quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

COLCHAS DE RETALHOS EXPOSTAS NO MUSEU DE ARTE MODERNA-BA - 24 DE AGOSTO 1980


 JORNAL A TARDE, DOMINGO 24 DE AGOSTO 1980

COLCHAS DE RETALHOS EXPOSTAS NO MUSEU DE ARTE MODERNA-BA

A máquina de costura,
instrumento de
trabalho de Linda
Sendo filho de uma cidade do interior da Bahia, estou acostumado com as colchas de retalhos, tão comuns, especialmente entre as famílias de baixa renda. Essas colchas surgiram como necessidade, tendo em vista que os pedaços de tecidos ou restos de outras costuras são guardados e em seguida unidos para formar uma coberta, uma colcha ou até uma toalha de mesa. Agora encontro as colchas de retalhos nas mãos da artista norte-americana Linda Schaepper. Confesso que a princípio fiquei espantado com a utilização da colcha de retalho como forma de expressão artística. Espantado e ao mesmo tempo alegre por reencontrar-me com aqueles quadrados, losângulos e retângulos coloridos e com desenhos diferenciados que tanto marcou a minha infância na zona rural. Fiquei também gratificado por observar a sensibilidade aguçada desta jovem de Boston . Em determinados momentos deixa a teoria das Ciências Políticas de lado para pegar uma máquina de costura e traçar a sua arte, que tem profundas raízes populares. Na verdade, como revela a artista, sua arte, como qualquer outra, deve crescer, evoluir e renovar-se.
A Fundação Cultural do Estado da Bahia através do Museu de Arte Moderna, e a Agência de Comunicação Internacional dos Estados Unidos da América (Usica), estão promovendo, a partir de amanhã, às 21 horas, no Solar do Unhão, a exposição de QUILTS, (colchas de retalhos) da artista.
Linda Schaepper nasceu em Boston e é formada em Ciências Políticas. Durante 12 anos viveu na Europa e Oriente Médio. Devido as suas constantes mudanças ocasionadas pela transferências do marido, um arquiteto suíço, foi impossibilitada de exercer sua carreira de pesquisadora de mercado, e, em assim sendo, procurou uma atividade que pudesse exercer em sua própria casa. Dedicou-se ao artesanato, e, logo em seguida, à pintura primitiva utilizando seu talento para ilustrar livros infantis. Ao mudar-se para Beirute, no Líbano, justamente na ocasião da guerra civil, não lhe foi possível continuar pintando, começando então a trabalhar com material têxtil, aproveitando retalhos e organizando-os de uma forma simples, uma maneira sem dúvida, de acalmar seus nervos. Quando ocasionalmente havia uma trégua, ela aproveitava para levar seus trabalhos a um velho artista muçulmano que lhe ensinou a arte milenar dos QUILTS árabes.
Quilts ou colcha de retalhos,
exposta no Solar do Unhão

Por não falar o idioma, Linda Shaepper observou seu trabalho durante vários meses e, quando deixou o Líbano começou a integrar sua nova técnica dentro da tradição das colchas de retalhos americanas, bem como a impor um estilo pessoal através de um desenho moderno. Cinco anos após aquela época, Linda Shaepper produziu cerca de 300 trabalhos e realizou aproximadamente 50 exposições individuais por toda a Escandinávia e Europa Ocidental. Foi convidada especial do governo soviético para mostrar e ensinar seus métodos na Rússia.
Presentemente a artista está escrevendo seu terceiro livro sobre assunto e realizando exposições no Brasil, devendo em seguida viajar para o Peru, Bolívia, Japão e Extremo Oriente.
Linda crê firmemente na colcha de retalhos como arte folclórica que deve refletir a época em que é produzida. Atualmente trabalha na criação da chamada DISCO QUILTS, usando materiais vistosos de hoje, assim como numa arte dimensional mais submissa.

V SALÃO UNIVERSITÁRIO DE ARTES PLÁSTICAS VAI DISTRIBUIR BONS PRÊMIOS

O V Salão Nacional Universitário de Artes Plásticas, promovido pela Funarte, através do Instituto Nacional de Artes Plásticas, e com a colaboração da Universidade Federal da Bahia, será realizado, em Salvador, entre 3 a 31 de outubro deste ano, abrangendo as 11 categorias que são as seguintes: cerâmica, desenho, escultura, fotografia, gravura, objeto, pintura, propostas arquitetônicas, ambientais, ecológicas, conceituais, Super-8 e tapeçaria.
Só podem participar do V SNUAP, os  que comprovarem, no ato da inscrição, serem alunos regulares de instituições de ensino superior sediadas no território nacional. Cada um pode concorrer em cada categoria com um máximo de três trabalhos individuais ou de equipe, inscrevendo-se neste caso, todos os estudantes que a integram.

