terça-feira, 4 de setembro de 2012

UM BALANÇO DO ANO QUE FINDA - 20 DE DEZEMBRO DE 1982.

JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 20 DE DEZEMBRO DE 1982.

              UM BALANÇO DO ANO QUE FINDA

Estamos terminando o ano de 1982. Resolvi então fazer um ligeiro balanço dos principais acontecimentos ocorridos no setor. É uma retrospectiva, tão comum nas páginas de jornais neste período! Mas, não posso deixar de registrar num só bloco os acontecimentos no setor das Artes Visuais. Direi de imediato que foi um ano positivo.


A Guernica de Sante Scaldaferri foi muito apreciada pelos críticos em todo o país.
Um ano em que foram realizadas algumas exposições de qualidade. Um ano em que entrou com toda a força o Museu de Arte da Bahia, realizando exposições e outros eventos de importância. Porém, mais uma vez a participação dos nossos artistas em eventos fora do estado foi desastrosa. Apenas o Sante Scaldaferri teve um certo destaque, com sua presença na exposição Guernica em homenagem a Picasso, e a Menção Honrosa no Salão Nacional.
A coluna não saiu em janeiro porque estava de férias, o que voltará a se repetir em 1983.
1- Em fevereiro, no período que antecede os festejos carnavalescos, escrevi o artigo “Julgamento e Execução” (dia 15.02.82). “Critiquei com insistência a maneira como a administração de Mário Kertész tinha escolhido a temática e os artistas para decorar Salvador durante o Carnaval de 1981.
Fui o primeiro a levantar o problema, tendo inclusive pago um preço alto por esta firme posição Aplaudi, este ano, quando a Prefeitura abriu a concorrência pública para escolha da decoração, e fiquei desapontado porque apenas três projetos concorreram. Convidando a integrar a Comissão Julgadora, através do presidente da Associação Baiana de Imprensa, Afonso Maciel Neto, tive o cuidado de examinar detalhadamente os projetos concorrentes. Escolhi aquele que achei que melhor estava identificado com o espírito baiano, “Esperando a Copa e juntamente com meus colegas de júri fizemos algumas recomendações que deveriam ter sido obedecidas pelas pessoas envolvidas na execução do projeto. Estou surpreso. Não levaram nada em consideração e ainda por cima mutilaram o projeto aprovado. Ou seja, não estão nem cumprindo o que se propuseram”.
2- O Memorial e a Verdade (1.º/03/82. “Conforme prometi na semana anterior ao Carnaval, que voltaria ao assunto decoração, aqui estou para complementar as minhas observações. Quero agradecer a Carlos Prata pela sua observação no ‘Programe’ em relação às críticas que fiz. Também agradeço a gentileza dos membros da equipe que ganhou a concorrência pública em procurar-me para dar algumas explicações, porém, fui rever o memorial Descritivo no qual a Comissão Julgadora se baseou para a escolha do projeto de decoração e foi lá, exatamente, que encontrei provas para novos argumentos e observações.
3-Concursos de Cartaz e Projetos movimentam artistas baianos (05.03.82).
“Este mês será realmente movimentado para as pessoas que acompanham ou estão envolvidas com a produção artística em nosso estado. É que o Museu de Arte Moderna está promovendo três importantes eventos: 1) um Curso que será ministrado de 29 a 8 de abril, pelo crítico Frederico Morais, no horário das 18 às 20 horas, onde ele abordará o tema Artes Plásticas na América Latina: do Transe ao Transitório, Frederico fará diferentes enfoques sobre a arte latino-americana com relação a seus conceitos, resistência, libertação, muralismo e outras tendências.
Ele projetará 18 audiovisuais, especialmente sobre a arte brasileira. (2) Concurso de Cartaz comemorativo do aniversário de Salvador, visando o seu lançamento quando das festividades dos 432 anos de nossa cidade. (“Ao vencedor, será atribuído um prêmio de CR$ 200 mil; 3) o concurso público para realização de Trabalhos de Artes Plásticas, quando serão empregados CR$2 milhões e 400 mil”.
4-Exposição de Ângelo Roberto (22.3.82)- “Depois de três anos sem mostrar os seus desenhos, Ângelo Roberto inaugurou a Galeria Raimundo Oliveira, com uma exposição individual. A nova sala, iniciativa do Instituto Mauá, está localizada no Porto da Barra, no prédio daquela entidade e acrescenta à cidade mais um local para os artistas plásticos, ampliando, assim o espaço cultural de suas atividades, até então restrito à comercialização do artesanato baiano”.
Uma caricatura de Ângelo Roberto do escritor baiano João Ubaldo Ribeiro.
5- Centenário de Biquiba (29.3.82)- “Será comemorado a 2 de abril o centenário do escultor Francisco Biquiba Dy Lafuente Guarany, autor de muitas das carrancas esculpidas neste século para as barcas do Médio São Francisco, que, segundo o Prof. Clarival Valladares, do Conselho Federal de Cultura, constituem “assunto de extrema importância na história da cultura brasileira, pois fazem o nível mais elevado da criatividade do arcaico, no Brasil”.
