sexta-feira, 28 de junho de 2013

FEIRAS DE ARTE NO INTERIOR

JORNAL A TARDE SÁBADO 02 DE AGOSTO DE 1975



Fui convidado pela Casa da Amizade de Feira de Santana para participar da  I Feira de Arte que se realizará amanhã, na praça da Matriz, a partir das 10 horas até às 21 horas, quando mais de uma dezena de artistas e artesãos estarão expondo seus trabalhos. A feira é patrocinada também pela Secretaria de Turismo do Município e o Museu Regional e ela se repetirá em todos os primeiros domingos de cada mês. Tem como objetivo levar a arte ao povo com a participação de pinturas, esculturas e trabalhos de artesanato. Participarão desta feira os artista: Juracy Dórea Falcão, Miguel Alves, Vivaldo Lima, Nailson Chaves, Manuel de Souza, Charles Albert, Ana Pinto Cláudio, Allan Guimarães, Míriam Paciência, dentre outros. O professor e grande ceramista Udo Knoff também estará presente e haverá apresentações do repentista Caboclinho e do músico Peter.
A pintora primitiva Maria Araújo expõe  durante o
Festival de Inverno de Morro do Chapéu
Recebi também o convite do I Festival de Inverno de Morro do Chapéu que foi iniciado ontem, e que se estenderá até amanhã reunindo artistas da região, entre os quais o escultor Carlito.Como diz Wilson Rocha "suas figuras compactas e monumentais, com fortes tendências abstracionistas lembram guerreiros helênicos.''
O que pretendo é mostrar a importância do trabalho que algumas pessoas estão interessadas em desenvolver em cidades do interior de nosso Estado, levando a arte ao povo. Esta interiorização da arte faz-se necessário e é de primordial importância para o desenvolvimento cultural.
Li recentemente que a Bahia apresenta um alto índice de analfabetos, o que certamente não condiz com a nossa formação. É preciso que a arte seja levada ao interior, cada vez mais, com afinco e sobretudo com o objetivo de educar.

             ANITA DANTAS E SUAS BONECAS

Foi feliz na escolha do tema para a realização de alguns quadros da série Bonecas que agora são mostrados na Panorama Galeria de Arte . Sim bonecas que não falam, não andam mas, que mostram grande expressividade e pureza. Principalmente, as bonecas não morrem. Vivem eternamente no coração daquelas pessoas que, quando crianças, as embalaram em seus braços.
Assim a artista Anita Dantas vai retratando as bonecas, desde as mais simples de pano às mais sofisticadas, criadas e fabricadas pela sociedade de consumo, que mesmo com sua crueldade não conseguiu roubar-lhes a pureza. Anita Dantas não é mais uma madame que resolveu pintar nas horas vagas. Sim, porque estamos assistindo pasmados e de braços cruzados a fabricação de artistas. É artista pra todo lado. Em cada casa tem um artista. Não. Anita Dantas tem criatividade e sensibilidade e vem realizando um trabalho consciente.
Com poucas pinceladas ela consegue expressividade em suas Bonecas. Notei uma tendência a espontaneidade de pinceladas, sem a preocupação com a rigidez do traço. Notei também, nos trabalhos que tive a oportunidade de ver, a preocupação da artista com o back ground e também com a profundidade. Dentro desta temática, Anita Dantas deve continuar pintando, pois tenho certeza que conseguirá maior leveza em sua pintura.

          SÉRGIO RABINOVITZ MOSTRA GRAVURAS

Já falei de Sérgio Rabinovitz, um jovem gravador que a partir de 8 do corrente estará expondo na Mini-Galeria da USIS, no Corredor da Vitória, 1883 artigo 214.
Com esta exposição se despede da Bahia, devendo viajar para os Estados Unidos onde cumprirá um programa de estudos patrocinado pelo Instituto of International Education.

