quinta-feira, 7 de junho de 2012

OBRAS DE VOLPI ROUBADAS E DISPUTA DO ESPÓLIO



Texto Reynivaldo Brito

O pintor Alfredo Volpi  viveu na simplicidade pintando e vivendo da sua arte. Nunca se envolveu em disputas ou conflitos que fossem noticiados pela imprensa. Suas bandeirinhas ganharam o mundo e hoje estão presentes nos acervos dos principais museus brasileiros e de outros países. Porém, no dia 22 de maio saiu publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo que  o espólio de Alfredo Volpi (1896-1988) sofreu um desvio de R$ 1,2 milhão, enquanto uma de suas filhas, Djanira Maria da Conceição Volpi, vive em situação precária.
Este dinheiro foi levantado e consta de um  despacho da juíza Vivian Wipfli, titular da 8ª Vara da Família e Sucessões da capital paulista. Segundo o documento este montante  é correspondente à arrecadação dos direitos de imagem do artista.
Neste mês de junho  Eugênia Maria Volpi Pinto, uma das herdeiras do pintor, deverá  repassar parte do espólio do artista para os outros herdeiros, de acordo o prazo estipulado pela juíza.Volpi teria três filhos, sendo que um já faleceu.
Foto da obra "Bandeirinhas", roubada de um colecionador.
Consta dos autos que em 2004, Eugênia, então inventariante do espólio, firmou contrato com a empresa Imaginação - Imagem & Ação Ltda. para licenciar as obras de Volpi. A partir do contrato, toda utilização de imagem do artista deveria pagar direitos autorais à Imaginação. E os repasses estariam sendo feitos para ela, Eugênia, sem a participação dos demais herdeiros.

                                                                                    ROUBADAS

Agora surge outra notícia negativa que oito telas de Volpi  foram roubadas da casa de um colecionador, no valor de R$ 7 milhões. Isto ocorreu em outubro, mas, somente ontem, dia 6, é que a polícia tomou conhecimento do fato.
Entre os trabalhos roubados está uma famosa tela chamada de "Elementos de Fachada e Bandeirinhas". Foram ainda surrupiadas "Fachada em Azul e Vermelho", "Bandeirinhas Estruturadas com Mastros" e "O Manequim".
Além das obras de Volpi foi roubada uma obra de Ivan Serpa, sem título.
Sabe-se que este é o terceiro roubo envolvendo obras de Volpi. Há cerca de oito anos o Deic, de São Paulo, conseguiu recuperar telas furtadas, sendo que uma outra tela foi recuperada pelo Gaeco, grupo de combate ao crime organizado do Ministério Público paulista.
As obras roubadas de Volpi foram:  "Elementos de Fachada e Bandeirinhas"", têmpera sobre tela, de 1960; "Pintura no. 2, sem data;
"Fachada em Azul e Vermelho", têmpera sobre tela , início década de 1960;  "O Manequim", têmpera sobre papelão,início da década de 1950;"Bandeirinha", têmpera sobre tela, início década de 1950; ( foto ao alto) "Sacada Branca", têmpera sobre tela, início década de 1950; "Bandeirinhas Estruturadas com Mastros", década de 1960, têmpera sobre tela; e "Sereia", sem data, estudo em têmpera sobre cartão colado em madeira.
Foto da obra "Fachada em Azul e Vermelho", também roubada em outubro de um colecionador.