terça-feira, 10 de dezembro de 2013

SAMICO ETERNIZOU AS LENDAS DO NORDESTE EM SUA OBRA

Os dragões, as serpentes, os pássaros misteriosos e outros personagens de suas gravuras estão órfãos. Faleceu no último dia 25 de novembro, em Recife , o artista Samico que aos 85 anos ainda produzia seus trabalhos calcados nos mistérios e nas lendas do Nordeste. Aliado de Suassuna no Movimento Armorial, ele herdou o expressionismo de Goeldi e Lívio Abramo e acrescentou a cor e os espaços mais largos, além de criar uma plêiaide de personagens baseados nas lendas do nosso Nordeste. Samico ilustrou muitos livros e fez várias exposições aqui e fora do país.
Gilvan Samico sofria de um câncer na bexiga. Mesmo doente estava trabalhando sempre com suas gravuras baseadas na mitologia nordestina. Dizem que seu rigor era tamanho que desde a década de 70 produzia uma gravura por ano. Ai só os parentes mais próximos poderão confirmar esta versão.

Ele não negava a grande influência que teve das capas dos livretos de cordel e muitos de seus personagens são buscados exatamente nos versos que são lidos em voz alta nas feitas dos povoados do nosso Nordeste.São os leões,as onças, os cangaceiros,o carcará,as cobras,os lagartos, enfim bichos do Nordeste de mesmo da África que serviam de inspiração.
Sua obra brilha no colorido que fazem sobressair seus personagens e as linhas paralelas que compõem as suas gravuras. Ele criou formas depuradas e precisas hoje ,apreciadas por colecionadores de todo o mundo.
A gravura brasileira está portanto de luto com o seu desaparecimento .Lembro aqui de Hansen Bahia que embora alemão trazia também o expressionismo de seu país, porém  aqui soube aproveitar e usar as cores e ,suas gravuras estão impregnadas delas.