         SÁVIO ARAÚJO E SUAS ILUSTRAÇÕES EXPRESSIVAS

O artista pernambucano Sávio é um bom ilustrador
Conheci alguns quadros do pintor e ilustrador Sávio Araújo através de seu pai Valter Vieira Araújo que me levou ao Praiamar Hotel, no bairro da Barra, onde mais de uma dezena de quadros inspirados em temas sacros estavam expostos. O trabalho de Sávio mesmo os quadros a óleo, mostram uma tendência nata  à caricatura. As figuras são tão estilizadas que ora confundem-se com caricaturas e os volumes são executados em cores planas e outras vezes com uma fusão de tons similares, sem perder a sua própria unidade. Tons claros e limpos dando aos santos retratados uma atmosfera angelical de pureza. Embora com 19 anos, Sávio já é o editor de arte de uma estação de televisão em Recife e trabalha como ilustrador do semanário Jornal da Cidade, também da capital pernambucana. Nascido em Garanhuns, Pernambuco, o menino Sávio sempre gostou de desenho. Aos 12 anos realizava sua primeira exposição de desenhos feitos com crayon. Aos 15 anos já trabalhou em algumas agências de propaganda em Recife e com 16 anos foi trabalhar na Rede Globo. Vive hoje exclusivamente de seu trabalho e espera dentro em breve deslocar-se para o sul do País, onde pretende desenvolver melhor a sua arte.
Sua rápida exposição no Praiamar Hotel, na Barra, foi o primeiro contato com o público e o mercado de artes baianos. Mas Sávio deverá voltar a Salvador para mostrar melhor sua arte, com novos trabalhos que certamente serão ainda mais concebidos.

  OS ÍNDIOS, UMA MINORIA VÍTIMA DA CIVILIZAÇÃO

Objetos utilitários da tribo Krahó, do estado de Goiás
Os dirigentes do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro pretendem realizar uma série de exposições e outras promoções de trabalhos e outras manifestações das minorias indígenas, com o propósito de sensibilizar autoridade e o povo brasileiro sobre a necessidade da preservação da identidade e coerência dos seus sistemas culturais. A primeira é a mostra de objetos da tribo Krahó e desenhos do alto Xingu. Consta, portanto, de suas partes distintas, porém complementares:de um lado a mostra em torno do grupo tribal Krahó, que habita o Norte de Goiás armada com um ambiente em que se pode sentir o seu envolvimento material-cultural diário.
A outra parte reúne 135 desenhos espontâneos recolhidos entre índios do Alto Xingu e interpretados didaticamente em termos da visão do mundo através deles e de seus símbolos se fixa.
A exposição é patrocinada pela Funai, com a colaboração do Centro Nacional de Referência Cultural. Os desenhos cerca de 800 foram coletados e depois selecionados 135 pela etnóloga Heloísa Fenelon que afirma a existência da predominância dos homens, a seguir as crianças e depois as mulheres na feitura dos mesmos. Esta mostra permanecerá aberta até o dia 31 de agosto.
Faço este registro em homenagem a todos os índios brasileiros e especialmente aos índios que habitam terras baianas como os Kiriris, em Ribeira do Pombal, os pataxós, no extremo sul da Bahia, e fazendeiros e pela falta de atenção dos órgãos competentes. Seus trabalhos em vez de expostos são vendidos a preços de bananas a turistas que aparecem por lá. Talvez uma etnóloga não encontrasse, juntando todas as tribos que vivem na Bahia, muitos desenhos ou mesmo objetos, e isto tem uma só explicação: a miséria não deixa ninguém criar.

