quarta-feira, 5 de setembro de 2012

CENTENÁRIO DE BIQUIBA SERÁ COMEMORADO DIA 2 DE ABRIL - 29 DE MARÇO DE 1982.

JORNAL A TARDE SALVADOR, TERÇA-FEIRA, 29 DE MARÇO DE 1982.

 CENTENÁRIO DE BIQUIBA SERÁ COMEMORADO
DIA 2 DE ABRIL

 Será comemorado a 2 de abril o centenário do escultor Francisco Biquiba DY Lafuente Guarany, autor de muitas das carrancas esculpidas neste século para as barcas do médio São Francisco, que, segundo o Prof. Clarival Valladares, do Conselho Federal de Cultura, constituem “assunto de extrema importância na história da cultura brasileira pois fazem,o nível mais elevado da criatividade do arcaico, no Brasil”.
Guarany produziu de 1901 a 1980 cerca de 80 carrancas para barcas e 130 para colecionadores, além dos santos barrocos esculpidos em sua juventude e as figuras de um grande presépio que fez na década de 1940. Tendo trabalhado 81 anos, até a idade de 98 anos, retém um recorde brasileiro e, provavelmente, mundial. Seu estado físico e mental é bom, como comprovou ao viajar, em 1981, em pequeno avião, de sua cidade natal, Santa Maria da Vitória, no interior da Bahia, até Brasília, para a inauguração da mostra “Guarany 80 anos carrancas”, quando autografou mais de uma centena de catálogos.
Essa exposição, a maior que já houve sobre o tema, ocupou 500m2 e foi também apresentada no Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife e Petrolina, sob o patrocínio do Serviço de Documentação Geral da Marinha e outras entidades. Dentre os documentos expostos, periódicos franceses com fotografias de carrancas de Guarany e uma carta que lhe foi enviada pela presidente da Comissão Internacional para o Estudo das Figuras de Proa- (Unesco-Paris), declarando que sua obra “faz parte do que já encontrei de mais belo em minhas pesquisas”.

Isso justifica o que escreveu Carlos Drummond de Andrade: “pois é. Quem diria que as carrancas antropomórficas de Francisco Guarany saltassem das águas do Médio São Francisco para a contemplação européia e fosse hoje o motivo de interesse mundial”.

Guarany é bisneto, por parte de pai, de frade espanhol (Dy Lafuente) e negra do Moçambique (Biquiba) e, por parte da mãe, de índia do Paraguaçu (daí o apelido de Guarany, incorporado ao nome). Além de marceneiro, sua atividade básica, foi, em sua cidade, juiz de paz durante 39 anos é observador pluvio-fluviométrico do Ministério da Agricultura, por 35 anos.

Sua veia artística é diversificada: pintava bandeiras, inclusive do Divino (Espírito Santo) e participava de serenatas tocando violão, embora não prove bebida, pois é presbiterianista convicto, o que não impede de participar da forte carga mística de sua comunidade, que inclui a crença na existência do caboclo d’água, provável inspirador de suas “figuras de barca”, como eram conhecidas essas esculturas no São Francisco.

A grandeza da obra de Guarany e a pureza de sua personalidade que podem ser avaliadas no capítulo de seu biógrafo, Paulo Pardal, da obra carrancas do São Francisco justificam sua classificação por Drummond como “uma grande figura humana” e a exposição de 1981, em sua honra, como “a mais comovedora, a mais lírica, a mais funcional, a mais gratificante, a mais brasileira, (...)”

                                                      AS COMEMORAÇÕES

A exposição “Guarany 80 anos de Carrancas”, devido ao sucesso alcançado junto ao público e aos mais variados setores culturais do país, está de volta a Salvador, a convite do governo do estado da Bahia, após ter sido apresentada em várias cidades brasileiras.