AS FICHAS

Os trabalhos, acompanhado das fichas de inscrição por categoria, devem ser entregues na Coordenação Central de Extensão da UFBa. (Avenida Araújo Pinho, 32, Canela-Salvador-Bahia, CEP 40.000), até o dia 20 de setembro, montados e/ou emoldurados. No caso de obras que exijam grande espaço para ser expostas ou que a montagem deva ser procedida no local da mostra, será necessária a apresentação de informações no ato da inscrição que permitam a avaliação pela comissão de seleção.
Essa Comissão Julgadora, encarregada da escolha e da premiação, é constituída por cinco membros. Dois deles são indicados pela Funarte, e outros dois pela UFBa. Os trabalhos terão a presidência do diretor do Instituto nacional de Artes Plásticas, ou de representante autorizado, com direito a voto. As decisões da comissão serão irrecorríveis.
O melhor trabalho do Salão vai ganhar o Prêmio Universidade Federal da Bahia, no valor de CR$35 mil. O melhor trabalho, por categoria, receberá da Funarte um prêmio no valor de CR$ 15 mil. Além destes, que atingem o total de CR$200 mil, poderão ser conferidos outros, de aquisição ou não, por entidades públicas ou privadas. A divulgação dos premiados será feita na abertura do salão. Todas as despesas de transporte dos trabalhos e os riscos eventuais da sua locomoção são de responsabilidade dos autores.

I SALÃO SERGIPANO DE ARTES PLÁSTICAS COMEÇA NO DIA 10 DE OUTUBRO

Objetivando promover maior movimentação artística de âmbito nacional, criando possibilidades de uma amostragem global que reúna os novos e os antigos valores das artes plásticas no Brasil, será realizado, em Aracaju, durante o período de 10 a 17 de outubro, o I Salão Sergipano de Artes Plásticas.
Esta mostra vem substituir o antigo Salão de Artes Plásticas, promovido anualmente durante o Festival de Arte de São Cristovão. O Salão Serpa instalado no foyer da Biblioteca Pública Epiphanio Dórea, em Aracaju, com trabalhos de pintura, escultura, desenho, tapeçaria, objetos e propostas experimentais, admitindo duas categorias de expositores: concorrentes e participantes.
Cada expositor concorrente deverá apresentar um mínimo de três e o máximo cinco obras do mesmo gênero, com os quais se habilitará a concorrer aos prêmios oferecidos pelo salão. Por sua vez, cada expositor participante deverá apresentar obras cujo total, individualmente, não exceda a três.
Poderão inscrever-se no salão, artistas residentes em qualquer parte do território nacional ou em equipe, devendo, no último caso, ser indicado o nome do responsável. As inscrições estão abertas na sede do Cultart/UFS-Centro de Cultura e Arte da Universidade Federal de Sergipe- à Rua Itabaiana, 566, Aracaju, através de fichas próprias, e serão encerradas no dia 22 de setembro, às 18:00 horas, com a entrega, no Centro de Cultura e Arte, das fichas devidamente preenchidas e das obras artísticas a serem expostas no Salão.



REVELE COM SUA FOTO COMO VIVE E SOFRE 
NOSSA GENTE

Chegou a hora dos fotógrafos revelarem a consciência social através do concurso População Brasileira instituído pela Sociedade Civil Bem-Estar Familiar do Brasil (Bemfam) em  comemoração ao seu 15.º aniversário de fundação com um total de CR$ 140 mil em prêmios, sendo CR$80 mil para o Primeiro Lugar;  CR$40 mil para o Segundo Lugar  e, CR$20 mil para o Terceiro Lugar. Aqui, na integra, todo o Regulamento do concurso para que você participe.

1-Dos Objetivos
Artigo1.º- Procurando estimular, em nosso País, o debate e a conscientização sobre os problemas de ordem social e econômica provocados pela explosão demográfica, bem como a busca das classes mais carentes de recursos, a Bemfam - Sociedade Civil Bem Estar Familiar do Brasil criou um Concurso Fotográfico sobre o tema População Brasileira, que poderá ser abordados pelos participantes em qualquer dos seus múltiplos aspectos.

