sábado, 16 de abril de 2016

ENOCK MOSTRA VERSATILIDADE DO VITRINISMO À OBRA DE ARTE.

Enock ao lado de uma de suas obras
Ao passar pelo Pelourinho entrei no atelier do artista Enock Silva , que fica na rua Gregório de Matos, 39, que tem uma história profissional marcada pela decoração de interiores e vitrinismo
Sabemos que o vitrinismo  é uma das vertentes do merchandising  onde técnicas de montagem de vitrines são utilizadas, objetivando chamar atenção dos clientes na exibição de produtos das lojas e magazines.
Hoje, aos 72 anos ele reconhece que atualmente  os comerciantes preferem mais trabalhar com jovens vitrinistas por razões que desconhece, porque criatividade e disposição não lhes faltam. 
As vitrines das mais importantes lojas e magazines da Rua Chile, Avenida Sete de Setembro, Relógio de São Pedro e mesmo na zona do Comércio ( Cidade Baixa)  foram durante décadas arrumadas por Enock. Isto aconteceu antes do surgimento dos shoppings . Mesmo  com a chegada dos primeiros centros comerciais Enock continuou seu trabalho de vitrinista .Porém, atualmente dedica-se mais intensamente ao trabalho de pintor e de administrar a sua Galeria que fica num belo casarão, onde também expõe obras de outros artistas. 
Disse que seu trabalho tem uma tendência geométrica, mas, que também faz algumas obras figurativas com cores quentes, principalmente por estar ali num local frequentado por muitos turistas que preferem e são atraídos pelas cores tropicais, fortes.
Enock nasceu em Castro Alves porém, se considera quase um soteropolitano por estar na capital baiana há muitos anos. 
Ele vai participar da exposição Arte Moda que será realizada no Shopping Salvador, a partir do dia 19, terça-feira. Esta mostra  que tem a curadoria do artista Leonel Matos reunirá um total de 120 artistas.

PRECISAM FREQUENTAR

Os moradores de Salvador, da região metropolitana e mesmo do interior do Estado precisam frequentar o Centro Histórico, que está bem policiado , tem lugares , cantinhos incríveis pra você curtir e  tomar uma cerveja  e degustar um bom petisco. O clima é muito agradável porque o visitante é envolvido pelo clima daqueles casarões centenários que os fazem voltar aos séculos XVII e XIX. 
Também, o responsável pelo estacionamento precisa atentar para o preço que está cobrando que é demasiado .Uma hora custa R$9,00 e, se você passar alguns minutos da primeira hora paga mais R$9,00. É caro para quem vai andar e tomar uma cervejinha, porque esta visita quase sempre dura mais de duas horas.