As carrancas estão no Centro de Convenções, onde hoje, as 20:00 horas se inaugura o IV Congresso Brasileiro de Mastologia, permanecendo até o dia 2 de abril naquele local. Aberta ao público das 8:00 às 20:00 horas. Na ocasião será prestada homenagem especial a Francisco Guarany, que no próximo dia 2 de abril completará 100 anos.

A repercussão da exposição, que desde setembro do ano passado até hoje já percorreu as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Salvador, Recife e Petrolina gerou um movimento nacional em torno do tema e daquele que é o mais velho artista popular brasileiro vivo. Além de homenagem do governo do estado da Bahia, o Congresso Nacional deverá aprovar até a data do centenário de Guarany, lei que lhe concede pensão vitalícia de três salários mínimos. Foi também concedido a ele, pela Associação paulista de Críticos de arte, o Prêmio revelação 1982, estando ainda prevista a realização de um “Salão Guarany” nos meses de julho e outubro, em Juazeiro e salvador, respectivamente, com prêmios para as melhores carrancas no espírito das genuínas.

 DIRETOR DO MAMB SATISFEITO COM POSIÇÃO
DESTE COLUNISTA

Recebi esta carta de Francisco Liberato agradecendo a força que venho dando às promoções do Museu de Arte Moderna da Bahia. Fiquei satisfeito em saber que teve repercussão o comentário que fiz exigindo respeito daqueles que foram escolhidos e não tinham entregues os projetos concluídos e que aumentou o número de interessados. Mas, é bom salientar que está adiado até 11 de maio o prazo para realização de inscrições ao concurso de Projetos de Artes Plásticas do MAMB. Deixo a seguir a carta de Liberato para conhecimento dos interessados:

“OF. N.º 30/82
Ao Sr. Reynivaldo Brito
Jornal ‘A Tarde’
Prezado senhor:

        Queremos informar-lhe que sua coluna do dia 8 p. passado, teve uma grande repercussão no meio artístico, observado por nós pelos comentários positivos e grande aumento do número de interessados que têm procurado este museu para maiores informações e participação nos acontecimentos divulgados.
CONCURSO DE PROJETOS- Em face do aumento considerável do número de interessados a atendendo solicitações dos mesmos, estamos prorrogando o prazo de entrega dos projetos e respectivas inscrições, para o dia 11 de maio, no intuito de corresponder ao aumento de artistas interessados.
Adiantamos ainda, que desejamos contar com a participação de V. Sa. Como membro do júri que selecionará os projetos a serem produzidos pela Fundação Cultural do estado da Bahia. No devido tempo faremos o convite oficial.
CONCURSO DE CARTAZES- Agradecemos a divulgação, o que prestigiou o nosso concurso e esperamos um resultado que corresponda ao nível alto da mensagem cultural que representa os 433 anos de fundação da nossa cidade.
CURSO DE FREDERICO-  Por motivos de coincidência do período do curso do professor Frederico Moraes com os feriados da semana Santa, em entendimentos com o referido professor resolvemos prorrogar a realização do curso ‘Artes Plásticas na América Latina’ para o período do dia 03 a 15 de maio próximo.
Esperando continuar a merecer o prestígio da divulgação dos nossos eventos na sua coluna, firmamo-nos, atensiosamente, Francisco Liberato de Mattos, diretor do MAMB.

                          MURAL
 

CURSO DE FOTOGRAFIA- Michael Lee Wanner vai transmitir seus conhecimentos fotográficos a todos aqueles que gostam de fotografia, através um curso que será ministrado a partir do dia 12 de abril. As inscrições podem ser efetuadas no Clube de Engenharia da Bahia, que fica na Rua Carlos Gomes, nº 31, e também na Escola de Belas Artes, da UFBa., no Bairro do Canela.
O curso será intensivo, de cinco semanas e quanto à taxa de inscrição, horário e outras informações podem ser conseguidas nos locais das inscrições.
Michael Lee Wanner é um artista/fotográfo e também formado em Arqueologia pela Adams State College, do Colorado. Tem cursos de fotografia em várias cidades americanas e uma experiência profissional excelente.
Aqui ele já expôs no Museu de Arte Moderna com muito sucesso de público e crítica.

