana trabalhou também como escritora e ilustradora para o Brazilian American, um semanário impressão a metade em português e outra obra em inglês.