segunda-feira, 15 de abril de 2013

LEILÕES BATEM RECORDES E ENCANTAM NOVOS-RICOS - 05 DE JUNHO DE 1989


JORNAL A TARDE,SALVADOR, SEGUNDA-FEIRA 05 DE JUNHO DE 1989

LEILÕES BATEM RECORDES E ENCANTAM NOVOS-RICOS

Este auto-retrato de Picasso foi leiloado em Nova
 Iorque por US$43,5 milhões. A maioria dos lances
foi  feito de vários países através do telefone
Os leilões no decorrer dos anos, sempre foram utilizados como instrumento de valorização da obra de arte.Muitas vezes são pessoas que possuem preciosidades da arte e resolvem vendê-las para realização de algum sonho ou mesmo garantir a sua sobrevivência. É uma oportunidade de muitas instituições públicas e privadas, especialmente os museus e grandes colecionadores, de adquirirem obras dos clássicos ou mesmo de contemporâneos de sucesso. Os lances são altos, e mais recentemente começaram a surgir nessas ocasiões os novos-ricos, especialmente japoneses, que estão precisando desovar seus dólares que ganham com certa facilidade vendendo suas engenhocas eletrônicas em todo o mundo. Nos dois últimos leilões realizados, um em Londres, uma tela de Renoir foi vendida por 17,5 milhões de dólares e um auto-retrato de Picasso por 43,5 milhões de dólares. Recentemente, um leilão realizado nos Estados Unidos, quadros de Portinari, Tarsila do Amaral foram desprezados. Aqui, na Bahia, poucos artistas tem mercado nos leilões realizados no Sul do País. Marchands baianos já descobriram que um bom negócio é freqüentar leilões no Sul do País e arrematar quadros de artistas baianos a preço de banana. Quem duvidar procure saber por quanto foi arrematada uma tela sua, que aqui tem mercado alto.
Em Londres, um leilão de obras de arte de mestres como Renoir, Monet, Picasso, Van Gogh e Cézanne, da coleção do Fundo de Pensão da Ferrovia Britânica, rendeu 65 milhões 210 mil dólares, ou praticamente o dobro do previsto, anunciou a Casa Sotheby’s.
La Promenade, de Renoir, foi arrematado por 17 milhões 580 mil dólares, superando o recorde anterior de um seu trabalho vendido, há um ano, em Nova Iorque, por oito milhões de dólares.
A porta-voz da Sotheby’s Fiona Ford, comentou que a Britsh Rail fez um grande negócio, porque havia comprado a coleção por apenas cinco milhões 950 mil dólares. A casa leiloeira havia estimado que as 25 pinturas impressionistas e modernas alcançariam cerca de 34 milhões de dólares.
As pinturas e os desenhos impressionistas fazem parte de uma coleção de dois mil 200 trabalhos, que o fundo de pensão adquiriu depois de 1974, quando decidiu diversificar a sua carteira de investimento para fazer a frente á inflação Susan Buddin, secretária assistente da companhia e que deu a informação explicou que o fundo investe 1% de seus recursos em arte.
Estamos vendendo porque fomos informados de que o mercado está num momento ótimo, prosseguiu ela, repetindo que a decisão de leiloar parte do acervo, deveu-se as boas condições do mercado. Analistas logo comentaram que o resultado lucrativo do Fundo de Pensão deve repercutir em áreas financeiras que promovem a arte como um bom investimento, mesmo para organizações trabalhistas.
Santa Maria Della Salute ET Le Grande Canal, pintado por Monet em 1908, alcançou 11 milhões 400 mil dólares, Jeune homme em bleu, um trabalho de Picasso em guache, aquarela e crayon, de sua fase azul, rendeu seis milhões 730 mil dólares. Mas a Saintes-Marie, desenho de celeiros, num porto feito por Van Gogh, foi arrematado por três milhões 930 mil dólares, enquanto Nature mort ou melon vert, de Cézanne, alcançou quatro milhões 300 mil.
Completaram a coleção leiloada, desenhos e pinturas de Degas, Matisse Manet, Toulouse-Lautrec, Vuilard, Boudin, Fantin-Latour e Daumier.

QUEREM PROTEÇÃO
Em Paris, os herdeiros de Pablo Picasso recorreram a um tribunal para obrigar  um pintor francês a deixar de usar o sobrenome do célebre pintor espanhol.O jovem, cujo nome verdadeiro é Christian Chapiron, passou a se chamar Kik Picasso, quatro anos após a morte do mestre em 1974.
Segundo o advogado de Paloma Picasso, filha do pintor espanhol, o artista francês passou a utilizar o famoso sobre nome para criar confusão. Claude, irmão de Paloma e Bernard, único neto de Pablo Picasso, juntaram-se a demanda. O advogado acrescentou que jurispruudência francesa é tolerante em matéria de pseudônimos, mas condena a usurpação de nomes.
O advogado de defesa do pintor francês alegou que o próprio Picasso nunca teve puder em utilizar em proveito próprio a obra de outros artistas, inclusive de clássicos como Cézanne Goya. O tribunal indicou que pronunciará seu veredito dentro de um mês.

            PARIS É O CENTRO DA ARTE

Na Galeria Samy Kinge a obra intrigante
do artista Samios
O movimento de arte continua florescendo em Paris, cidade que sempre foi responsável pelas mais importantes manifestações culturais no decorrer dos séculos. Sempre renovada, a Cidade Luz possui centenas de espaços dedicados às manifestações artísticas, desde as musicais, artes plásticas, cinematográficas, enfim a todas as formas que o homem encontra para mostrar o seu talento. E, nada melhor lembrar esta cidade tão procurada por todos aqueles que um dia pensam em visitar a Velha Europa. Agora acabo de receber alguns catálogos de exposições realizadas em Paris e para nossa satisfação encontram-se quatro brasileiras e uma em especial, a Janice Santos Chaves, que é baiana, de Salvador.
Outra é a mesma Patriarca Dias Franca e ainda Sandra Laucman e Patrícia Kunst expuseram seus trabalhos na Galerie La Ferronnerie, Janice já expôs no Parque Laje, no Rio de Janeiro, em Brasília, onde estudou arquitetura, freqüentou o atelier de modelos vivos de Claude Athenee, em Paris. Já Patrícia Franca é mestra em Artes Plásticas pela Universidade de Paris VIII e tem várias exposições em Paris e uma na Alemanha. Tenho recebido alguns catálogos de exposições na França, graças a gentileza de D.Vera Simões, que reside em Paris.