sábado, 8 de setembro de 2012

O MEMORIAL E A VERDADE - 1º DE MARÇO DE 1982.


JORNAL A TARDE , TERÇA-FEIRA, 1º DE MARÇO DE 1982.

                                  O MEMORIAL E A VERDADE

Conforme prometi na semana anterior ao Carnaval que voltaria ao assunto Decoração aqui estou para complementar as minhas observações. Quero agradecer a Carlos Prata pela sua observação no programa  Programe em relação às críticas que fiz. Também agradeço a gentileza dos membros da equipe que ganhou  a concorrência pública em procurar-me para dar algumas explicações. Porém, fui rever o Memorial Descritivo no qual a Comissão Julgadora se baseou para a escolha do projeto de Decoração e foi lá, exatamente, que encontrei provas para novos argumentos e observações. Vejamos:
1-Na página 4 ,quando fala da distribuição dos elementos da Decoração li textualmente o seguinte: Área da Carlos Gomes e Rua da Ajuda ( v. Prancha 16). Esta composição é formada por três bandeiras representativas dos times que participam do Campeonato Nacional, ladeadas pelo símbolo da Copa.
 Homenagem às equipes nacionais que formam a força do nosso futebol.
 Nada disto foi feito!
2-Na página 5 do referido Memorial está escrito: Distribuição das Peças Ornamentais: Carlos Gomes 40 composições aéreas
3-No resumo onde é feita a soma das peças, está lá o total de 344 unidades e 120 peças aéreas para a Carlos Gomes.
Note-se que aí já não fala mais em 40 e sim em 120 peças, porque segundo explicação dos membros da equipe, as demais seriam formadas por composições com lâmpadas coloridas, portanto, integrante do Projeto de Iluminação.
O que questionei e provo agora através do próprio Memorial Descritivo é que a equipe não cumpriu, a rigor, o que havia proposto. As ruas Carlos Gomes e Ajuda foram totalmente esquecidas, e é bom que se diga que nessas ruas sempre existe concentração popular durante o Carnaval, especialmente na Rua Carlos Gomes. Não questionei ora nenhuma que a Decoração fosse feia.
Ao contrário, achei criativa,embora intrinsicamente tenha uma conotação cívica de enaltecer o futebol e outras coisas que não cabem neste momento discutir. Sei também que o grupo alegou junto a Prefeitura  que os quase 20 milhões de cruzeiros foram insuficentes para o que eles se propunham a fazer. Ora, então não estimasse o projeto nesta quantia, já que de antemão sabiam que não iam ganhar dinheiro. Não admito que profissional trabalhe sem ganhar. Trabalhou, tem que receber dignamente. Foi também errada a Prefeitura em não estimar quanto tinha para gastar na Decoração. O limite tem que ser estabelecido, como , por exemplo, até 20 milhões e assim os projetos seriam concebidos dentro desta estimativa. Omissões de lado a lado, portanto.
Também aguardei que todas as peças fossem colocadas nas ruas e praças para dar uma opinião sobre a plasticidade da Decoração.
Confesso que gostei, achei bem executada, um colorido bonito e bem diferente da que foi colocada no ano passado, que não tinha criatividade e sim apenas improvisação de péssimo gosto.
Nesta Decoração dá para a gente sentir a profissionalização, no desenho, na criatividade e  faltou no cumprimento no que os membros da equipe tinha se comprometido. Parece chato a gente ter que voltar a falar da Decoração. Mas é preciso saber que existe alguém atento a possíveis fraudes, marmeladas e falta de compromisso.
Também esqueceram da nova taça. Uma lástima!
Quando estiveram comigo, disseram que a nova taça não é conhecida! Ora, melhor razão para divulgá-la, para torná-la conhecida. O que vemos são desculpas insustentáveis. Mas, o pior é que não tem mais jeito porque já embolsaram o dinheiro. Fica, no entanto, o aviso para que os responsáveis pelo dinheiro público amarrem as coisas de tal forma que tenham condições de exigir.
Tudo isto é fruto da desorganização de alguns setores públicos que não planejam detalhadamente as coisas. É preciso estipular com antecedência o valor, dar condições e tempo para execução do projeto e tudo mais. Lembro agora que enquanto no Rio de Janeiro e em outras capitais as decorações eram inauguradas , aqui nem havia começado, porque o dinheiro não havia sido liberado. É preciso lembrar que o Carnaval da Bahia desperta muita inveja nos promotores de carnavais de outras cidades. Temos que nos esmerar para que o melhor Carnaval do Brasil não seja prejudicado como vem sendo nestes últimos dois anos.

