sexta-feira, 26 de outubro de 2012

ÂNGELO ROBERTO EXPÕE DIA 21 NA GALERIA CAÑIZARES - 17 DE AGOSTO DE 1987

JORNAL A TARDE SEGUNDA-FEIRA, 17 DE AGOSTO DE 1987.

ÂNGELO ROBERTO EXPÕE DIA 21 NA GALERIA CAÑIZARES


Finalmente está marcada e “amarrada” a exposição do excelente desenhista e grande boêmio desta cidade, Ângelo Roberto.Uma exposição que ele faz em memória do seu colega falecido prematuramente, o saudoso José Maria (de Souza). A exposição será na Galeria Cañizares, do dia 21 ao dia 28, sendo que a vernissage será ás 17 horas do dia 21, portanto, num horário que permite a presença de todos seus amigos, mesmo aqueles que trabalham na imprensa baiana.
Para anunciar sua exposição Ângelo esteve na Redação, acompanhado do seu amigo, e “grande fornecedor” do néctar dos deuses, o não menos boêmio Franco Barreto, do Quintal e Raso da Catarina. Juntas estas duas figuras singulares promovem a quatro mãos esta exposição resgatando uma dívida de Salvador para com a arte de Ângelo Roberto.
Acima o artista Ângelo Roberto fazendo um desenho do rosto de Carlos França, chargista 
de A Tarde.
O convite traz uma carta que Floriano Teixeira, enviou para o artista. Como sabemos, o mestre Floriano é bamba no desenho em bicos-de-pena, ilustrador de alguns livros de Jorge Amado, e reconhecido em todo o País. Nesta carta atesta a qualidade do trabalho de Ângelo Roberto quando diz:
“Poucas vezes vi, por estas bandas, desenhos a bico-de-pena, tão bem inspirados e executados como os que vais expor (vi as fotografias de todos eles, pelas mãos de Franco Barreto, teu amigo-irmão). O cruzamento das linhas, enriquecendo e criando tonalidades diversas, faz desses desenhos peças de qualidade e beleza plásticas surpreendentes”.
Portanto, atestada por um mestre do desenho a qualidade de suas obras, só resta a este filho de Ibicaraí, ex-povoado de Palestina, continuar o seu caminho que começou desde a infância sob a influência de sua mãe.
“É a linha que está me preparando para a cor”, confessa Ângelo, e, de repente, lembro-me várias caricaturas suas que vi nas mãos de Franco onde ele capta com perfeição os detalhes dos traços físicos de seus amigos como Guido Guerra, Sílvio Lamenha, Gey Espinheira, Cotrim, Franco, Clarindo Silva e muitos outros. Todos, figuras do primeiro time da noite e da boêmia baiana.
O nosso Ângelo reside em Salvador desde 1944, quando aqui chegou com apenas cinco anos de idade. Lembra-se ainda da primeira vez que viu o mar, azul e grandioso, em sua frente provocando momentos de fantásticas imaginações. Aquela imensidão de água a mover-se em várias tonalidades de azuis e verdes ficou marcada na sua retina e na imaginação da fantasia de criança. “Confessa que esta sua exposição, tem muito a ver com a sua infância, com minha vida toda e com a minha vida social, nos bares desta cidade varando as noites”.