II- Da Inscrição
Artigo 2º- Concorrerão aos prêmios oferecidos todos os trabalhos de fotógrafos amadores ou profissionais que se inscreverem no concurso, na forma deste Regulamento.
Artigo 3º-As inscrições serão gratuitas podendo ser feitas a partir do dia 1º de julho de 1980, encerrando-se, impreterivelmente, no dia 20 de outubro de 1980.
Artigo 4º- Os trabalhos poderão ser entregues pessoalmente ou enviados pelo Correio, em envelopes ou pacotes registrados, à Divisão de Produção da Bemfam (Rua das Laranjeiras, 540-RJ-CEP 22240-Telefone: 225-4879).
Parágrafo Único- A Bemfam não se responsabilizará por trabalhos extraviados ou porventura danificados durante o transporte, antes da inscrição.
Artigo 5º- A inscrição dos participantes será confirmada por cartas expedidas pela Bemfam, à medida que os trabalhos forem recebidos.
III- Dos Trabalhos e Autores
Artigo 6º-  Os trabalhos concorrerão em única categoria, de acordo com as seguintes especificações técnicas:
- Somente serão aceitos fotos em preto e branco;
- Deverão ser fornecidas 2 (duas) cópias de cada foto concorrente, sendo uma cópia no formato 24x30cm, em papel mate, e a outra no formato 18x24cm, em papel brilhante;
-No verso de cada foto, o participante deverá escrever, a lápis, em letra de forma, os seguintes dados: nome completo, endereço e título ou legenda do trabalho. A foto deverá ser assinada pelo autor, a caneta, no rodapé, servindo como prova de inscrição e aceitação do regulamento.
- Os fotógrafos selecionados deverão enviar, posteriormente, os negativos das fotos, para a confecção de cópias. Serão aceitas reproduções dos negativos (de boa qualidade).
Artigo 7.º - Cada participante poderá concorrer no máximo com 5 fotos.
Artigo 8º -Todos os concorrentes receberão um  Certificado de Participação.
Artigo 9º- Uma seleção dos trabalhos participantes do concurso será apresentada ao público através de uma exposição que percorrerá as capitais de alguns dos maiores estados brasileiros, conforme as conveniências das instituições que porventura se interessem pela mostra.
Artigo 10º- os negativos serão devolvidos aos participantes. As fotos ficarão na Bemfaz, que poderá utilizá-las a qualquer momento e da forma que julgar apropriada, citando o nome do autor. Prevê-se a publicação de um catálogo com os trabalhos que mais se destacarem.

IV-Da Premiação
Artigo 11º -Os prêmios do Concurso População Brasileira serão atribuídos a 3 participantes, todos em dinheiro, da seguinte forma.
a)      Ao 1 ºColocado -Prêmio Professor Octávio Rodrigues Lima, no valor de CR$80.000,00
b)       Ao 2º Colocado -Prêmio no valor de CR$40.000,00;
c)       Ao 3º Colocado- Prêmio no valor de CR$20.000,00

V-Da Comissão Julgadora
Artigo 12º- A Comissão Julgadora será composta por renomados fotógrafos do País e por representantes de instituições ligadas à arte fotográfica, todos especialmente convidados pela Bemfam, que também terá representação.
Artigo 13º Além dos prêmios previstos, a Comissão Julgadora poderá atribuir Menções Honrosas, a seu critério.

VI- Do Julgamento
Artigo 14.º - A Comissão Julgadora escolherá os melhores trabalhos, considerando os aspectos técnicos e estéticos da arte fotográfica, bem  como as finalidades deste concurso.
Artigo 15º- A decisão da Comissão Julgadora é irrevogável.
Artigo 16º- A Comissão Julgadora terá prazo até o dia 20 de novembro para escolher os trabalhos vencedores.
Artigo 17º- A proclamação dos vencedores será feita a partir do dia 1º de dezembro, através da imprensa e das publicações periódicas da Bemfam.

VII- Disposições finais
Artigo 18º- a entrega dos prêmios aos vencedores será feita durante a inauguração da primeira exposição dos trabalhos selecionados, a ser realizada no Rio de Janeiro, em data e local que serão oportunamente divulgados pela Bemfam.
Artigo 19º- A Comissão Julgadora tem autoridade total para resolver os casos omissos neste regulamento.
Artigo 20º- A inscrição no Concurso Fotográfico População Brasileira implica na aceitação plena e total deste regulamento.

                       PAINEL

WALDOMIRO DE DEUS- Se houver alguém que não tenha visto uma explosão artística numa só pessoa, veja os quadros e a figura do pintor primitivo Waldomiro de Deus.
Realmente a própria figura do Waldomiro já lembra algo primitivo pela sua simplicidade, ingenuidade e, acima de tudo, pelo seu depreendimento. De quando em vez, Waldomiro lembra da amizade que fizemos quando de uma exposição que realizou na Galeria Panorama e envia seus catálogos de novas exposições por este Brasil e até no exterior. Neste quadro Vinda do Comércio ele retrata com suas cores fortes, traços simples e sem rebuscamento os mascates que tanto contribuíram para desbravar este Brasil gigante.

YEDAMARIA- Um show folclórico apresentado por alunos do Colégio Duque de Caxias, marcou a abertura da exposição da pintura e gravadora Yedamaria, artista plástica que retorna dos Estados Unidos, depois de uma estadia de dois anos, onde esteve cursando mestrado de Arte, na Universidade Estadual de lllinois. Pertencente também ao quadro de professores da Escola de Belas Artes, da Universidade Federal da Bahia, Yedamaria está expondo uma série de trabalhos, muitos dos quais pertencentes à fase em que esteve nos Estados Unidos, cursando Mestrado, e para onde pretende voltar para complementar estudos. São vinte trabalhos em diversas técnicas como água-forte, litografia, água-tinta e ponta seca e segundo Mário Cravo Júnior a  apresentação da artista feita em abril deste ano, os trabalhos tem uma grande força no que tange ao cromatismo e revelam paralelamente um perfeito domínio da linguagem técnica.