               CONCURSO DE FOTOGRAFIAS EM GOIÁS 

Há cerca de um mês noticiei que tinha recebido da Secretaria de Educação do estado de Goiás um programa de um concurso de Artes Plásticas e que se alguém estivesse interessado poderia me procurar na redação de A Tarde. Acontece que o primeiro interessado que apareceu levou o programa e outros ficaram sem o mesmo. É por esta razão que decidi publicá-lo, sempre que possível, na íntegra como fiz a semana passada com um concurso de Cartazes e faço agora com este de Fotografias.
Regras:
1.º) O concurso é aberto a todo fotógrafo amador ou profissional, de qualquer parte do mundo.
2.º) São elegíveis fotografias tiradas com câmeras de 35mm., tais como Nikon, Nikkormat Nikonos Calypso/Nikkor.
3.º) Fotografias já publicadas ou aquelas já entregues para publicação não serão aceitas. 
4.º) 0 Os participantes poderão submeter até um máximo de cinco fotografias em cada uma das seguintes categorias, sempre acompanhadas do formulário de inscrição 
 Categoria A: preto e branco deverão ser ampliações com tamanhos variando de 20x25 cm, até 28x36 cm. 8x10 a 11x14 polegadas, sem montagem. No verso de cada fotografias deverão constar: nome completo do participantes, endereço e título de fotografia. 
Categoria  B: Colorido:
a) slides montados molduras de papelão, plástico ou vidro.Deverá ser escrito na parte superior de cada slide, o nome do participante. Além disto deverá ter um ponto vermelho assinalado no canto esquerdo e inferior de cada slide, indicando o lado sem emulsão para que seja usada a posição correta durante a projeção no julgamento, e na posterior reprodução.
b) Fotografias coloridas, sem montagem. Deverão ser ampliadas em tamanhos não inferiores a 20x25 cm. (8x10 polegadas, podendo ser maiores que esta medida. Deverá ser anotado no verso, nome completo de participante endereço e título de fotografia. Os motivos da fotografias não serão restritos sendo de livre escolha do concorrente o assunto.
5.º) As fotografias serão julgadas por um júri composto de nove fotógrafos japoneses de renome, um crítico de arte e um artista gráfico, todos eles são líderes  suas atividades e membros  da direção de Nikkon Club.
6.º) Os formulários do concurso, devidamente preenchidos deverão ser entregues juntamente com as fotografias 
7.º) As fotografias deverão ser enviadas a T. Tanaka & Cia. Ltda rua Martim Francisco, 438 Sta Cecília Caixa Postal, 5.988, São Paulo, até o dia 15 de outubro deste ano 
8.º) Nenhuma fotografia será devolvida exceto de slides positivos a cores desde que tenha sido preenchido o cumpon de retorno. 
9.º) Os vencedores inclusive Menção Honrosa serão convidados a  apresentar os negativos originais não duplicatas antes de receber os prêmios. Quem não o fizer será desclassificado. 
10.º) Os promotores não serão responsáveis por nenhuma reclamação ou queixa de modelos que apareceram nas fotografias a serem publicadas ou exibidas. Se necessário exigiremos do fotógrafo a autorização do modelo para publicação. 
11.º) Os vencedores receberão os prêmios através do representante do promotor conforme endereço acima. 
12.º) Em fevereiro de 1976, serão anunciados os vencedores do concurso, e cada vencedor será notificado pessoalmente. E uma publicação especial das fotografias vencedoras serão enviadas a cada participante. 13.º) Todos os direitos são reservados ao promotor quanto á reprodução e publicação de todas as fotografias. Todavia os promotores não se responsabilizarão por possíveis extravios ou danos ocasionados no transporte.

Prêmios para ambas as categorias
1º Prêmio - A - preto e branco e B colorido - o vencedor de cada categoria receberá uma Medalha de Ouro com nome do vencedor gravado, e mais direito a escolha de uma das câmeras e duas das objetivas Nikon
2.º Prêmio -dez vencedores em cada categoria: Medalha de Prata com o nome gravado e escolha de um corpo câmera Nikkomart E1 ou Nikkomat TF2 e uma objetiva 
3.º Prêmio - vinte vencedores em cada categoria Medalha de Bronze com nome gravado e um corpo de câmera Nikkomart MT2 .
Menção Honrosa: quarenta vencedores em cada categoria Medalha de Bronze e uma caneta tinteiro especial Nikkon.