ASSOCIAÇÃO DE ARTISTAS QUER ADQUIRIR  UMA SEDE


Reunidos em Assembléia Geral na última sexta-feira, à noite,na Escola de Belas Artes da Universidade  Federal da Bahia, membros da Associação de Artistas Plásticos da Bahia, discutiram vários problemas de interesse da classe, entre os quais, a aquisição de uma sede própria para a entidade.
A presidente da Associação, Denise Pitágoras ,informou que a proposta já foi aprovada pelos associados e conta, com o apoio do Conselho de Cultura, através de sua Câmara de Arte, cujo representante é o professor Wilson Lins, com quem já manteve contatos anteriores, do Museu de Arte Moderna da Bahia, da Coordenadoria de Museus e da Escola de Belas Artes.
Na foto vemos poucos presentes  na reunião e muitos para cobrar trabalho...
Além da aquisição da sede própria para a Associação dos Artistas Plásticos da Bahia, durante a assembléia foi apresentado o Relatório de Trabalho que a entidade vem realizando em relação aos interesses da classe de artistas; discutido o problema da regulamentação da profissão; a transformação da AAPP como entidade de utilidade pública, e ainda os preparativos para a realização do II Encontro Nacional de Artistas Plásticos, a ser realizado aqui em Salvador no próximo mês de outubro e, finalmente, a possibilidade de ser trazido também para cá o Salão Nacional de Artes Plásticas do próximo ano.

DUAS CRIANÇAS DA BAHIA CORÉIA

Recebi de d. Lícia Borges Barros uma carta onde tomo conhecimento que seus dois filhos foram premiados na 23ª Exposição Mundial de Arte Infantil realizada na Coréia. As crianças receberam medalhas de Prata e Bronze. Estou contente por duas razões: primeiro: - Foi através desta coluna que d. Lícia Borges Barros tomou conhecimento da exposição e segundo,  porque duas crianças baianas foram premiadas.
Para os que acompanham de perto o desenvolvimento de seus filhos informo que a 24ª Exposição de Arte Mundial Infantil promovida por uma fundação coreana será realizada este ano no mês de outubro. Os que estiverem interessados podem procurar o editor desta coluna que fornecerei cópias da ficha de inscrição. Publico a seguir a correspondência que recebi de d. Lícia Borges Barros.
Prezado Senhor: Há alguns meses atrás , creio que em julho p.p. através da sua coluna, tomei conhecimento da 23ª Exposição  Mundial de Arte Infantil, na Coréia. Enviei em princípio de agosto dois trabalhos de meus filhos, desenhos feitos na escola ( Colégio São Paulo), e para surpresa nossa recebemos através dos Correios o seguinte resultado: 1) Minha filha, Liana Senna Borges de Barros, de 6 anos, foi premiada com Medalha de Bronze. Recebemos a medalha acondicionada em belíssimo estojo e um Certificado. 2) Meu filho, Marcos Senna Borges de Barros, de 9 anos, ( à época) teve o seu trabalho selecionado e recebeu 1º Certificado. Dois álbuns com fotografias a cores e em preto e branco, documentando a exposição e reproduzindo alguns trabalhos, foram também remetidos.
Anexando cópias esclarecedoras, informo que foram inscritos 15.426 trabalhos de 56 países e selecionados 2.640,entre os quais figuram quatro do Brasil:1)Medalha de Prata ( A Beautiful Day) de Katherina Von Bulow, 7 anos; 1ª Medalha de Bronze ( My House) Liana Senna Borges de Barros, 6 anos.(Reprodução acima)
Trabalhos selecionados:1) Marcos Senna Borges de Barros ( Experiences) 9 anos.
                                2)      Mônica Von Bulow ( Flying After The Sun), 11 anos.
Observação: ignoro o Estado  em que residem as irmãs Von Bulow.
Agradecendo a oportunidade que me deu ao divulgar o concurso , subscrevo-me, cordialmente, Lícia M.S. Borges de Barros."


                           EMMA VALLE EXPÕE

Emma Valle está promovendo a exposição de 15 artistas no que ela intitulou Divularte no Atelier Thiago, na Rua do Sodré, 48. A expoosição será inaugurada amanhã e parte da arrecadação com a venda das obras será dedicado às crianças pobres. A incrível  Emma Valle nos apresenta inclusive um catálogo original com várias emendas feitas de caneta esfereográfica e na capa a seguinte inscrição: Emma Valle abre o Ano das Artes em Salvador. O trabalho da artista é um retrato fiel da sua maneira de ser.
A artista Emma Valle em seu atelier O Cartola Internacional.
Uma coisa diluviana e de difícil entendimento por aqueles que não a conhecem de perto. Poderia inclusive integrar qualquer estudo sobre a plasticidade e o inconsciente. Ela pinta tudo  desde uma gamela de madeira que surge em sua frente, uma colher de pau e assim por diante. Vive numa louca fantasia de busca e expressão. Ela mesma afirma que  "esta exposição é uma homenagem dos artistas que residem no Sodré pelos seus 15 anos de arte."
 Integram a mostra: Emma Valle, Edmilson Ribeiro, Zu Campos, José Thiago, Meireles, H. Bonfim, Hamilton Passos, Pedro Museu, Justino Marinho, César Romero, Sidney Roberto, Zivé, Guache, Tino Oliveira e Márcia Magno. Sabe-se que alguns dos expositores não moram na Rua do  Sodré.