6-Uma notícia triste. Morre José de Dome, o pintor da alma brasileira (19.4.82)- “Morreu o pintor sergipano José de Dome. O pintor descalço e que soube colorir a alma brasileira. Filho de trabalhadores rurais, José de Dome nunca se deixou levar pela fama. Nasceu humilde, viveu humilde e assim morreu. Muitos não entendiam por que andava com os pés descalços pelas ruas de Cabo Frio, cidade do litoral carioca que elegeu como seu próprio paraíso. E, aos que indagavam por que não usava sapatos, respondia:” Na infância não os tive e por isso fui proibido de entrar numa exposição de pintura”.
7- Duas ceramistas mineiras no MAMB (10.5.82)- “As mineiras Lucimar Bello e Mary Di lório estão expondo no Museu de Arte da Bahia, até o próximo dia14, trabalhos de pintura e cerâmica. São duas artistas conscientes de seu papel de mulher na sociedade atual, mas que preferem ficar afastadas da militância dos movimentos feministas por discordarem de radicalizações tão comuns em alguns posicionamentos”.
8- Novos projetos escolhidos (24.5.82)- “Nove artistas foram escolhidos no concurso público de projetos, em artes plásticas promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia, através o Museu de Arte Moderna. Pela segunda vez, integrei o júri que selecionou os candidatos e posso dar meu testemunho da importância desta promoção que visa colocar o artista à vontade dentro do processo criativo, sem a preocupação de produzir para vender. O artista é financiado pelo MAMB para exercer a sua criação com total liberdade.
É preciso, portanto que aqueles agora escolhidos atentem para o fato de que estão trabalhando com dinheiro do povo e por isto não podem cometer as falhas que ocorreram no concurso passado. Já se vão dois anos e até afora dois artistas não cumpriram o estabelecido, cabendo até uma ação judicial por parte da fundação.
Como já é de conhecimento público, foram selecionados: Zito, com o projeto ‘Personagens’; Almandrade, com ‘Escolas de Carpetes; Nildão, com o projeto ‘Popularização do Desenho de Humor ; Eckenberger, com ‘Morro num País Tropical Acolchoado por Deus; Márcia Magno, com Arraias; Juarez Paraíso, com Fotodesign; Juraci Dórea, com terra; Rino Marconi, com Tresporquatro e Vauluizio Bezerra, com um projeto sem título.
9- Sante faz boa exposição (12.7.82)- Eles podem ser encontrados nas encruzilhadas, nas cruzes abandonadas à beira da estrada ou mesmo nas igrejinhas de povoados, aonde a civilização ainda não chegou com sua febre de modernidade. São esculpidos por gente sem cultura, mas sensível por acreditar no mundo após a morte e temerem a Deus.
São os ex-votos, encomendados por familiares, de pessoas que acreditam ter alcançado uma graça ou mesmo beneficiado por um milagre. E, assim como os homens em sua grande maioria temem a morte e o que poderá acontecer após a sua chegada, enquanto vivem, cultuam os espíritos e um ex-voto é uma prova desta postura.
10- Israel Pedrosa e seu sonho e a realidade da cor inexistente (18.7.82) – “A exposição de Israel Pedrosa é composta de quarenta e dois trabalhos, sendo 13 serigrafias e 29 originais e fica aberto ao público no Museu de Arte Moderna até o próximo dia oito de agosto.
Lá você tem uma idéia perfeita da importância dos estudos teóricos deste artista que vive mergulhado nas variações da cor. Pude ver de perto, de lado e guardando uma distância significativa o que ele chama de a cor inexistente e que para alguns pode parecer apenas uma ilusão ótica.
11- Exposição dos 80 anos de Teruz (23.08.82)- Aos oitenta anos de idade, completados no último dia 18, o carioca Orlando Teruz é uma das marcas registradas da arte brasileira. Sua arte, que brotou de uma visita que fez, justamente com seu pai, ao Museu do Cairo, é cheia de vitalidade e riqueza de nossas tradições populares.
Uma temática rica e de belas formas e clima da gente brasileira. Tem uma produção invejável em torno de 11 mil quadros já pintados, embora faça questão de afirmar que nunca fiz uma estatística, mas levantando a minha produção, ano por ano, cheguei à conclusão de que estou atingindo aquela marca.
São telas espalhadas por todo este Brasil, e muitas no exterior. Agora, ele expõe, a partir do dia 25, no Bahia Othon Palace Hotel, graças ao trabalho do marchand Luís Caetano S. Queiroz que deseja prestar-lhe uma homenagem, e para nós baianos é gratificante esta exposição do mestre Teruz. O que ele não gosta é de retrospectiva porque ainda está vivo e pintando muito. Acha que somente, quando morrer é que esta palavra terá sentido quando se referir a sua arte.