AQUARELA DE CHARLES -Duas pinturas de autoria do príncipe Charles foram exibidas numa exposição do prestigioso Instituto Real de Pintores de Aquarelas, em Londres.
As aquarelas de Charles obedecem a “verdadeira tradição britânica”, disse o porta-voz do instituto, Maurice Bradshaw.
“Elas são bastante boas”, disse ele. “Ele é um competente pintor de aquarelas. Esta exposição tem um padrão muito alto”.
“Este país tem uma boa reputação por seus pintores de aquarelas e as dele obedecem a verdadeira tradição britânica”.
O Palácio de Buckingham disse que Charles pinta há anos, mas está aparentemente foi sua primeira exposição em Londres.
As pinturas intituladas “Nepalese House in Nauri Danda Village” e Great bitter Lake”, estarão expostas até 12 de abril. Elas fazem parte de 752 pinturas escolhidas entre três mil inscritas pelos maiores pintores de aquarelas da Grã-Bretanha.

 BANDEIRA- O artista plástico José Bandeira teve todos os seus trabalhos adquiridos antes de terminar o período de 15 dias de sua exposição, no 2º piso da Sandiz. O artista foi convidado por Luiz Ferraz, daquela organização, para expor durante a inauguração de duas novas lojas da cadeia, em Niterói e São Paulo, no próximo mês de maio, quando mostrará casarios da Bahia.
Bandeira, além de pintar casarios, tem como temática vias-sacras, marinhas e santos, já tendo participado de várias coletivas e 20 exposições individuais na Bahia, duas no Rio de Janeiro e duas em São Paulo.
Também já pintou alguns painéis e participou de bienais.

 WALTER OLIVEIRA- Vinte telas a óleo do artista plástico baiano Walter Oliveira estão expostas no Museu Afro-Brasileiro até o final deste mês. A flor é a imagem onde Walter pousa a sua atenção, mas sua retina de criador foca este fortíssimo símbolo da natureza ligado à figura humana.
Há quem diga que o trabalho de Walter está pleno de espiritualidade, de negritude mas ele reduz e dialeticamente contesta este conceito de afirmar: “Sou um cultivador da beleza”. E que nunca se preocupou em definir seu trabalho, deixando a cargo dos observadores, há algo de que ele fala com muita convicção:“Todos os discursos que eu tenho ouvido a respeito de consciência negra estão cheios de bobagens. Consciência Negra no Brasil se limita a bloco de Carnaval, fazer música para arrastar multidões ou imitar os americanos”.
 HELYLIMA- “Ele veio da Bahia há 12 anos para trabalhar no departamento de arte da Agência Bob Brown Associates como desenhista especializado em cartazes para a América latina. Jamais se exibiu no Brasil e praticamente começou sua carreira de pintor nos Estados Unidos. Seu tema: a Cidade de New York. Seu estilo original, aclamado não só nos Estados Unidos como também na Europa e agora sendo também lançado no Japão. A revista Graphic Design, editada em Tóquio, publicou, recentemente, artigo de 4 páginas a cores sobre Lima. Ele é um dos poucos pintores que vivem exclusivamente de arte e também um dos poucos com uma lista de espera de 36 clientes, número mais do qe sufuciente para vender duas vezes que se exibiu em Paris (Gelerie Jean-Pierre Lavignes) seus trabalhos foram totalmente vendidos motivando cancelamento de exposições em Dusseldorf e Strassburg”.
 
PRIMEIRA INDIVIDUAL- A artista Neuza Guimarães está expondo desde o dia 26 na Galeria 13, Rua Gravatá, 37. É a sua primeira exposição individual. A mostra compreende 19 desenhos em bico-de-pena. Ela já participou da 6ª Exposição de Jovens Pintores, na galeria “O Mundo dos Quadros”, em setembro de 1980, e da exposição coletiva que comemorou os oito anos da galeria 13, em 1981.