12- Denunciei o desrespeito dos burocratas (06.09.82) –“O pintor baiano Esperidião Mattos tem sido uma vítima constante de alguns órgãos públicos. Basta dizer que já foi obrigado a mudar de residência duas vezes e, atualmente, está novamente sendo importunado por uma obra da Telebahia que inclusive não lhe permite trabalhar com tranqüilidade.
Agora, chegou à vez da Prefeitura Municipal, importuná-lo, aliás, de desrespeitar seu próprio trabalho artístico. Esperidião Mattos é um autor de vários murais que existem na parte alta do Elevador Lacerda onde retrata pontos pitorescos da cidade.
Recentemente ele teve o cuidado de restaurar todos os murais para que os turistas que nos visitam tenham uma visão, mesmo que rápida, de nossa Salvador. Porém, os burocratas da Prefeitura, que certamente não gostam de arte, mandaram afixar alguns painéis eletrônicos com propagandas de gosto duvidoso, basta dizer que nunca delas anuncia uma empresa que limpa fossas.
13- Exposição de Renina Katz, no Solar do Unhão 13.09.82) – “A poesia e o desenho unidos na obra Romanceiro da Inconfidência representam não apenas a presença de Cecília Meirelles e da artista Renina Katz, mas, acima de tudo, um momento histórico reservado para literatura e as artes plásticas brasileiras.
Revela ainda a força dessas duas mulheres e que a partir do próximo dia 17 até o dia 30 do corrente mês estará em exposição no Solar do Unhão.
14- O mestre Rescala expõe – 27/9/82 – “O mestre Rescala, fundador do Núcleo Bernadelli e professor de várias gerações na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, está de volta com uma importante exposição em sua homenagem que será aberta hoje, às 21 horas, no Bahia Pálace Hotel. São 72 anos de idade e cinqüenta e dois anos dedicados à arte. Uma existência pacífica e rica em criatividade. Ninguém pode escrever a História da Arte no Brasil sem mencionar sua presença ativa no Núcleo Bernadelli, sem esquecer também que durante anos a fio trabalhou na restauração de importantes obras como funcionário do antigo Patrimônio Artístico e Histórico Nacional.
15-Congresso dos Arquitetos 11/10/82 – O Congresso dos Arquitetos que, se realizará em Salvador de 19 a 24 do corrente mês tem como tema central A Gestão Democrática da Cidade. Um tema oportuno e que certamente resolveria em parte o nosso problema urbano, caso estivéssemos num país ou mais especificamente numa cidade democrática. O que estamos assistindo é uma inversão de valores, uma constante mutilação e desfiguração da nossa cidade, onde suas ruas já estreitas estão sendo cada vez mais estreitadas com alto e desnecessários calçadões. Não interessa saber quem os projeto ou, se foi um arquiteto ou um engenheiro. O que estamos presenciando é algo de anormal, e diria melhor de brutal”.
16- Museu de Arte da Bahia 1º/11/82 – estará em novo endereço nesta sexta-feira, dia 5, ocupando os amplos salões do Palácio da Vitória, construção nobre já incorporada ao patrimônio cultural da cidade. Novas instalações que possibilitam transformá-lo num espaço cultural de múltiplas atividades.
Encerrando o ano o Museu de Arte da Bahia apresenta " 400 Anos do Mosteiro de São Bento".(foto Google)
17-O retorno de Leonardo Alencar – 15/11/82. Estava envolvido em meu árduo trabalho de estruturar a cobertura das eleições quando Cosme colocou sobre a mesa alguns envelopes com a minha correspondência diária. Como estava muito atarefado, resolvi deixar tudo de lado, para um momento mais oportuno. Não imaginava que estava perdendo alguns minutos de alegria e felicidade, sim, porque num daqueles envelopes estava uma correspondência de grande revelação  “Irmão Reynivaldo: Esta vitória também é sua. Um abraço de Leonardo”.
18-Exposição de Poty no Desenbanco – 29/11/82 – O Núcleo de Arte do Desenbanco inaugura hoje a sua Sala de Exposições Temporárias com a mostra de um dos artistas mais importantes do cenário nacional que é o curitibano Napoléon Potyguara Lazzarotto mais conhecido por Poty.
19-A desinformação sulista – 13/12/82 – Aqui na Bahia assistimos de braços cruzados a hegemonia do sul com relação a política cultural. O Salão Nacional de Artes Plásticas é um exemplo grosseiro da presença sulista e da visão de alguns intelectuais feitos à beira de uma mesa de bar nos calçadões cariocas ou nos inferninhos lacrimejantes da paulicéia desvairada, que vomitam suas idéias para o resto do país. Uma visão deturpada e importada, é bom salientar. Muitos cultuam uma arte que não tem característica de qualquer lugar. São simples cópias mal feitas de produções americanas e européias. E, infelizmente, é dentro desta visão do tempo das Capitanias Hereditárias que é encaminhada a política cultural neste país. De vez em quando surge um lampejo como Aloísio Magalhães que era nordestino, mas infelizmente já faleceu.